quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

PENTECOSTALISMO "ESQUENTA" A MACUMBA DE CASÉ

A "pastora" é a macumbeira de Roxo da direita, no meio das Macumbeiras de branco.

Tenho dito em algumas postagens que o Pentecostalismo é o mais grave passo de retorno ao Romanismo. Muitos consideram isso extremamente forte e equivocado. Outros, porém, argumentam que o Pentecostalismo, principalmente em sua variação neopentecostal, está se aproximando estranha e inesperadamente ao Espiritismo. Também não posso deixar de notar isso. 

O fato é que alguns irmãos que se auto-denominam "genuínos Pentecostais" se dizem ofendidos quando são colocados na mesma sacola da longa lista das aberrações do atual mundo gospel. Tentam, inclusive, descaracterizar alguns movimentos e atitudes chamando-as de "Pseudo-Pentecostalismo".

Evidentemente que não podemos generalizar todo um grupo pela atitude de alguns ignorantes e de outros pilantras da fé. Claro que não. É mais do que sabido que muitos irmãos Pentecostais jamais se passariam para fazer o que essa outra irmã "igualmente Pentecostal" fez no programa "Esquenta" de Regina Casé. 

Mas a questão não é essa. O grande problema do Pentecostalismo é que ele propicia o acontecimento desse tipo de aberração. Isso se dá exatamente pelo fato de não ter o Pentecostalismo uma base de fé e prática hermeticamente fechada. Diferentemente dos Protestantes que têm na Bíblia - revelação escrita - única fonte de comunicação ativa de Deus para com seu povo.

Então, quando eles analisam a Bíblia e não encontram nenhuma recomendação para fazer essas coisas ou ainda para deixar de fazer outras, eles ficam "engessados" e desautorizados. Ou seja, o protestante é um crente limitado. Não pode usar de sua criatividade inventiva e nem mesmo seu talento para elaborar alguma novidade, algo que seja estranho às Escrituras, ainda que o objetivo seja nobre: louvar a Deus. É por isso que o culto dessas igrejas são sempre a mesmíssima coisa. Novidade nesses cultos só acontecem por algum desvio de conduta ou mesmo por influência Pentecostal.

Sei que muita gente discorda do que acabei de argumentar acima. Nós, "genuínos Pentecostais", também temos a bíblia como única regra de fé e prática, dirão alguns. Aí perguntarei? E as novas revelações, que são novos recados de Deus, no sentido de serem outros além dos que estão na Bíblia? Se não estiver na bíblia não é de Deus, responderão. Ora, então não são novas revelações? Então é só ler a bíblia? Se a resposta for sim, aí meu caro, isso não é o "genuíno Pentecostalismo". Estaremos diante de um "autêntico quase ex-pentecostal", que deve ter tido muito contato com a doutrina Reformada através de livros, congressos, etc e que agora está mudando seu pensamento. Não pensa mais como Pentecostal. Não crê mais como Pentecostal (pelo menos em todos os pressupostos). Tá tudo misturado, mas que por razões várias ainda não quer sair do meio. Diria eu: quase não é mais Pentecostal. 

Essa irmão do vídeo abaixo, sim. Essa é uma "autêntica Pentecostal" de carteirinha.

Mas para aqueles que discordam de tudo que coloquei até aqui, gostaria de fazer algumas perguntas. Por favor, assista ao vídeo e depois, só depois, responda as perguntas, ok?

video

Isso e essa "pastora" e suas seguidoras, tem mais a ver com o Pentecostalismo ou com o Protestantismo? Tem mais a ver com as igrejas Pentecostais ou com as igrejas Tradicionais? Se for perguntado a ela se é uma cristã Tradicional ou Pentecostal, o que ela responderá?

61 comentários:

  1. Pois chegará o tempo em que não suportarão mais a sã doutrina...

    e o tempo chegou.

    ResponderExcluir
  2. Em minha modesta opinião entendo que existe um pormenor que normalmente é deixado de fora quando se discute sobre o comportamento dos membros religiosos em nosso país. No Brasil há uma religião "autenticamente nacional" que faz parte da verdadeira raiz, e, todas as outras queiram ou não acabam por se "amoldar" à ela. Estou me referindo a Umbanda, religião a qual me dediquei por algum tempo. Como é uma religião surgida no seio das senzalas, e onde houve um sincretismo total com os "santos" da igreja romana, ela está na raiz da maior parte de nosso povo.
    As igrejas Protestantes além de ter chegado aqui antes do início do culto umbandista, não ocuparam as periferias das grandes cidades, como também não buscaram disputar espaço com a igreja romana. Já os "Pentecostais" fizeram exatamente o contrário: foram para o meio do povão cavando suas trincheiras, e, instalando suas bases onde o "misticismo católico romano - umbandista - cultural brasileiro" era mais atuante. Vemos isso na diferença que há entre o pentecostalismo americano e o brasileiro no que se refere a liturgia. Normalmente em todas as igrejas brasileiras há expulsão do "tranca-ruas", do "exu-caveira", da "pomba gira", etc. Isso é uma exclusividade brasileira.
    Em resumo: "Quando se vê no dicionário o real significado da palavra SUPERSTIÇÃO fica um pouco mais fácil de entender os acontecimentos místicos-religiosos que temos visto em nosso país e explicar porque acontecem e porque dão tanto ibope".
    SUPERSTIÇÃO: < SENTIMENTO DE VENERAÇÃO RELIGIOSA QUE SE FUNDA NO TEMOR OU NA IGNORÂNCIA, E QUE LEVA AO CUMPRIMENTO DE FALSOS DEVERES, A QUIMERAS OU A CONFIANÇA EM COISAS FANTÁSTICAS E INEFICAZES.>
    As perguntas: Por um acaso não é essa a forma mais comum de ação da maioria do povo brasileiro? Não é esse o sentimento que domina a maioria dos membros de nossa igrejas?
    Para terminar lembro que há uns 20 ou 30 anos os "benzedores e rezadores" gozavam de muito prestígio. Onde eles estão Hoje?
    Quanto aos que denominamos "neopentecostais" pode-se dizer: em realidade são aqueles que se aproveitam dessa ignorância e temor para fundar e construir seus "impérios igrejais".
    Abraços. Fabio.

    ResponderExcluir
  3. Há um congestionamento de Fábios por aqui!
    Caro Fábio (Filósofo Calvinista).
    Foi por isso que você não me respondeu as sinceras felicitações de ano novo.Porque planejava postar mais "apologias" como essa?
    Ora Fábio,eu já sabia que não iria parar por aí. E mesmo assim lhe desejei um ano abençoado pelo simples fato de não levar isto para o lado pessoal.(não parece ser o seu caso).
    O que você quer que eu fale a respeito da pastora?
    Não tenho nada haver com ela.
    Porque ela é pastora? e daí?
    Minha igreja nem sequer ordena mulheres ao ministério eclesiático.
    Ela dançou em um programa de rede nacional em um sincretismo religioso de dar inveja a qualquer umbandista?
    E daí?
    Somos criticados por outros grupos carismáticos porque não batemos nem palmas em nossos cultos.
    Não escutei ela dizer que é pentecostal,mas,já que rotularam tudo bem!
    E daí?
    Qualquer cretino herege que susurra um glória a Deus mais alto e faz alguma micagem gospel é automaticamente rotulado de pentecostal por alguns tradicionais como você.
    Pentecostais genuínos não tem do que se envergonhar,pois,sabem que não tem parte alguma nisso.
    E sabe o que mais?
    Os pentecostais genuínos(são muitos,acredite você ou não) agradecem a este tipo de postagem.
    Eles ganham cada vez mais crédito no meio em que vivem,pois são os primeiros a combater esse tipo de coisa.E quando ouvem que eles também fazem parte disso,eles riem da pobreza de conhecimento da teologia pentecostal dos apologetas de plantão. Apesar de você ter teimado comigo no post anterior quando eu disse que suas postagens faziam critica a um pseudopentecostalismo.Como se você soubesse mais de pentecostalismo clássico do que eu!Meio prepotente não acha. Também pudera,querer fazer críticas ao pentecostalismo baseado em reportagens do Edir Macedo,ou testemunho de fulano de tal que teve sei lá quantos anos de pentecostalismo,ou programa da rede Globo,ou outra meninice qualquer documentada em video enquanto despreza os tratados teológicos pentecostais de autores que já citei várias vezes nesse blog.Não dá pra fazer outra coisa a não ser divertir-se com os videos.
    Você gosta de fazer perguntas.
    Deixa eu lhe fazer algumas.
    A igreja Presbiteriana Norte Americana que ordena pastores homossexuais tem mais a ver com as igrejas tradicionais ou pentecostais?

    O liberalismo teológico histórico(uma praga tão ou pior que o neopentecostalismo) surgiu no meio pentecostal ou tradicional?

    Você não acha incoerente o batismo infantil,quando as escrituras falam em crer e ser batizado? pode uma criança que não sabe distinguir o bem do mal crer?
    Parece meio....antibíblico talvez?

    Como vocês lidam com a ordenação de homossexuais no meio presbiteriano?

    E os liberais? vocês compartilham de tudo o que eles fazem?

    Creio na predestinação não porque é uma doutrina de Calvino,mas porque creio ser uma doutrina bíblica.Mas pelo que tenho lido ultimamente,Calvino foi um assassino intolerante.Não seria meio perigoso defender as idéias de um homem assim muitas vezes com mais zelo do que pela própria escritura?
    E além disso, condenar tudo e todos que pensam diferente?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caraca.......gostei muito de sua resposta. Sou Presbiteriano, tradicionalzão, mas detesto intolerância....essa gente são os Fariseus pós modernos....usam o mesmo "modus operandi" daquela raça de víboras, que Jesus combatia...Combatia mas amava...

      Concordo com você Brother...

      O Céu será um lugar de muitas surpresas...

      Excluir
  4. Estou muito agradecida por vc fazer parte do meu blog. Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. Prezado Fabiodc79:

    Ei, o que houve?..rs. Que revolta é essa irmão?...rs. Esperá lá! Não te respondi "as sinceras felicitações" porque esse final de ano foi muito complicado com correções de provas e monografias. Pra vc ter idéia, dia 31/11 passei o dia inteiro, até a hora do culto, corrigindo monografia. Não faria isso jamais e nunca levo nada para o lado pessoal. Aqui é um espaço de discussão de idéias, não de pessoas; menos ainda de irmãos em Cristo.

    Esclarecido isso, vou responder suas perguntas, muito embora vc não tenha respondido as minhas:

    1- Sobre Igreja presbiteriana que ordena homossexuais: Antes de qualquer coisa quero dizer que a IPB é uma igreja autônoma em relação as outras igrejas presbiterianas no mundo. Depois, presbiteriana não é um nome de igreja e sim de regime de governo. Ou seja, se sua igreja dotar o regime de governo representativa, tendo presbíteros representando o povo ela será uma igreja presbiteriana. Mas agora respondendo: ordenar homossexuais não é uma característica da igreja presbiteriana nem das igrejas tradicionais. É uma anomalia, um desvio de conduta, diferentemente dessas práticas que tenho denunciado aqui, que são peculiares e características da consequência do pentecostalismo autêntico, que crê na possibilidade de "novas revelações" e esse é a grande porta aberta para essas aberrações;

    2- Liberalismo teológico também, é um desvio de conduta. Não é característica da igreja reformada. Isso é evidente.

