sábado, 31 de dezembro de 2011

AS PREVISÕES PARA 2012 E A PROVIDÊNCIA DE DEUS


Todo ano é a mesma coisa. É só  se aproximar o dia 31 de dezembro que os astrólogos, astrônomos, cartomantes e videntes de plantão reaparecem para trazer suas previsões acerca do ano que se aproxima. Na verdade eles têm um público muito grande. Neste exato momento que antecede a queima de fogos e a virada do ano, muitas pessoas estão se preparando com uma série de mandingas e superstições. É roupa branca para atrair paz, é roupa amarela para atrair riquezas e por aí vai. Sem contar os pulinhos com o pé direito nas ondas do mar. Muitos, inclusive, dedicam oferendas às suas divindades na tentativa de aplacar seus ânimos a fim de ter garantido um ano estável e com grande bonança.

O novo é sempre muito assustador mesmo. Não sabemos o que nos reserva no ano de 2012. Há quem diga  até que será o último dos anos. Saber o que 2012 nos trará é algo que foge completamente ao nosso controle. E, obviamente, não gostamos disso. Nosso senso de superioridade e autonomia são completamente abalados frente ao novo, ao desconhecido, ao que não podemos controlar.. Nos sentimos impotentes como um barco à deriva no mar.. 

O que 2012 nos trará?

Estamos preocupados? Ansiosos? Isso é normal. Faz parte da nossa humanidade. Faz parte da nossa falta de soberania,  onipresença e eternidade.

Deus, ao contrário, não se preocupada nem um pouco com isso, pois nada lhe é novo. Não há nada nesse universo e lugares conhecidos, e ainda por conhecer, que Deus não coloque seu dedo e diga: é Meu.

Devemos descansar na  Providência de Deus. Nada Lhe foge ao controle. Nada Lhe é oculto.

Em 2012, aconteça o que acontecer, estarei bem, pois Deus estará comigo. Ele estará cuidando de mim. Assim devem pensar todos aqueles que amam a Deus porque Ele o amou primeiro com amor salvífico.

Em 2012, aconteça o que acontecer, Deus em sua eterna providência estará cuidando de nós. 

O Capítulo V da Confissão de Fé de Westminster trata acerca da bendita providência de Deus. É reconfortante saber que servimos a um Deus que é Deus. Aliás, o único Deus verdadeiro. Leia:

I. Pela sua muito sábia providência, segundo a sua infalível presciência e o livre e imutável conselho da sua própria vontade, Deus, o grande Criador de todas as coisas, para o louvor da glória da sua sabedoria, poder, justiça, bondade e misericórdia, sustenta, dirige, dispõe e governa todas as suas criaturas, todas as ações e todas as coisas, desde a maior até a menor. Ref. Nee, 9:6; Sal. 145:14-16; Dan. 4:34-35; Sal. 135:6; Mat. 10:29-31; Prov. 15:3; II Cron. 16:9; At.15:18; Ef. 1:11; Sal. 33:10-11; Ef. 3:10; Rom. 9:17; Gen. 45:5. 

I. Pela sua muito sábia providência, segundo a sua infalível presciência e o livre e imutável conselho da sua própria vontade, Deus, o grande Criador de todas as coisas, para o louvor da glória da sua sabedoria, poder, justiça, bondade e misericórdia, sustenta, dirige, dispõe e governa todas as suas criaturas, todas as ações e todas as coisas, desde a maior até a menor. Ref. Nee, 9:6; Sal. 145:14-16; Dan. 4:34-35; Sal. 135:6; Mat. 10:29-31; Prov. 15:3; II Cron. 16:9; At.15:18; Ef. 1:11; Sal. 33:10-11; Ef. 3:10; Rom. 9:17; Gen. 45:5.

II. Posto que, em relação à presciência e ao decreto de Deus, que é a causa primária, todas as coisas acontecem imutável e infalivelmente, contudo, pela mesma providência, Deus ordena que elas sucedam conforme a natureza das causas secundárias, necessárias, livre ou contingentemente.Ref. Jer. 32:19; At. 2:13; Gen. 8:22; Jer. 31:35; Isa.10:6-7.

III. Na sua providência ordinária Deus emprega meios; todavia, ele é livre para operar sem eles, sobre eles ou contra eles, segundo o seu arbítrio. Ref. At. 27:24, 31; Isa. 55:10-11; Os.1:7; Rom. 4:20-21; Dan.3:27; João 11:34-45; Rom. 1:4.

IV. A onipotência, a sabedoria inescrutável e a infinita bondade de Deus, de tal maneira se manifestam na sua providência, que esta se estende até a primeira queda e a todos os outros pecados dos anjos e dos homens, e isto não por uma mera permissão, mas por uma permissão tal que, para os seus próprios e santos desígnios, sábia e poderosamente os limita, e regula e governa em uma múltipla dispensarão mas essa permissão é tal, que a pecaminosidade dessas transgressões procede tão somente da criatura e não de Deus, que, sendo santíssimo e justíssimo, não pode ser o autor do pecado nem pode aprová-lo. Ref. Isa. 45:7; Rom. 11:32-34; At. 4:27-28; Sal. 76:10; II Reis 19:28; At.14:16; Gen. 50:20; Isa. 10:12; I João 2:16; Sal. 50:21; Tiago 1:17.

V. O mui sábio, justo e gracioso Deus muitas vezes deixa por algum tempo seus filhos entregues a muitas tentações e à corrupção dos seus próprios corações, para castigá-los pelos seus pecados anteriores ou fazer-lhes conhecer o poder oculto da corrupção e dolo dos seus corações, a fim de que eles sejam humilhados; para animá-los a dependerem mais intima e constantemente do apoio dele e torná-los mais vigilantes contra todas as futuras ocasiões de pecar, para vários outros fins justos e santos.  Ref. II Cron. 32:25-26, 31; II Sam. 24:1, 25; Luc. 22:31-32; II Cor. 12:7-9.

