quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

SOLI DEO GLÓRIA - Parte 2/5



ARGUMENTAÇÃO:

Precisamos entender que, assim como todos os outros “Solas”, o Soli Deo Glória, existe, foi formulado, foi  pensado para combater alguns erros e até heresias que se infiltraram na igreja e que foram minando o genuíno ensino da palavra de Deus.

Passaremos a abordar agora os erros, desvios e heresias que existiam no meio da genuína igreja de Cristo, na idade média, até o século XVI, e que são combatidos por esse princípio de Soli Deo Glória.

Sim, erros, desvios e heresias. A verdadeira igreja de Cristo pode ser corrompida de um jeito tal que não se achará nela nenhuma característica da genuína igreja do Senhor.

E já aqui temos essa séria advertência:  aconteceu no passado, com a igreja de Cristo que ficava em Roma. Pode acontecer com nossas igrejas também, se não nos apegarmos aos mesmos antídotos utilizados e formulados pelos Reformadores. E já tem acontecido. Muitas igrejas se descaracterizaram tanto que em nada se parecem com uma igreja de Cristo. Parecem com centros de macumba ou com casas de shows, não com uma igreja de Cristo.

R.C SPROUL em uma série de mensagens sobre os Solas da Reforma afirma que: “Normalmente quando a frase Soli Deo Glória é usada historicamente há dupla referências: veio à luz para combater erros, desvios e heresias basicamente em duas direções:

1ª) A primeira referência tem a ver com a Salvação.

2º) A segunda referência tem a ver Em relação à adoração, ao culto.



Estaremos abordando esses desvios na época dos Reformadores e em nossa época na esperança que o mesmo remédio que serviu lá sirva cá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Divulgue meu Blog no seu Blog