    3- Quanto ao batismo infantil, isso merece um post específico, que farei depois, ok? Mas acho que já postei sobre isso aqui no blog. Mas vou apenas levantar uma questão em cima do texto que vc citou para questionar o batismo infantil: "quem crer e for batizado será salvo". A idéia aqui é a seguinte: Criança não pode crer não é? Logo, não pode ser nem batizada nem salva.

    Muito bem: Paulo também diz o seguinte: "Aquele que não trabalha também não coma".

    Fabiodc79: Criança trabalha?...rs..segura essa. Você tem filhos? Vamos usar a mesma metodologia de interpretação?

    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  6. Ei xará! Você entendeu errado. Não estou revoltado.Sobre as felicitações eu falei em tom de brincadeira.Tudo bem,eu li novamente e devo ter me expressado mal.
    Entendeu errado também as minhas indagações.
    Na verdade, quando formulei as perguntas eu já estava respondendo as suas perguntas.
    O que eu fiz foi usar o mesmo método que você sempre usou.Ou seja,Generalizações infundadas e desprovida de conhecimento de causa.Pois não conheço o sistema de governo presbiteriano e se eu quiser discutir com você a respeito do batismo infantil,vou precisar conhecer suas pressuposições teológicas a respeito do assunto. E para isso precisarei fazer isso do ponto de vista de vocês,não vou consultar pentecostais que não gostam de tradicionais,não vou consultar videos de internet e tampouco programas de tv.Vou comprar um livro escrito por um presbiteriano,ou consultar algum presbiteriano que domina bíblicamente o assunto.
    Caso contrário vou fazer críticas(se houver alguma) descontextualizadas e infundadas.
    é exatamente isso que você faz com relação ao pentecostalismo. E você usa de parcialidade claramente tendenciosa quando aplica o termo "desvio de conduta" para as minhas "acusações" e usa a frase:

    "É uma anomalia, um desvio de conduta, diferentemente dessas práticas que tenho denunciado aqui, que são peculiares e características da consequência do pentecostalismo autêntico, que crê na possibilidade de "novas revelações" e esse é a grande porta aberta para essas aberrações"

    Você não quer que eu engula essa....por favor!
    No seu caso é desvio de conduta, no meu caso é caracteristíca do pentecostalismo.fala sério...

    O pentecostalismo genuíno em sua teologia é tão distante dessas aberrações que voce posta o quanto você diz ser o seu presbiterianismo do liberalismo teológico, ordenação de homossexuais e etc...
    Falar diferente disso é assinar um atestado de falta de conhecimento da teologia pentecostal clássica.

    Fique na paz

    ResponderExcluir
  7. Grande Fabiodc79:

    Meu caro, esqueceu de comentar a questão do texto sobre batismo infantil e o da comida d ePaulo...rs. Mas tudo bem, vamos lá:

    Por favor, me diga somente que o sua "teologia Pentecostal clássica" não defende a contemporaneidade dos dons revelacionais. Que ela não defende a possibilidade de "novas revelações", de novas "mensagens de Deus". E só pra ficar claro: quando digo "nova" é nova mesmo, ou seja, que não está escrita na bíblia. Porque se você me disser isso aí acaba o debate na hora. Se ser pentecostal é não acreditar em "novas revelações" e se tradicional e pentecostal agora é a mesma coisa, então não vejo nenhum problema em ser pentecostal e poderei até ser um, um dia.

    Quero ver se você vai acabar com os principais pressupostos do pentecostalismo. Se você vai mudar o DNA pentecostal. Aquilo que os diferencia dos protestantes tradicionais.

    Por favor, aproveite para citar um desses teólogos pentecostais clássicos dizendo isso, ok? Que não existe "novas revelações", que não acreditam na contemporaneidade dos dons "revelacionais".

    Tudo de bom!

    ResponderExcluir
  8. Prezado Fábio! Não esqueci de comentar sobre o batismo infantil e a comida de Paulo...
    O fato é que,como já lhe disse,não domino suficientemente esse assunto bíblicamente falando, para fazer comentários ou críticas consistentes,portanto prefiro me calar a esse respeito e não correr o risco de ser incoerente ou até mesmo antiquado.Compreendes...?
    A teologia pentecostal defende a atualidade dos dons e não a crença em novas revelações.
    Segue algumas declarações de alguns teólogos pentecostais e suas respectivas fontes.

    Veja essa declaração de um teólogo. Assembleiano chamado John R. Higgins,a respeito de revelações:

    "É importante manter juntas a Palavra escrita de Deus e a iluminação do Espírito Santo. O que o Espírito ilumina é a verdade da Palavra de Deus, e não algum conteúdo místico oculto nessa revelação. A mente humana não é deixada de lado, mas vivificada à medida que o Espírito Santo elucida a verdade. ‘A revelação é derivada da Bíblia, e não da experiência, nem do Espírito Santo como uma segunda fonte de informação paralela à Escritura e independente desta’. Nem sequer os dons de expressão vocal, dados pelo Espírito Santo, têm a mínima igualdade com as Escrituras, pois eles também devem ser julgados pelas Escrituras (1 Co 12.10; 14.29; 1 Jo 4.1). O Espírito Santo nem altera nem aumenta a verdade da revelação divina dada nas Escrituras; Estas servem como padrão objetivo necessário e exclusivo através das quais a voz do Espírito Santo continua a ser ouvida".

    HORTON, Stanley M. (ed). Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostal. 10 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006. p 119.

    E ainda:
    Donald Stamps,um respeitado teólogo pentecostal,comentando sobre 1 Co 14.31:

    "A profecia do tipo descrito nos capítulos 12 e 14, porém, não tem inerente em si a mesma autoridade ou infalibilidade que a inspirada Palavra de Deus. Embora provenha do impulso do Espírito Santo, esse tipo de profecia nunca poderá ser considerada inerrante. Sua mensagem sempre estará sujeita à mistura e erros humanos. Por isso a profecia da igreja nunca poderá ser equiparada com as Sagradas Escrituras. Além disso, a profecia em nossos dias não poderá ser aceita pela igreja local até que seus membros julguem o seu conteúdo, para averiguar a sua autenticidade. A base fundamental desse julgamento é a Palavra de Deus escrita: isto é, a profecia está de conformidade com a doutrina apostólica? Toda experiência e mensagem na igreja devem passar prelo crivo da Palavra de Deus escrita"

    STAMPS, Donald. Bíblia de Estudo Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2002. p 1763.

    Ainda sobre "revelação" Waine Gruden discorre:

    A suficiência das Escrituras lembra que a Bíblia contém a revelação completa de Deus para a salvação do homem. Como lido acima esse é um ponto importante para os teólogos pentecostais. A Bíblia é suficiente, mas então por que os pentecostais acreditam em profecias e revelações? Ora, porque essas mensagens não são acréscimos das Escrituras e nem a sua contradição. É necessário entender a natureza da “revelação”.

    GRUDEM, Wayne. O Dom de Profecia: Do Novo Testamento aos Dias Atuais. 1 ed. São Paulo: Editora Vida, 2004, p 335-351.

    Preciso sair.

    Até mais tarde!

    ResponderExcluir
  9. FAbiodc79:

    Obrigado por dar um nó na minha cabeça...rs. Se as profecias são exatamente a mesma coisa do que tem na bíblia, então qual a necessidade delas? Não seria mais fácil, mais justo, mais coerente e mais seguro apenas mandar o povo ler e estudar a bíblia? Depois comento sobre essas citações que passou. Só um breve comentário: como o Espírito Santo pode dar uma profecia e a igreja não considerá-la inerrante? Se foi o Espírito Santo que trouxe a profecia, meu caro, é bíblia e, portanto, inerrante.

    ResponderExcluir
  10. O problema não é o nó em sua cabeça.O problema é que nós dois sabemos que você só enfatiza as partes que lhe são convenientes no intuito de servirem ao seu propósito,que é o de tentar invalidar a crença na atualidade dos dons,que,graças ao bom Deus,não é exclusividade dos pentecostais. Há muitas igrejas de cunho reformado que também cultivam a mesma crença no continuísmo..Além do mais,é impossivel debater exautivamente esse assunto aqui nesse espaço.Porém, permite breves comentários.
    Quanto ao seu breve comentário.

    "Só um breve comentário: como o Espírito Santo pode dar uma profecia e a igreja não considerá-la inerrante? Se foi o Espírito Santo que trouxe a profecia, meu caro, é bíblia e, portanto, inerrante".

    R:Ainda que a fonte seja Inerrante (Deus), o canal é imperfeito (homem)
    Se assim não fosse seria desnecessária a ordem de Paulo em 1Co 14:29.
    Mesmo que você não creia na atualidade dos dons como vai negar que Paulo mandou julgar as profecias de sua época?
    Ora,Paulo mandaria julgar algo que fosse inerrante?
    Vale lembrar que os comentários acima são somente trechos de estudos feitos por teólogos pentecostais portanto, obviamente que não é exaustivo sobre o assunto.
    Só estou falando isso porque você disse que vai fazer comentários acerca deles. daqui a pouco você monta um post interpretando os trechos acima de acordo com seu ponto de vista e posta um artigo com o seguinte título "Extra Extra,acabei de reinventar a roda, e refutei conclusivamente toda a doutrina pentecostal"rsrsrs.

    Se quiser conhecer a doutrina pentecostal clássica,infelizmente,devido ao tom pejorativo que a palavra pentecostal tem sido "presenteada" faz se necessário o uso de termos como Clássico,ortodoxo,fundamentalista e etc. mas enfim, se quiser conhecer melhor (o que eu duvido),apesar de que a nivel de conhecimento não vejo problema algum,recomendo:

    Sobre uma análise exegética de 1 Co 14 eu recomendo o "Comentário Bíblico Pentecostal- Novo Testamento" da CPAD. Além disso, Stanley Horton faz uma ótima análise do capitulo no livro "Doutrina do Espírito Santo".
    Só mais uma coisa.
    A conversa está tomando outros rumos.
    Você quer que eu lhe prove a atualidade e autenticidade dos dons.
    Porque eu?
    Prove-me você de forma conclusiva o cessacionismo em poucas linhas.
    Vamos poupar um ao outro dessa tarefa hérculea.
    Tenho amigos presbiterianos de mais de 15 anos e nesse assunto é cada um no seu quadrado.
    Por favor,isso é igual a Judeus X Palestinos,Só vai acabar quando Jesus Voltar.
    Vou tomar um banho.
    Hoje é dia de culto pentecostal.
    Ah é culto pentecostal clássico rsrsrs
    Paz

    ResponderExcluir
  11. boa noite vi os comentarios de vocës e queria dar uma comentada tambem srsrsrr, eu conheço um assembleiano e tambem discuto com ele sobre o pentecostalismo e os desvios teologicos que muitos no meio pentecostal cometem,mais ele diz que o pentecostal classico não comete nem apoia tais erros ou doutrinas diferentes,não conheço o pentecostalismo a fundo, mais sei que a uma diferença entre os que estudam a fundo as escrituras e os que não estudam, sou batista tradicional mais reconheço que a um grupo de pentecostais serios.

    ResponderExcluir
  12. Olá,gostaria de comentar também.

    Se o irmão fabiodc79 quiser conhecer profundamente sua crença pentecostal,aconselho a ler o livro da edições vida nova;TEOLOGIA DO ESPÍRITO SANTO,Frederick Dale Bruner.O livro é excelente, analisa profundamente o pentecostalismo desde as suas raízes.

    Isso que nós estamos vivendo hoje, é um desvio profundo do cristianismo histórico e bíblico.
    O pentecostalismo achou um terreno fértil nas massas mais pobres da sociedade,se desenvolveu num clima de incertezas, tanto social como religioso nos EUA no final do século xviii,num clima de revolta contra os liberais e racionalistas,mas caiu no próprio buraco que cavou(experiências),essa é a palavra chave para entender o pentecostalismo,eles nunca se preocuparam em doutrina,veja um citação de um dos lideres mais importantes,conciste"puramente em uma experiência espiritual poderosa e individual"Donald Gee,the pentecostal movement,pag. 30(fonte livro citado acima)

    Eu fui da AD durante cinco anos conheço um pouco da denominação,diria que os irmãos assembleianos são sinceros em sua crença,mas só sinceridade não basta,eu diria tem zelo,porém sem entendimento(Rm 10.2).

    Precisamos profundamente e urgentemente voltar à teologia dos reformadores,que era centrada no SOLA SCRIPTURA,e na Glória de Deus,só assim as fortalezas do místicismo,do individualismo,do síncretismo,do neo-pentecostalismo(que é filho do pentecostalismo) cairiam por terra!

    Que Deus nos ajude a defender a verdade com amor.

    ResponderExcluir
  13. Irmão Elson!
    É exatamente nessa tecla que eu bato.
    Admito que sem uma teologia bem embasada e normativa, o pentecostalismo vira um terreno fértil para heresias e modismos.
    E isso foi um erro grosseiro cometido por alguns dos herdeiros do pioneirismo.
    Há muitas divisões e subdivisões em nosso meio.
    Muitos que deixam as igrejas "matrizes" por assim dizer, e "esquecem" de levar consigo a teologia pentecostal baseada nas escrituras e focam nas experiências. O resultado esta ai.Quase todo dia aparece uma "obra de arte" nova para fazer qualquer cristão ficar rubro de vergonha... ou de raiva.E este é um problema na estrutura eclesiástica pentecostal.
    Como assim? Graças a Deus, de uns 20 anos para cá, o estudo teológico tem sido finalmente reconhaecido como ultranecessário para a formação de obreiros nas Assembléias de Deus.
    Falta me a informação se é assim em todas as Assembléias de Deus ligadas a CGADB pelo Brasil,porém aqui no Sul,Mais especificamente em SC, só se é ordenado ao diaconato ou ao presbitério se possuir o atestado de frequencia ou o diploma de conclusão do seminário teológico.Para mim isto é um grande avanço,porque nem sempre foi assim.Antigamente bastava ser um pouquinho assidúo ou at´´e mesmo ter uma certa influência com o Pastor presidente e pronto.... em pouco tempo estava até dirigindo uma congregação.Isto para mim era uma vergonha de dar ânsias. Por outro lado, aqui acontece muito o seguinte fato:
    O cidadão não quer nada com teologia muito menos com bíblia,em consequência não cumpre os requisitos para ser ordenado ao ministério.
    Mas o mesmo quer ser lìder,quer ser presbitero,quer ser pastor e etc.
    E tem um certo carisma,e usa frases de efeito do tipo, "hoje não vim debater teologia,mas vim trazer uma mensagem "quentinha do céu" para os irmãos.
    Pronto! está reunido todos os ingredientes para o nascimento de uma nova igreja.
    Devido á facilidade que se tem para abrir igrejas, o camarada prepara uma garagem,manda fazer uma placa com o nome Assembléia de Deus só colocando um sobrenome por exemplo "Assembléia de Deus socando a cara do inimigo" leva os seus súditos e lá eles se deleitam das mais variadas e criativas formas litúrgicas imagináveis.
    A distinção precisa ser feita.

    Não dá pra comparar por exemplo, David Wilkerson,(de saudosa memória), um homem que chorava quando falava das heresias propagadas pela Confissão Positiva, com o bizarro e confuso Benny Hinn! Ambos saíram das Assembleias de Deus e continuam carismáticos, mas em caminhos totalmente diferentes. Na Times Square Church, fundada por Wilkerson, jamais você verá as manifestações da "Bênção de Toronto", mas na igreja independente de Benny Hinn as bizarrices já são parte da liturgia.
    Fique na Paz!

    ResponderExcluir
  14. Caro irmão Adeilton.

    Agradeço a sua indicação á leitura do Livro acima citado, porém,gostaria de fazer algumas considerações á respeito de suas afirmações.

    Não considero que seria coerente de minha parte consultar um autor cessacionista antipentecostal para, em suas palavras, "conhecer profundamente a minha crença pentecostal".
    Receio que posso conhecer a minha crença pentecostal mais profundamente lendo tratados bem menos tendenciosos a respeito do mesmo tema.
    Permita-me,com todo o respeito,declinar de sua proposta.

    Talvez,por questão de curiosidade,quando estiver sobrando algum dinheiro no bolso (o que anda sendo meio raro ultimamente rsrs),e depois de adquirido outras coisas que considero prioridades eu arrisque adquri-lo.

    Você fala, ( citando um trecho do referido livro que me recomendou):

    "O pentecostalismo achou um terreno fértil nas massas mais pobres da sociedade,se desenvolveu num clima de incertezas, tanto social como religioso nos EUA no final do século xviii,num clima de revolta contra os liberais e racionalistas,mas caiu no próprio buraco que cavou(experiências),essa é a palavra chave para entender o pentecostalismo,eles nunca se preocuparam em doutrina,veja um citação de um dos lideres mais importantes,conciste"puramente em uma experiência espiritual poderosa e individual"Donald Gee,the pentecostal movement,pag. 30(fonte livro citado acima)"

    Só por este trecho,já posso ver em seu livro fortes resquicíos de fundamentalismo,(no mau sentido),esse fundamentalismo que considero altamente perigoso, porque se confunde facilmente com o bom e necessário fundamentalismo bíblico,um fundamentalismo tradicional e denominacional que tem como uma das peculiaridades gerar o sentimento de soberba(mal que tem acometido muitos reformados) chegando ao cúmulo de despertar o sentimento de exclusividade,como acontece com muitas seitas declaradamente heréticas como mórmons e testemhunha de Jeová. Dias atrás no facebook tive a infelicidade de ver uma reformada me dizendo que todos os pentecostais e aqueles que crêem na atualidade dos dons, são servos do Diabo e se houver algum eleito nesses meios terá que vir para uma igreja reformada cessacionista.
    Eu não sabia se ria ou se chorava.

    Vou levar a minha filha no colégio e volto daqui a pouco.
    Gostaria de falar sobre a sua citação que copiei nesse comentário

    ResponderExcluir
  15. Irmão "fabiodc79"esse texto que irmão colocou entre( ")não é do livro,é meu,o único texto do livro que fiz o exerto foi a citação de Donald Gee,só pra ficar entendido ok?

    Assim como o Pr.Frederick Dale Bruner, em seu livro(Teologia do Espírito Santo)estudou o pentecostalismo desde suas próprias fontes,e analisou todos os textos de Atos e Coríntios e a própria história do pentecostalismo os pentecostais que se prezam deveriam estudar também a teologia reformada desde suas fontes,para fazer suas objeções contra a reforma se é que conseguirão.

    ResponderExcluir
  16. Caro Irmão Adeílton!
    Vou repetir a sua citação para uma maior clareza e fácil localização nos comentários.

    "O pentecostalismo achou um terreno fértil nas massas mais pobres da sociedade,se desenvolveu num clima de incertezas, tanto social como religioso nos EUA no final do século xviii,num clima de revolta contra os liberais e racionalistas,mas caiu no próprio buraco que cavou(experiências),essa é a palavra chave para entender o pentecostalismo,eles nunca se preocuparam em doutrina,veja um citação de um dos lideres mais importantes,conciste"puramente em uma experiência espiritual poderosa e individual"Donald Gee,the pentecostal movement,pag. 30(fonte livro citado acima)"

    Uma análise menos parcial da história confirma o exposto acima?
    Uma analise fria da história nos mostra que não. Surgido oficialmente em abril de 1906, o pentecostalismo teve como principal líder a figura do negro Wiliam Joseph Seymour. Aluno do metodista racista Charles Fox Parham, Seymour sentiu na própria pele a crueldade do racismo estadunidense. Assíduo freqüentador das aulas bíblicas ministradas por Parham, Seymour tinha sua presença em sala de aula proibida pelo fato de ser negro. Posteriormente, como líder do novo movimento religioso que seria conhecido como pentecostalismo, foi responsável por uma integração racial jamais vista nos EUA do início do século XX. Assim, essa verdadeira democracia racial incomodou a elite branca estadunidense majoritariamente vinculada ao fundamentalismo protestante.

    Karen Armstrong em seu ótimo livro “Em nome de Deus- o fundamentalismo no judaísmo, no cristianismo e no islamismo ", confirma tal tese. Vejamos:

    “Nesses primeiros anos parecia que uma nova ordem mundial estava surgindo em seus cultos. Numa época de insegurança econômica e crescente xenofobia, negros e brancos oravam juntos e se abraçavam. Seymour se convenceu de que era essa integração racial, e não o dom de línguas, que constituía o sinal decisivo do fim dos tempos”.

    O historiador David Daniel III confirma os dados transmitidos por Karen:

    “A Missão da Fé Apostólica de Seymour serviu de modelo para as relações raciais. De 1906 a 1908, negros, brancos, latinos e asiáticos adoravam juntos na missão. Líderes pentecostais brancos, como Florence Crawford, Glenn Cook, R.J.Scott e Clara Lum, trabalhavam com o pastor Seymour, e com algumas mulheres negras como Jennie Evans Moore, Lucy Farrow e Ophelia Wiley. O pentecostalismo nascente teve de encarar sua identidade racial numa época em que a maioria das instituições e movimentos cristãos e sociais dos Estados Unidos esposava a segregação racial. Frank Bartlemann, que participou do avivamento na Rua Azusa, expressa sua admiração – A segregação racial foi apagada pelo sangue de Jesus! Enquanto batistas, metodistas, presbiterianos e comunhões holiness, no período de 1865 a 1910, tendiam à segregação racial em suas congregações, associações e estruturas denominacionais, brancos e negros pentecostais pastorearam, pregaram, comungaram e adoraram juntos de 1906 a 1914. Em geral, antes de 1914, os ministros pentecostais brancos independentes recusavam a filiar-se a emergentes denominações pentecostais de tendências segregacionistas, embora muitos deles fossem membros do grupo pentecostal holiness de maioria negra, a Igreja de Deus em Cristo. A liderança pentecostal condenava com veemência as atividades da Ku Klux Klan, e muitas vezes foi alvo do terrorismo dessa organização, por causa da ética inter-racial do pentecostalismo. Parham demonstrava um comportamento racista e uma atitude arrogante em relação a seus colegas negros, especialmente Seymour”.

    ResponderExcluir
  17. .
    Tais ideais eram inaceitáveis para o típico protestante conservador norte-americano. Convém lembrar que o fundamentalismo protestante(o mau fundamentalismo), posteriormente associado aos grotões menos desenvolvidos dos EUA, em seu início foi financiado por elementos altamente influentes da elite, como os magnatas ligados a indústria petrolífera Lyman e Milton Stewart, responsáveis pela publicação, entre 1910 e 1915, da famosa série de folhetos “Os Fundamentos”, considerados textos basilares para a ortodoxia protestante.

    Portanto, qualquer movimento que alterasse a ordem estabelecida seria considerado absolutamente herético. Além da integração racial promovida pelos primeiros pentecostais, outros fatores contribuíram para o repúdio manifestado por setores magistrais do protestantismo norte-americano. O culto altamente participativo, responsável pela quebra de barreiras entre clero e laicato, não poderia ser aceito normalmente por uma sociedade fortemente hierárquica. Não bastando, a composição sócio-econômica bastante humilde da maior parte dos integrantes do pentecostalismo original despertou uma oposição virulenta em setores ligados ao grupo majoritário e conservador do protestantismo americano.

    Mais uma evidência de fundamentalismo cessacionista em seu livro é a citação de Donald Gee,totalmente fora de seu contexto original.

    Donald Gee é o pioneiro na teologia pentecostal e dono de declarações como essas a respeito da suficência das escrituras:

    "Existem graves problemas sendo levantados pelo hábito de dar e receber "mensagens" pessoais de orientação por meio dos dons do Espírito. A Bíblia dá lugar para tal direção vinda do Espírito Santo. Tudo isso, porém, deve ser mantido na devida proporção normatizadora da Palavra de Deus. O exame das Escrituras mostrará que, de fato, os primeiros cristãos não recebiam continuamente tais vozes do céu. Muitos de nossos erros na área dos dons espirituais surgem quando queremos que o extraordinário e o excepcional sejam transformados no frequente e no habitual. Que todos os que desenvolvem desejo excessivo pelas "mensagens" possam aprender com os enormes desastres de gerações passadas e com nossos contemporâneos. As Sagradas Escrituras é que são a lâmpadapara os nossos passos e a luz que clareia o nosso caminho."

    GEE, Donald. Spiritual Gifts in The Work of Ministry Today. 1 ed. Springfield: Gospel Publishing House, 1963. p 51.
    Dons espirituais e o trabalho do Ministro hoje de tradução livre.

    continua...

    ResponderExcluir
  18. Caro "Fábiodc79" sabia que irmão é cessacionista também?como assim irmão Adeilton?eu fui assembleiano e sei que os pentecostais "clássicos"não acreditam que hoje existe o dom apostólico,qual a diferença dos reformados acreditarem que as línguas(idiomas)bíblicas cessaram dos pentecostais que acreditam que o dom apostólico(assim como nos também acreditamos)cessou também?

    Qual é a diferença irmão?voçês são cessacionistas também,a diferença é que nós acreditamos que tanto o dom apostólico quanto as línguas cessaram.

    ResponderExcluir
  19. Irmão Adeílton!
    Cofesso que não entendi a sua afirmação.

    "Assim como o Pr.Frederick Dale Bruner, em seu livro(Teologia do Espírito Santo)estudou o pentecostalismo desde suas próprias fontes,e analisou todos os textos de Atos e Coríntios e a própria história do pentecostalismo os pentecostais que se prezam deveriam estudar também a teologia reformada desde suas fontes,para fazer suas objeções contra a reforma se é que conseguirão."


    Você parece meio confuso.Onde você viu eu tentar fazer alguma objeção contra a reforma?
    E sim,claro que se eu fosse tentar fazer alguma objeção contra a reforma iria procurar conhecer as fontes corretas acerca da reforma.
    Muito diferente do que você tentou fazer ao recomendar o seu livro para eu "conhecer mais profundamente a doutrina pentecostal".
    Fazer crìticas e objeçoes consultando qualquer fonte é coisa de reformado cessacionista e inquisidor que quer queimar tudo e todos que não rezam sua cartilha.
    Se ainda não percebeu,não estou fazendo críticas nenhuma a reforma, ou a fé reformada,
    estou somente mostrando as incoerências de autores como o do seu livro que segundo você parece querer mostrar, faz críticas "irrefutáveis" mostrando as fontes pentecostais. Citar fonte de forma distorcida e tendenciosa é um "pouco" mais fácil do que citar de forma integral e honesta.

    Lembre-se é você e não eu, que está tentando desqualificar minha confissão de fé.


    E falando em reforma...
    O fundamentalismo de tradição e denominacional sempre procura usar a reforma para justificar o seu exclusivismo disfarçado de pureza doutrinária.
    Para muitos parece que o único reformador foi João Calvino.Aliás pelo que tenho visto,em alguns reformados,Calvino é muito mais que um reformador, é uma espécie de 4°membro da trindade.
    Agindo dessa forma desprezam e ignoram toda e qualquer evidência que não esta de acordo com o pensamento de Calvino.
    Creio na predestinação não porque Calvino assim ensinou,mas, creio na predestinação porque acredito ser esta uma doutrina bíblica.
    Já no que concerne aos dons espirituais,eu discordo do cessacionismo de Calvino.
    Será que todos os reformadores e pais da Igreja eram cessacionistas?

    Veja isso:

    * Antes de João Crisostomo e Agostinho (III e IV século) nenhum pai da igreja disse q qualquer dom espiritual foi concedido pra igreja do 1º século;

    * O Didaquê diz pra deixar os profetas agradecerem a vontade;

    * Irineu: "também ouvimos de muitos irmãos que possuem dons proféticos e através do Espírito falam todo tipo de línguas."

    * Hilário de Poitiers (sec IV): "o dom do Espírito... por tipos de línguas..."

    * Agostinho: "... muitos milagres foram operados, estando ainda o mesmo Deus que operou aqueles de quais lemos a realizá-los..."

    * Lutero: "... imponha as mãos sobre o homem e diga: 'este sinais seguirão os que crêem; imporão as mãos sobre os enfermos..."

    * Lloyd-Jones: "Há evidências de muitos outros reformadores protestantes e pais da igreja de que alguns deles tinham um genuíno e verdadeiro dom da profecia...leias esses livros... vc encontrará esse dom de profecia..o Espírito Santo."

    -> Citações extraídas do livro "A igreja da palavra e do Poder" de Doug banister.

    No mais...
    Melhor parar por aqui.
    Cada um fique onde acha que deve ficar e cada um esteja seguro de si mesmo.
    Eu sei em quem tenho crido e á quem tenho servido.
    E tenho certeza que você também sabe a quem serve e em quem crê.
    Portanto sigamos a carreira proposta,porque o resto é debate inútil e de pouco proveito para o Reino
    Fique na Paz!

    ResponderExcluir
  20. Fábiodc79:

    Sinceramente não considero isso um debate inútil. Acho que estamos discutindo sobre uma questão importante, crucial, eu diria. Agora, claro, não podemos assumir uma postura de únicos donos da verdade. Ainda queria trocar algumas idéias contido que não ficaram muito claras, por isso vou repetir e com sua resposta voltaremos ao post:

    A teologia Pentecostal "clássica" não defende a contemporaneidade dos dons "revelacionais"? Ela não defende a possibilidade de "novas revelações", de novas "mensagens de Deus"? E só pra ficar claro: quando digo "nova" é nova mesmo, ou seja, que não está escrita na bíblia.

    Adeílton:

    Sua participação foi muito boa nesse debate. Quando da Assembleia de Deus, vc falava em linguas estranhas? Podes descrever a experiência? Novas revelações?

    ResponderExcluir
  21. Caro irmão "calvinista",

    Como disse anteriormente, eu fui da AD durante cinco anos,mas nunca tive a experiência pentecostal de falar em "línguas estranhas",mas estudei a doutrina,conheço muito bem,abandonei porque finalmente cheguei à conclusão de que não se harmoniza com as Escrituras.Hoje sou da Igreja Presbiteriana do Brasil,na cidade de Cajazeiras-Pb,pastor efetivo aqui em Cajazeiras Clodoaldo Brunet,

    Abandonei não somente as "línguas",mas também o arminianismo,dispensacionalismo,pentecostalismo,legalismo, ufa!tanto termo!mas quem conhece sabe o que estou dizendo.

    conheci,amei,me encantei,adorei,me fascinei ,não tenho adjetivos para expressar o quanto amo a teologia reformada,como diz J.I.Packer no seu livro; voltei ao antigo evangelhho,o evangelho da graça de Deus.Os assembleianos precisam conhecer esse evangelho,não o do legalismo,porque para receber o batismo tem que;buscar,jejuar,santificar,chorar,orar,etc...
    onde está o "charisma",pelo que eu saiba "charisma"é dom e dom é gratuito;onde está também a soberania de Deus Espírito Santo,
    Só depende dele,não depende de nós,tem gente que marca até o dia de Deus operar,pode?

    Que Deus nos ajude.

    ResponderExcluir
  22. Caro Fábio Você acabou de me mostrar que esse tipo de debate é inútil.

    Já tentei lhe explicar em outras oportunidades que faz se necessário a distinção entre comunicação(profecia) e revelação divina(bíblia).
    Fica evidente que você não quer entender a forma como tento lhe explicar o meu ponto de vista. Lembra que eu já lhe falei tentando usar o exemplo da oração respondida?

    Nós vamos rodar e parar no mesmo lugar.
    Além do mais,eu não tenho o interesse de te convencer de nada.Sua tentativa de tetar me "pegar" na questão de:
    Se é nova revelação,então é heresia,se não é nova revelação é desnecessário porque está na Bíblia. Eu já saquei.
    Por isso se faz necessário a distinção entre revelação, que é o cânon e comunicação.
    Pois as profecias são relativas as coisas relevantes para a Igreja ou para um individuo.
    Por exemplo: Certa vez, quando tinha acabado de me formar no seminário teológico,e tinha o desejo de ser ordenado a obreiro,além disso eu estava indeciso se ficava na Assembléía de Deus ou ia para outro ministério cujo pastor era muito meu amigo(ainda é).Na época eu trabalhava com vendas e fui em um distrito vizinho ao meu e tive que ficar por lá durante uns dias.Um noite fui fazer uma visita na igreja local. Em certo momento do Culto um jovem veio até mim e disse me que era para mim ficar onde estava que Deus iria realizar o desejo do meu coração e além disso iria colocar um povo em minhas "mãos". Eu fiquei na assembléia de Deus, e duas semanas depois fui ordenado a diácono e no intervalo de mais uma semana fui nomeado segundo dirigente de uma congregação,cujo presbítero trabalhava em turnos e eu praticamente era o dirigente do local. Entendeu?
    No que a bíblia foi ofendida ou o que foi adicionado á bíblia neste caso?
    Diga que defende a idéia que Deus não se comunica senão através da bíblia mas chega dessa história de novas revelações.
    Além do mais, é cansativo ter de responder dois ao mesmo tempo.

    O irmão Adeílton se autonomeia um expert em pentecostalismo,porém em meia duzia de linhas já provou que não conhece tanto o quanto acha que conhece.


    Irmão Adeílton:

    Charisma no original denota um significado de dom ou graça imerecida.
    Um pastor presbiteriano devia saber disso.
    Estudou tanto as doutrinas pentecostais que esqueceu uma parte tão importante como 1 co 14.1?
    E como se busca as coisas de cima?
    Assistindo tv?
    Sentado em frente a um computador tentando provar desesperadamente que quem pensa diferente não esta alinhado as escrituras?
    me poupe.
    Tem alguma coisa contra oração,nunca experimentou um tempo em consagração ao seu Deus?
    Ame, se encante,adore enfim, fique a vontade com a sua doutrina reformada cessacionista,mas por favor, deixe nós pentecostais em paz, até porque já mostrou que não entende tanto o quanto parece.
    Fiquem na paz

    ResponderExcluir
  23. Prezado Fábiodc79:

    Tenha mais um pouco de paciência comigo...rs. Ninguém vai convencer ninguém aqui..rs. É que estou querendo entender mesmo esse negócio. Acho que falta pouco. Permita-me repetir sua fala:

    "Em certo momento do Culto um jovem veio até mim e disse me que era para mim ficar onde estava que Deus iria realizar o desejo do meu coração e além disso iria colocar um povo em minhas "mãos". É o típico "eis que te digo varão".

    Mesmo considerando a distinção que vc propõe, baseado evidentemente em alguns teóricos importantes, ainda não consigo entender. Minha dúvida a seguinte:

    Quem mandou esse jovem (vaso..rs..foi mal..rs.) dizer o que disse a você? O próprio Deus? Deus falou pra ele e ele falou pra você? É isso mesmo? Porque eu entendo que se foi realmente Deus que falou, logo, é palavra de Deus, ou seja, é bíblia também. Considerando que foi o próprio Deus quem disse isso, posso imprimir e anexar na minha bíblia?

    É só essa minha dúvida. Resolvendo isso o resto é fácil.

    ResponderExcluir
  24. Irmão "Fábiodc79",

    Eu não me acho um expert em nada,apenas penso e essa é minha opinão,e não quero de forma nenhuma tirar a sua paz(rsrsrs),mas pense, não me ache arrogante e nem dono da "verade",Deus não precisa que ninguém que o defenda,eu não estou querendo provar nada,estamos apenas discutindo .A Bíblia diz que nada há novo debaixo do sol(Ec 1 9,10),isso que nós estamos discutindo,já foi discutido desde os tempos de montano(montanismo)que achava que poderia ter uma experiência direta com Deus(misticismo).
    Os quakers também,os irvignitas também,os entusiastas da ala esquerda da reforma (anabatistas)também,e bem recente os wesleianos,e depois voçês os pentecostais que são frutos de todos esses movimentos, sabia?

    Veja no que acreditavam os montanistas:

    "1.Começou o último período da revelação.É o dia de dons espirituais.O reconhecimento(agnitio)dos charismata espirituais é um traço distintivo do montanismo.Trata-se primeiramente do reconhecimento de parácleto...

    2.A ortodoxia dos montanistas é reconhecida-sua aceitação da regra de fé.O monarquismo em pronunciamentos de Montano é devido à falta de cultura teológica...

    3.A proximidade do fim do mundo é fortemente enfatizada.

    4.Há exigências morais severas".

    Fonte:(teologia do Espírito Santo,Frederick D.Bruner,pag.28)

    Irmão Fábiodc79,eu te pergunto?os pentecostais modernos,também não acreditam dessa mesma forma?

    ResponderExcluir
  25. Caro Irmão Adeílton!

    Não sei se você leu os meus extensos comentários anteriores,porém em certo momento falei em fundamentalismo tradicional ou mau fundamentalismo.Esse fundamentalismo que é tão facilmente confundido com o fundamentalismo bíblico.Fundamentalismo exclusivista que se utiliza de informações turvas e comparações desonestas para tentar condenar tudo aquilo que não reza a sua cartilha tradicional e até mesmo denominacional.

    A citação de Montano é somente mais uma das muitas provas do que acabei de escrever acima:

    Roger Olson em seu livro: História da teologia Cristã, fala um pouco a respeito de Montano e as consequências de suas Heresias sobre a Igreja primitiva:

    "Lloyd-Jones, traz em suas observações desse principio o que pode ter ocorrido na igreja primitiva, o desaparecimento dos dons, não porque eles cessariam, mas porque os novos supervisores do cristianismo pós apostólico, introduziram uma mentalidade oposta, aos dons espirituais. O Dr Roger Olson faz a observação conclusiva: “Numa reação contra os EXCESSOS e as REINVIDICAÇÕES EXCLUSIVISTA DE MONTANO e seus seguidores, os lideres da igreja procuraram se apoiar cada vez menos em manifestações verbais sobrenaturais, como línguas, profecias e outros dons, sinais e milagres sobrenaturais do Espírito. Finalmente tais manifestações carismáticas passaram a ser injustamente, tão identificadas com Montano e o cisma montanista que quase se extinguiram sob a pressão de bispos temerosos e dos imperadores cristãos posteriores"

    HISTÓRIA DA TEOLOGIA CRISTÃ. Roger Olson, Editora Vida, Pág 31 e 32.

    Agora vamos analisar:
    Excessos e reinvicações exclusivistas?
    Como assim?
    Quem foi Montano?

    Eusébio de Cesaréia pode nos dar uma noção resumida:

    "O historiador primitivo Eusébio de Cesaréia, em sua obra História eclesiástica, conta que, por volta do século II, apareceu um pregador por nome Montano. Este era convertido ao cristianismo e, em certo momento, sentiu que não era somente um porta-voz do Espírito Santo, mas sua encarnação. Afirmava que o paracletos, prometido em João 14.26, se encarnara em sua própria pessoa, apresentando-se como uma presença viva dele. Montano era homem de costumes severos, exigente e tinha como companheiras de evangelização duas mulheres: Priscila e Maximila, profetisas e sacerdotisas. Sua ação proselitista foi tal que até mesmo o célebre Tertuliano embrenhou-se no montanismo".

    Revista Defesa da Fé, ano 04, nº 25, agosto de 2000.

    ResponderExcluir
  26. Se achar algum pentecostal por ai que acredita ser a encarnação do Espirito Santo, por favor,ligue para o hospício mais próximo.

    Forçar a barra para tentar tornar o pentecostalismo similar ao Montanismo é só mais uma das acusações infundadas a que o pentecostalismo tem sofrido.
    Outra coisa:

    Sobre exigências morais severas:
    Não confunda o ascetismo de Montano com usos e costumes de alguns grupos pentecostais.

    A proximidade do fim do mundo enfatizada não procede.
    As vezes escudo alguma coisa sobre escatologia
    ou a volta de Cristo(Ou é pecado falar sobre isso ?)
    Mas não é com frequência que esses assuntos são mencionados.
    Pelo menos não com a frequência que você espera.

    Quando você cita o item 2:

    "2.A ortodoxia dos montanistas é reconhecida-sua aceitação da regra de fé.O monarquismo em pronunciamentos de Montano é devido à falta de cultura teológica..."

    Confesso que não entendi direito,mas, posso interpretar da maneira como eu acho que você quis dizer?
    Ou seja: Que os montanistas eram hereges porque literalmente lhes faltava cultura,ou seja eram incultos teológicos,fato que ocorre com a esmagadora maioria dos que não possuem instrução ou cultura secular?
    Sendo assim,o que fica nas entrelinhas é:
    Como no montanismo, o pentecostalismo é uma confissão de fé defendida por um bando de iletrados hereges desprovidos de cultura!
    Alguns pentecostais se incomodam com isto,porém,vou lhe dizer com sinceridade.
    Não me incomodo com isso,pelo contrário,de muitas formas até acho isso altamente proveitoso.

    Fique tranquilo,você não tira a minha paz.
    Só estava prevendo que essa "discussão" ia tomar ares maiores,e quis exatamente evitar isso.E ao que parece voc~e quer levar pra frente. Já disse ao Fábio e falo á você,não pretendo provar nada para ninguém.
    Gosto de leitura e só contra argumento algumas argumentações com o que tenho em mãos.Mas não para enfiar goela abaixo o meu ponto de vista como fazem alguns,(não estou lhe dando indireta,admito que fui irônico em outras ocasiões,mas não estou sendo agora).Quando faço isso ( contra argumentar) é somente com o intuito de mostrar que os argumentos apresentados por meus "oponentes" não são conclusivos,assim como sei que os meus também não são.
    Fique na Paz!

    ResponderExcluir
  27. Fabiodc79:

    Por favor, não esqueça de mim. Vou repetir, pra facilitar:

    "Em certo momento do Culto um jovem veio até mim e disse me que era para mim ficar onde estava que Deus iria realizar o desejo do meu coração e além disso iria colocar um povo em minhas "mãos". É o típico "eis que te digo varão".

    Mesmo considerando a distinção que vc propõe, baseado evidentemente em alguns teóricos importantes, ainda não consigo entender. Minha dúvida a seguinte:

    Quem mandou esse jovem (vaso..rs..foi mal..rs.) dizer o que disse a você? O próprio Deus? Deus falou pra ele e ele falou pra você? É isso mesmo? Porque eu entendo que se foi realmente Deus que falou, logo, é palavra de Deus, ou seja, é bíblia também. Considerando que foi o próprio Deus quem disse isso, posso imprimir e anexar na minha bíblia?

    ResponderExcluir
  28. Fábio,não esqueci de você!
    o que ocorreu foi que eu estava lendo sobre Montanismo dias atrás e achei oportuno responder ao Adeílton!
    Vou almoçar e em seguida lhe respondo.

    ResponderExcluir
  29. Prezado Fábio!
    Não estou sem paciência com você.
    Só estou tentando lhe dizer que nós não chegaremos á um consenso. E você pode fazer agora o que realmente quer fazer( Dizer que não acredita em dons revelacionais, e me poupar o tempo e energia de escrever...escrever...e escrever...em vão
    Pois é exatamente isso que tem acontecido.
    Acredito que você (tendo em base o que já escrevi)já teve informação o suficiente para entender a minha posição.
    Já lhe falei que as profecias têm caráter comunicativo e não revelacional.
    Além do mais,me parece que a ironia e o cinismo está querendo se evidenciar mais do que a "curiosidade".

    Segue um trecho de um téologo abordando este assunto:Já disse,não tenho interesse em convencer ninguém!

    Mas antes de publicar o texto,deixe-me fazer algumas considerações.

    Diante dos traços de ironia detectados em seu comentário: desejo considerar o seguinte.

    É mais que evidente que os dons não implicam em salvação,portanto,os que não crêem e não buscam e por consequência não os praticam não tem o que temer.
    Porém,mostre-me um tratado cessacionista irrefutável a respeito do cessacionismo.
    Eu,um simples diácono,dias atrás estava lendo alguns artigos do Pastor Moisés Bezerril,um ferrenho cessacionista,discorrendo acerca da cessação dos dons.O autor usou os termos no grego etc e tal.Aí muitos cessacionistas pegam esses estudos e fazem disso um "cânon" irrefutável.Esquecem ou ignoram que existem tratados elaborados por teólogos continuistas que pegam os mesmos termos também na lingua original e chegam a uma outra conclusão.
    além do mais, no texto do referido téologo cessacionista acima citado, é encontrado termos como "é possivel que" e depois em cima deste termo "é possivel que", encontramos frases como, "diante disso concluímos que"...
    Fábio, isso é subjetivismo puro.
    Subjetivismo, não verdade absoluta.

    ResponderExcluir
  30. Diante disso seria prudente tomar uma atitude cínica e zombetereira?
    Pense por um momento, que talvez exista a possibilidade dos dons Espirituais ainda estarem em vigor!
    Não seria mais prudente tomar uma posição um pouco mais respeitosa,mesmo que não creia em tais?(Claro,exceto em casos de declaradas aberrações como você está acostumado a ver).
    Augustus Nicodemos é cessacionista convicto(como você sabe) mas possui o respeito em unanimidade dos teólogos pentecostais porque se mostra prudente em sua postura sobre esse assunto.
    Certa vez eu estava visitando um fórum e li um comentário de que um proeminente teólogo cessacionista admitiu ser difícil refutar um continuista bem embasado.Pode descartar essa última frase, se quiser, porque não me lembro do nome do teólogo nem a fonte.Mesmo assim,fica claro que até hoje ainda não conseguiu se provar satisfatoriamente a cessação dos dons sem uma boa dose de subjetivismo.Diante disso,atitudes como a de Nicodemos,são sempre consideradas sábias e até eticamente elegantes.

    Sobre o autor:
    Gordon Chown é inglês, mas vive em Jundiaí (SP). Nasceu no anglicanismo, mas hoje é um importante teólogo pentecostal. Dedicou toda a sua vida com traduções de livros, que vão de devocionais até obras eruditas, publicadas por editoras como: CPAD, Cultura Cristã, Vida e Vida Nova. É autor do livro Os dons do Espírito Santo, importante obra para a teologia pentecostal brasileira.

    Dons Espirituais: Reflexões pastorais sobre a interpretação e uso dos dons

    è muito extenso,portanto vou citar somente a parte que nos interessa.

    3. As Profecias

    3.1. No Antigo Testamento

    Quanto à profecia, sem se tratar de mensagens inscrituradas de modo perpétuo através do Espírito Santo, vemos grande quantidade de profetas, profecias, e profetizar nos livros históricos da Bíblia. Esses livros eram chamados Os profetas anteriores pelos judeus antigos – desde Josué até Neemias – principalmente porque neles surgiam, de tempos em tempos, e sem aviso prévio, servos de Deus (muitos deles anônimos) que interviam com mensagens da parte de Deus, ou que inclusive dominavam a narrativa por algum tempo, tais como Samuel, Elias, Eliseu. E também havia grupos de profetas, escolas de profetas, dos quais se diz apenas que “profetizavam.” Até mesmo temos Saul “profetizando”, sem prever o futuro nem ditando Escrituras.

    No contexto histórico, esse verbo dá mais a impressão de fervoroso louvor e glorificação. Nenhuma tentativa de concorrer com novas doutrinas. Por contraste com os “Profetas Posteriores” – de Isaías até Malaquias – cuja doutrina é registrada por toda a eternidade.



    3.2. No Novo Testamento

    Semelhantemente, no “dom da profecia” no Novo Testamento, temos profecias “ad hoc” – aplicadas à situação momentânea de uma ou mais pessoas, sem transmitirem nova doutrina – é somente “adiáfora” matéria que não faz diferença ao conteúdo da fé. O contexto é idealmente uma reunião da igreja, com leitura bíblica, pregação, louvor, orações espontâneas, com a presença do Espírito Santo em plena manifestação (e não uma presença “alegada” como no caso de um Concílio do Vaticano). Num culto assim, surge milagrosamente uma mensagem de profecia, ou em línguas, seguida de interpretação, que é exatamente o que alguém está precisando naquele exato momento – e é pelo Espírito que esse alguém reconhece que se trata de Deus falando ao seu coração. Acaba sendo um duplo milagre – assim como em Atos 2, os apóstolos falaram segundo o dom das línguas milagrosas, e os circunstantes entendiam segundo seus idiomas ou dialetos maternos. Repudiável seria fazer um registro de semelhantes mensagens, e guardar na igreja como uma preciosidade perpétua".

    Vou sair com a patroa.
    Já está reclamando,querendo saber o que faço tanto na frente do computador.
    Fique na paz!

    ResponderExcluir
  31. Prezado Fabiodc70:

    Se não queres responder com clareza o que te perguntei é uma coisa, agora não use minhas "possíveis" atitudes cínicas para não responder.

    As questões que levantei são importantes para meu entendimento do assunto. É dúvida mesmo, no sentido de querer saber de um pentecostal. Da própria fonte. Porque o que sei é de leituras e outras fontes. Então, permita-me insistir nisso. Entendi perfeitamente sua distinção entre comunicação e revelação. Mas isso não resolve o problema. A questão é identificar quem foi o autor do "recado" que você recebeu, independentemente se o chamamos de revelação ou comunicação. Me parece que aqui não tem nada de subjetivo, não é? É tudo muito objetivo, portanto, por favor, responda com clareza:

    Quem mandou esse jovem dizer o que disse a você? O próprio Deus? Deus falou pra ele e ele falou pra você? É isso mesmo?

    Porque eu entendo que se foi realmente Deus que falou, logo, é palavra de Deus, ou seja, é bíblia também. Infalível, inclusive, no caso de ter sido Deus. Acho que ninguém questiona isso, não é? Considerando que foi o próprio Deus quem disse isso, posso imprimir e anexar na minha bíblia? (não entenda isso como um insulto). É que quero ter essa informação de um "autêntico Pentecostal", que já viveu essa "experiência", inclusive.

    ResponderExcluir
  32. Fabiodc70:

    Comentei com o login da minha filha, mas sou eu mesmo...rs...pode responder.

    ResponderExcluir
  33. Caro Fábio!
    Pelo jeito que você falou até parece que eu me desviei de sua pergunta, dando a impressão que não fui direto em minha resposta.
    Mas você leu o trecho que lhe passei de Gordon Chown?
    Meu Deus Fábio! Não sei mais como lhe dizer.
    Olha só:

    "Semelhantemente, no “dom da profecia” no Novo Testamento, temos profecias “ad hoc” – aplicadas à situação momentânea de uma ou mais pessoas, sem transmitirem nova doutrina – é somente “adiáfora” matéria que não faz diferença ao conteúdo da fé. O contexto é idealmente uma reunião da igreja, com leitura bíblica, pregação, louvor, orações espontâneas, com a presença do Espírito Santo em plena manifestação..."

    Ou seja:
    Desculpe,ningéum é obrigado a conhecer o termo ad hoc.Quando lí pela primeira vez,tive que consultar um dicionário.
    Ad hoc= para um fim específico.
    São mensagens para um fim específico não tendo como função aplicar uma nova doutrina.

    A profecia que Paulo recebeu em Atos 21.11 foi especifica para ele.
    Todo continuísta crê que Deus fala da também da mesma maneira hoje com os homens.
    ai você alega,"mas o conteúdo esta escrito no cânon".
    mas você tem que concordar que aquela profecia foi específica para a vida de Paulo,certo?
    Agora vamos analisar outras profecias desse caráter na bíblia:

    Pegue a sua bíblia e abra em atos 19.6.
    Os homens que profetizaram quando Paulo lhes impôs as mãos.... Qual foi o conteúdo da profecia? Você crê que profetizaram da parte de Deus, correto?
    Mas o que exatamente eles profetizaram? foi anexado ao cânon?.

    Ainda,seguindo a sua lógica,o dom de profecia que você lê na carta aos corintios...
    Tudo bem não crer que são para a atualidade.
    mas você também não crê que os irmãos profetizavam nos cultos naquela época?
    Onde está relatado o conteúdo das profecias de 1 co 14
    leia 1 co 14.5.
    Seguindo a sua lógica o conteúdo da mensagem que aqueles irmãos profetizaram era para ser incluido nas escrituras.Onde está?
    Ou você não crê que os irmãos que paulo estava se referindo não profetizaram da parte de Deus?
    Espero ter sido um pouco mais claro.

    Obs:Dito isto Te recomendo ler novamente(com o que lhe falei agora em mente) o conteúdo de Gordon Chown que eu lhe passei,no comentário anterior para procurar entender como nós pensamos.
    Fique na paz!

    ResponderExcluir
  34. Boa noite meus caros irmãos permitam-me comentar com vocês tambem,me sinto bem pequeno perto dos irmãos em questão de conhecimento pois sou convertido a 5 cinco anos e não estudo teologia,visto que os irmãos são doutores no assunto, mais queria deixar aqui meu ponto de vista! como comentei acima sou batista tradicional, como batista acredito na atualidade dos dons mas não como os pentecostais, pois o apostolo enumerando os dons, colocou o dom de linguas por ultimo e no pentecostalismo ele ficou em primeiro como sendo a evidencia maior da presença do espirito santo sendo que a palavra não autoriza isso, as profecias e revelações tambem são desnecessarias pois o canön ja foi fechado, na minha visão o pentecostalismo se equivoca nessas questões biblicas,o proprio dom de linguas que tem que haver inteprete e não tem, que ore um de cada vez e varios oram ao mesmo tempo, e na minha opinião eh um dom meio que egoista pois não traz edificação ao corpo e sim a quem fala, a perca de salvação tambem entre varios outros.

    ResponderExcluir
  35. Meu caro filosofo estou fazendo um blog e queria saber se poderia listar o seu nele!
    o endereço esta aî
    omaanaim.blogspot.com

    ResponderExcluir
  36. Caro filosofocalvinista,
    Permita-me usar seu blog para elogiar o amado irmão Fábiodc79, pois não encontrei o email dele.
    Caro Fábiodc79,
    Meus parabéns! Além de erudito na palavra e conhecedor da historia eclesiástica eis um argumentador de fôlego! É incrível como não perdes a paciência e nem a clareza de raciocino, quando, ao refutar os argumentos de seus oponentes (que são vários!), "eles o obrigam, mediante a resistências fingidas, a repetir o vosso discurso sob mil formas diferentes, descendo a exemplos e detalhes cada vês mais elementares, até a exaustão."
    Continue com a espada afiada.

    ResponderExcluir
  37. Prezada Isacsenna:

    Obrigado pela participação. Concordo contigo. O Fabiodc79 é bom de argumentação. Discordo porém quando falas "resistências fingidas". As perguntas e as colocações são importantes para o esclarecimento dessa tema que é tão controverso. Se elas não tivessem sido feitas, vc não teria a oportunidade de elogiar os argumentos do Fabiodc70, porque não os conheceria. Ele foi provocado, estimulado e por isso pode demonstrar um pouco sua habilidade na defesa de sua fé, o que é bastante louvável.

    Prezado FAbiodc70:

    Agora me parece que as coisas ficaram claras.Me parece que a referência que citou de I Cor 14:15 não se presta a confirmar seu argumento. Contudo, foi bom lembrar que muitos que profetizavam à época apostólica não tiveram suas profecias incluídas na bíblia. Esse é um bom argumento. Talvez porque lhes faltavam o critério de apostolicidade. O fato é que não foram inclusas.

    Lembro também que há uma terceira carta de Paulo à igreja de Corinto que aprouve ao Soberano Espírito Santo não preservar e por isso ela não faz parte do cânon.

    Mas isso ainda não resolve nosso problema. Se aquelas profecias são da parte de Deus, são palavra de Deus. Isso é inegável. Portanto, infalível e inerrante. Quanto a isso não negocio. Deus não pode falhar nem dizer coisas com possibilidade de erro.

    Se aquelas profecias, e à época, novas revelações, não foram incluídas na bíblia, não o foram por algum motivo que a Deus pertence.

    Porém, se tivessem sido incluídos, não teríamos nenhum problema com isso. Afinal, seria, igualmente, palavra de Deus.

    Da mesma forma hoje. Não quero perder nenhuma "palavra de Deus". Se Deus manda algum recado, se alguém fala por boca de Deus, não tenha dúvida: é palavra de Deus, logo, pode estar na bíblia também. Vou imprimir e anexar na minha bíblia, sem nenhum problema com o texto que fala dos acréscimos. Afinal, são palavras de Deus do mesmíssimo jeito. Ou não?

    ResponderExcluir
  38. Caro filosofo calvinista,

    Não me interprete mal. Acho que você está sendo sincero em não abrir mão de suas convicções de imediato. Pois, há a possibilidade de os argumentos do adversário, por mais que sejam convincentes, não serem verdadeiros.
    Porém, não sou ingênuo de pensar que o debate desenvolvido em torno desse post segue os princípios dos filósofos socráticos em que a “conversação entre dois filósofos devia ser sincera e rigorosa como a de um homem que dialoga a sós com a própria consciência.” A vontade de estar com a razão e o medo de constatar que suas crenças estão equivocadas levam o debatedor a utilizar métodos ( cansar o adversário, argumentação falaciosa, insultos, ironias, etc.) que de forma alguma tem como fim a verdade.

    A paz do Senhor.

    ResponderExcluir
  39. Se o irmão "Fábiocd79" estudou teologia,ele deve ter estudado bibliologia.

    Agora eu pergunto para ele.Qual a diferença de revelação,inspiração e iluminação?

    ResponderExcluir
  40. Isacsenna:

    É uma pena que pense assim. Sua fala já denuncia que vc recaí no mesmo erro que condena. Essa é a postura de alguém que crê de forma absoluta nos pressupostos pentecostais e que não está disposto a abrir mão de suas convicções mesmo se convencido do erro. Evidentemente esse é um site calvinista, portanto, é minha tarefa defender, pela metodologia emprestada da filosofia, os argumentos calvinistas. E, aqui pra nós, acho pouquíssimo provável que todos os grandes teólogos da história do cristianismo, especialmente pós-reforma protestante, estejam equivocados no que diz respeito ao assunto principal desse post. Fico com eles.

    Tudo de bom! Sua participação foi muito boa. Fique absolutamente à vontade para trazer suas críticas e contribuições. Convido-o a ler e opinar também na nossa série sobre Pentecostalismo e Reforma Protestante.

    ResponderExcluir
  41. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  42. Caro Filósofo Calvinista,
    Mais uma vez creio ter sido mal interpretado. Não assumi nenhuma postura teológica (ate por que estou com duvidas sobre o assunto), meus comentários se restringiram ao debate em si. Quando elogiei o irmão "Fábiocd79" foi pela forma com que ele defendia suas ideias e não pelo conteúdo. Seu comentário “Evidentemente esse é um site calvinista, portanto, é minha tarefa defender, pela metodologia emprestada da filosofia, os argumentos calvinistas.” Só vem corroborar a minha tese de que não há uma busca sincera e rigorosa pela verdade e sim uma defesa apaixonada por uma tradição (no bom sentido da palavra). As minhas criticas não indicam uma parcialidade (pelo menos espero), mas o desejo de que as intenções fiquem claras.

    ResponderExcluir
  43. Isacsenna:

    De fato, tens alguma razão quando dizes que a uma tendência em defender a posição calvinista. Esse é o objetivo desse blog, como já adiantei. Porém, isso não acaba com a possibilidade do debate, como vc pressupõe nas entrelinhas. Até pq o Fabiodc79 também defende seu ponto de visto pentecostal de forma apaixonada. Você também demonstra certa simpatia pelo posicionamento pentecostal. Ora, acho que esse debate aqui, ainda que de forma sintética, contribui para o entendimento do assunto.

    ResponderExcluir
  44. Caro filósofo, concordo quando dizes: "Se Deus manda algum recado, se alguém fala por boca de Deus, não tenha dúvida: é palavra de Deus, logo, pode estar na bíblia também. Vou imprimir e anexar na minha bíblia, sem nenhum problema com o texto que fala dos acréscimos. Afinal, são palavras de Deus do mesmíssimo jeito. Ou não?" Isso é algo que deve ser observado pelos pentecostais. Não é o destinatário que vai determinar a inspiração, mas a origem divina, quer revelando, quer levando aqueles homens piedosos a registrar por escrito profecias, narrativas etc. O fato de Deus ter trazido algo diretamente para Paulo prova que esse algo é inspirado e seu registro me edifica de alguma forma quando da aplicação dos princípios que são universais, ainda que tenha tido por função primeira instruir Paulo, Moisés etc. Os muitos sinais e ensinos de Jesus que não foram registrados eram "Palavra" de Deus ou não? Sim, eram. Porquê eram? Bem... se Deus fala hoje COMO falava antes, se homens são movidos pelo Espírito Sto hj COMO naquele tempo, qual a diferença? Eu registro. E se o que é trazido por revelações hj pelos profetas pentecostais está na Bíblia, por que segundo eles os verdadeiros profetas não fogem da Bíblia, então devo eu registrar de novo e acrescentar, pois só de Evangelhos temos 04, sendo 03 sinóticos!!! Registrem, pentecostais, pois a história de Jesus foi registrada mais de uma vez, com alguns detalhes e propósitos diferentes, mas várias repetições. O amor a Deus sobre todas as coisas, a fidelidade conjugal, até 2ª vinda de Cristo etc., estão registrados mais de uma vez!!!!
    Anderson Cavalcanti

    ResponderExcluir
  45. Caro filósofo, concordo quando dizes: "Se Deus manda algum recado, se alguém fala por boca de Deus, não tenha dúvida: é palavra de Deus, logo, pode estar na bíblia também. Vou imprimir e anexar na minha bíblia, sem nenhum problema com o texto que fala dos acréscimos. Afinal, são palavras de Deus do mesmíssimo jeito. Ou não?" Isso é algo que deve ser observado pelos pentecostais. Não é o destinatário que vai determinar a inspiração, mas a origem divina, quer revelando, quer levando aqueles homens piedosos a registrar por escrito profecias, narrativas etc. O fato de Deus ter trazido algo diretamente para Paulo prova que esse algo é inspirado e seu registro me edifica de alguma forma quando da aplicação dos princípios que são universais, ainda que tenha tido por função primeira instruir Paulo, Moisés etc. Os muitos sinais e ensinos de Jesus que não foram registrados eram "Palavra" de Deus ou não? Sim, eram. Porquê eram? Bem... se Deus fala hoje COMO falava antes, se homens são movidos pelo Espírito Sto hj COMO naquele tempo, qual a diferença? Eu registro. E se o que é trazido por revelações hj pelos profetas pentecostais está na Bíblia, por que segundo eles os verdadeiros profetas não fogem da Bíblia, então devo eu registrar de novo e acrescentar, pois só de Evangelhos temos 04, sendo 03 sinóticos!!! Registrem, pentecostais, pois a história de Jesus foi registrada mais de uma vez, com alguns detalhes e propósitos diferentes, mas várias repetições. O amor a Deus sobre todas as coisas, a fidelidade conjugal, até 2ª vinda de Cristo etc., estão registrados mais de uma vez!!!!
    Anderson Cavalcanti

    ResponderExcluir
  46. Prezado irmão Isacsenna!

    Agradeço-lhe as generosas palavras.
    Mesmo achando que suas palavras estão em um patamar muito acima do que realmente sou.
    Ainda vou para o 2°semestre do meu bacharelado em teologia,ou seja, ainda falta muita luta (2 anos e meio para ser mais exato)para ser um simples teólogo.
    Para ser um erudito então....quem sabe daqui á uns 40 anos rsrsrs.
    Mas, fico feliz por ter compreendido os meus argumentos.
    No mais,creio que nossa posição é digna de ser defendida,principalmente contra ataques injustos e desprovidos de consistência factual.
    Quando quiser fazer contato para trocarmos idéias e se tiver algum blog meu e-mail é:

    fabiodc79@hotmail.com
    conheço alguns blogs interessantes que talvez queira conhecer.

    Fique na Paz.

    Fábio(Filósofo Calvinista).
    Estava rolando a barra de rolagem para ver a extensão de nossos comentários e só agora notei na primeira resposta sua aos meus comentários...
    Quando você colocou "as minhas sinceras felicitações" entre aspas,se referindo as minhas sinceras (sinceras de verdade)felicitações. Confesso que fiquei preocupado,não comigo,mas com você.O motivo?
    Deixa eu explicar.
    Minhas felicitações foram realmente sinceras Fábio. E não lembro de ter dado nenhum motivo para você duvidar delas.Sou um cristão genuíno Fábio, (e este fato é absolutamente independendente de sua opinião)e sendo assim , obviamente que não sou perfeito,mas sou um cristão praticante.Fui regenerado pelo sangue de Cristo e sou uma nova criatura,sendo assim,jamais seria capaz de desejar algo diferente do que desejei a você e a sua familia.A bíblia nos ordena a difícil tarefa de amar a nossos inimigos,e para mim,você nem um inimigo é,diferente disso, você é apenas alguém que tem posições e visão de mundo diferente da minha.
    Dito isto,a conclusão que chego é:
    O problema deve estar na dificuldade que você tem de me ver como um verdadeiro Cristão.
    Dificuldade essa que muito provavelmente é produto de sua posição exclusivista, que te impede de acreditar que Deus age em pessoas ou grupos que possuem outra Praxís teológica que não seja a sua. E isto é tão sutil quanto perigoso.(talvez você nem tenha notado).
    Portanto,o que posso lhe dizer é que, não leve tão a sério isso.
    Pois eu mesmo não levo tão a sério essa questão.
    ao contrário do que você disse, não considero essa uma questão crucial.
    pois,independente do que você acredite ou procure alegar,não vai mudar a convicção que tenho a respeito desse assunto.
    E já ficou evidente que posso dizer o mesmo de você.

    ResponderExcluir
  47. Quanto as suas colocações:


    Você disse:



    "Agora me parece que as coisas ficaram claras.Me parece que a referência que citou de I Cor 14:15 não se presta a confirmar seu argumento. Contudo, foi bom lembrar que muitos que profetizavam à época apostólica não tiveram suas profecias incluídas na bíblia. Esse é um bom argumento. Talvez porque lhes faltavam o critério de apostolicidade. O fato é que não foram inclusas".

    A passagem é 1 Co 14.05.
    Você tem mais problemas com relação a´contéudo das profecia em outras passagens.
    1 Samuel 10.11 é uma delas.
    As quatro donzelas de atos 21.9 também profetizavam.
    Números 11.25-26 também.

    Além disso,você criou um paradoxo!
    Se os Cristãos do novo testamento não tiveram suas profecias incluidas no cânom porque não possuiam credenciais apostólicas e você quiser seguir com seu argumento de colocar tudo na mesma categoria, vai ter que desqualificar o Evangelho de Lucas,o Evangelho de marcos e o livro de Atos,pois tais autores não eram apóstolos.Ainda temos a carta aos Hebreus cujo autoria ainda não possui unanimidade.

    Você disse:

    "Mas isso ainda não resolve nosso problema. Se aquelas profecias são da parte de Deus, são palavra de Deus. Isso é inegável. Portanto, infalível e inerrante. Quanto a isso não negocio. Deus não pode falhar nem dizer coisas com possibilidade de erro".

    Você se esqueceu do que eu lhe disse em

    Fonte: Deus (inerrante) canal:homem(falho) portanto, estando sujeito a distorção.
    Também precisa me explicar com solidez contextual e exegética a utilidade de 2 passagens.
    1 co 14.29 e 1 Co 14.32.

    ResponderExcluir
  48. Você disse:

    "Lembro também que há uma terceira carta de Paulo à igreja de Corinto que aprouve ao Soberano Espírito Santo não preservar e por isso ela não faz parte do cânon".

    e ainda:


    "Se aquelas profecias, e à época, novas revelações, não foram incluídas na bíblia, não o foram por algum motivo que a Deus pertence."

    O seu objetivo fica cada vez mais evidente.
    Há muitos continuístas mais chatos e mais preparados do que eu que vão precisar de argumentos mais sólidos do que esses.

    Você disse:

    "Porém, se tivessem sido incluídos, não teríamos nenhum problema com isso. Afinal, seria, igualmente, palavra de Deus."

    Vamos considerar somente o período que vocês cessacionistas crêem que vigoraram as profecias.
    Ou seja,do pentecostes até o fechamento do cânon ou a morte dos apóstolos certo?
    Não sei qual o período exato que vocês alegam ter cessado.
    Mas tudo bem, vamos considerar uns 60 anos talvez:
    Seguindo a sua lógica, que tamanho ficaria o livro sagrado que tivesse de relatar cada profecia seja ela especifica como em atos 21.11 ou de ordem mais abrangente como em atos 11.28 que ocorreram do pentecostes até o suposto fim dos dons.
    Convenhamos, levar a bíblia para a igreja seria uma tarefa inglória.

    e finalmente:


    "Da mesma forma hoje. Não quero perder nenhuma "palavra de Deus". Se Deus manda algum recado, se alguém fala por boca de Deus, não tenha dúvida: é palavra de Deus, logo, pode estar na bíblia também. Vou imprimir e anexar na minha bíblia, sem nenhum problema com o texto que fala dos acréscimos. Afinal, são palavras de Deus do mesmíssimo jeito. Ou não?"

    Fábio. Como eu já lhe disse, não tenho a intenção de provar nada para você e nem para ninguém.
    Você já conhece todos os meus pressupostos e fundamentações em defesa daquilo que acredito.

    E nesse ponto concordo com o irmão Helder Nozima,Pastor Presbiteriano ordenado pela IPB com a aprovação do Presbitério.
    Quando ele diz que a melhor exegese bíblica sobre esse assunto é feita pelos continuístas.


    A minha opinião é que se alguém tem que provar alguma coisa esses são os cessacionistas que para mim invalidam boa parte das escrituras e pecam quando desdenham ou zombam daquilo que não experimentaram por acharem que possuem uma teologia superior.
    Não se ofenda,afinal,é só a minha opinião.
    Não se esqueça,você tem opiniões bem menos nobres sobre nós pentecostais,e sempre deixou isso bem claro.
    Fique na Paz!

    ResponderExcluir
  49. Fábio, Fábio..rs.

    De forma alguma. Jamais dei a entender que não és um cristão autêntico. Fica claro que és. As aspas nas "sinceras felicitações" não estão lá para colocá-las em dúvida e sim, apenas, para registrar que é fala sua...rs. Relaxa..rs.

    Quanto ao argumento da apostolicidade...sabia que irias pegar no meu pé por isso...bem..a apostolicidade não se restringe apenas aos apóstolos, porém se um não apóstolo escrevesse algo inspirado teria que ser bem próximo dos apóstolos.

    Bem, quando ao tamanho da bíblia....quanto mais palavra de Deus, melhor. Não achas? ão seria problema não...isso se resolve rapidinho...é só publicar em vários volumes...rs.Viu como é fácil?

    A questão ainda continua aberta. Mas parece que não a fecharemos nunca...rs.

    Tudo de bom!

    ResponderExcluir
  50. Fábio!(Filósofo Calvinista).
    Não quero ser chato mas ,devo constatar que você não está usando de sinceridade em seus argumentos com o Isacsenna.
    Nós dois sabemos que eu não estou defendendo a posição pentecostal.Estou defendendo a atualidades dos dons,e você nãos está defendendo o calvinismo, você esta defendendo o cessacionismo. Voce fala como se não soubesse que eu creio na predestinação e que não sou totalmente fechado com todas as doutrinas pentecostais. Além do mais,fala como se todo calvinista fosse cessacionista.Voce está esta defendendo o cessacionismo... O irmão Helder Nozima citado por mim,acima é outro exemplo de calvinista continuísta.
    Quanto ao mais....
    Concorda agora que isso é igual á Judeus x Palestinos?...Só acaba no fim dos tempos...rsrs
    Paz

    ResponderExcluir
  51. Fábio(Filósofo Calvinista!

    Suas palavras para o Isacsenna!

    "E, aqui pra nós, acho pouquíssimo provável que todos os grandes teólogos da história do cristianismo, especialmente pós-reforma protestante, estejam equivocados no que diz respeito ao assunto principal desse post. Fico com eles".

    Todos os grandes teólogos?
    Além de filósofo você parece pscólogo pois quer passar a impressão ao seu interlocutor que os melhores e maiores especialistas no assunto,defendessem o seu bairrismo,restando aos que pensam de forma diferente serem taxados de uma espécie de anormalia ou refugo.
    Como se não houvessem evidências que muitos deles mencionaram a utilização dos dons.
    Além do mais alguns deles nada mencionaram a respeito do assunto,o que não prova absolutamente nada a respeito do cessacionismo.
    Há relatos históricos de que vários reformadores escoceses, inclusive John Knox, acreditavam na contemporaneidade da profecia. (os relatos podem ser achados em português no livro, Surpreendido Com a Voz de Deus, de Jack Deere, da Editora Vida.pode pesquisar.

    No mais, repito ,não tenho a intenção de convencer ninguém.Portanto,minha missão aqui já foi cumprida. Só gostaria de deixar a minha opinião e a conclusão que cheguei desde que me tornei um continuísta.
    Espero que não se ofendam porque,pelo que tenho visto todos os participantes aqui possuem sua própria opinião sobre o assunto.

    Os cessacionistas negligenciam uma parte importante e relevante das escrituras.
    Aliás, não existem textos bíblicos nos quais os adeptos do cessacionismo possam se apoiar. O máximo que eles conseguem é construir “bons” argumentos a partir do raciocínio dedutivo.

    Isacsenna.

    Não sei se você conhece o pentecostalismo,porém,deve ter achado estranho o fato de eu defender mais ferrenhamente a atualidade dos dons do que o pentecostalismo.Parece contraditório porque congrego em uma igreja pentecostal.
    O motivo é que não concordo com alguns pontos do pentecostalismo.
    Mas não são pontos cruciais.
    um deles é o arminianismo,e isso nunca atrapalhou a nossa comunhão .
    O que nos une é Cristo e não teologia.Além disso creio nos dons como eles.
    John Wesley era arminiano,George Whitefield era calvinista, e no entanto eles evangelizavam juntos.
    Não deixe eles injetarem o veneno do exclusivismo em você.
    Mas o fato é, se quiser conhecer o verdadeiro pentecostalismo compre um livro de teologia.
    sistemática pentecostal de um autor sério.
    Vi que o Fábio lhe convidou para ver as postagens sobre o pentecostalismo que ele fez,já lhe aviso de antemão que ali há de tudo,"benção de toronto",neopentecostalismo,pseudopentecostalismo,menos pentecostalismo sério e pessoas tementes á Deus.
    Não estou lhe coagindo a se tornar pentecostal.
    Só quero evitar que cometa o mesmo erro que esses irmãos cometem.. aliás,se tiver em sua cidade uma igreja de cunho reformado que cultiva a atualidade dos dons é essa que recomendo á você.Não ignore uma doutrina bíblica tão bela e importante.

    Paz á todos!

    ResponderExcluir
  52. Prezado Fabiodc79:

    Vai me desculpando, mas não dá pra entender você..rs. Faz parte de uma igreja pentecostal mas não concorda com quase nada de lá. Você só concorda com o que há de mais peculiar no pentecostalismo: a possibilidade de "novos recados" de Deus. Por mais que insista que não é bem assim, que não são "novos" é exatamente isso que é. ou então tá na bíblia e se tá na bíblia é só ler e estudar.

    Na minha modesta opinião, Fábio, essa principal doutrina pentecostal que você crê é exatamente a causa de todas as aberrações que temos visto, inclusive dessa pastora, no post.

    ResponderExcluir
  53. Afinal, Porque Deus nos revelaria "novidades"? O que mais precisamos saber que já não esteja de alguma forma revelado na Santa e Total Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada? O grande perigo, e algo que poucos tem notado, é exatamente isso, essas "novas revelações" não adicionam nada à totalmente já revelada e escrita palavra de Deus, pelo contrário, o que vejo nessas "revelações" que na maioria das vezes são "reveladas" na forma de "profetadas" me parecem meras adivinhações ou especulações o que pra mim parece muito com espírito adivinhador, e isso eu seu que não provém de Deus!

    Soli Deo Gloria!

    ResponderExcluir
  54. eu gostaria de saber o porquê de Deus não falar diretamente com o Fábio.Se ele estava preparado espiritualmente para assumir um cargo na Igreja,qual o objetivo de Deus não falar diretamente com Ele?

    ResponderExcluir
  55. Hugo:

    A qual dos Fábios estás se referindo? Se é a mim, Deus fala diretamente comigo sim. Diretamente das Escrituras Sagradas. O que passar disso não me interessa.

    ResponderExcluir
  56. Sem medo de errar. É satanismo puro.
    Osmar Ferreira-nadanospodemoscontraverdade.

    ResponderExcluir
  57. E, por falar em Dons do Espírito Santo, A Palavra de Deus declara que Deus só outorgou o Espírito Santo aqueles que lhe obedecem(Atos 5:32-Efésios 4:31-Heb. 12:28) Portanto, a Luz da Palavra de Deus, o pentecostalismo com seu atual Modus operandi, já é um terreno fértil para heresias e modismos, onde o diabo faz o que quer.
    Osmar Ferreira-nadanospodemoscontraverdade@bol.com.br

    ResponderExcluir
  58. Meus Deus vocês deviam parar de tentar provar qual dos seguimentos levam a verdade. Se respeitem primeiramente e sem irônias,pesssoas que estão no mundo que visitar esse site não vão buscar de forma alguma conhecer a palavra se vêem essa disputa entre irmãos.Fiquem com Deus

    ResponderExcluir
  59. Não concordo... não é roxo, e sim lilás!

    ResponderExcluir

Divulgue meu Blog no seu Blog