VI. Quanto àqueles homens malvados e ímpios que Deus, como justo juiz, cega e endurece em razão de pecados anteriores, ele somente lhes recusa a graça pela qual poderiam ser iluminados em seus entendimentos e movidos em seus corações, mas às vezes tira os dons que já possuíam, e os expõe a objetos que a sua corrupção torna ocasiões de pecado; além disso os entrega às suas próprias paixões, às tentações do mundo e ao poder de Sataná5: assim acontece que eles se endurecem sob as influências dos meios que Deus emprega para o abrandamento dos outros. Ref. Rom. 1:24-25, 28 e 11:7; Deut. 29:4; Mar. 4:11-12; Mat. 13:12 e 25:29; II Reis 8:12-13; Sal.81:11-12; I Cor. 2:11; II Cor. 11:3; Exo. 8:15, 32; II Cor. 2:15-16; Isa. 8:14.

VII. Como a providência de Deus se estende, em geral, a todos os crentes, também de um modo muito especial ele cuida da Igreja e tudo dispõe a bem dela. Ref. Amós 9:8-9; Mat. 16:18; Rom. 8-28; I Tim. 4: 10. 

Não confie no acaso. Não confie em superstições. Não confie em signos. Não confie em diagnosticadores.  Não confie em você e na sua força. Não confie nas previsões para 2012. Confie somente em Deus que criou e governa tudo quanto há.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

O “EIS QUE TE DIGO VARÃO”, DO PENTECOSTALISMO, NA VERSÃO CATÓLICA ROMANA


O  poderoso Movimento  Religioso Pentecostal tem estendido  suas fronteiras até mesmo fora do arraial gospel. Uma das características mais marcantes desse movimento, que não tem nada a ver com o protestantismo ou com a Reforma Protestante, sendo algo completamente outro, é, certamente, a presunção de ter o crente pentecostal um canal direto com o próprio Deus. São as chamadas “ novas revelações”, que podem vir por meio de um sonho, de profecias, de visões, de dons de línguas ou por uma revelação instantânea em mini-transe, durante alguma preleção. 

É o famoso “Eis que te digo varão”.

Certamente você conhece alguma “estória” com esse bordão.

Muitos protestantes duvidam da veracidade dessas mensagens instantâneas supostamente recebidas do próprio Deus, dentre os quais estou incluído. Não é nosso objetivo analisar essa questão agora. Basta, por hora, dizer que tais mensagens não podem ter sua veracidade comprovada. É uma questão de fé. Pura fé. Aliás, de muita fé mesmo. Quem não tem muita fé, como eu, não acredita. Quem tem, ao contrário, fé transbordante, acredita.

O fato é que 99% dos pentecostais quando alvos do “recadinho” de Deus, por boca de “um  profeta dos últimos dias”, acredita. Puro exercício de fé. E põe fé nisso. 

No último sábado (24/12/11), depois de ter sido entrevistado por Ana Maria Braga e por Marília Gabriela, o “Pentecostal Católico Romano”, na versão mais moderna das manifestações carismáticas do Romanismo, Pedro Siqueira concedeu entrevista à apresentadora Xuxa.


Pedro, à semelhança dos outros pentecostais, diz receber  mensagens diretas de uma autoridade espiritual. No caso dele,  da principal Santa do Catolicismo Romano, a quem chamam de  “Nossa Senhora”.  Ao melhor estilo “Eis que te digo varão”,  Pedro manda recados diretos aos presentes, citando, inclusive, seus nomes. Assim como no Pentecostalismo original, os “recadinhos” são de natureza existencial, geralmente envolvendo problemas como falta de emprego e promessas de curas, com o objetivo de trazer conforto ao aflito.

A única diferença entre o Pentecostal Católico Romano Pedro Siqueira e os Pentecostais Originais é que esses dizem receber mensagens diretamente de Deus e aquele diz recebê-las diretamente de “Nossa Senhora”. A gritaria também difere um do outro, antes que alguém chame atenção para isso.  O resto é só semelhança. Nos dois casos, por exemplo, não  há como comprovar a veracidade da autoria do “recadinho”. Nos dois casos, a fé, no profeta, vaso ou instrumento, é única base que confere legitimidade à mensagem.


Veja a entrevista com Pedro Siqueira. Preste atenção nos trechos em que ele aparace em uma espécie de mini-transe, em pleno exercício e entrega das "novas revelações", dos "recadinhos" de "Nossa Senhora":

video

Concluo com duas perguntas aos irmãos Pentecostais:

1ª)   As mensagens recebidas por Pedro são verídicas?
2ª) Em caso de resposta negativa à primeira pergunta, por favor responda: como provar que Pedro Siqueira  está blefando?

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

FESTIVAL PROMESSAS E O PODER DAS MÃOS DOS CRENTES


Não dá pra não comentar. A blogosfera amanheceu hoje (19/12/11) com  muitas notícias, comentários, críticas e análises do festival da música gospel “Promessas”, exibido pela rede Globo em 18/12/2011. As abordagens foram variadas, sendo a maior parte delas com uma pontinha de crítica. Particularmente vou me esforçar para não criticar muito, pois dá a impressão que tem inveja velada no meio.

Na verdade, será que alguma Igreja, em sã consciência, ao ser convidada para participar de um evento na Globo iria dizer não? Só mesmo um “abestado”, como diria o nosso Deputado palhaço (ou será palhaço deputado?) Tiririca, cujo humor sou fã, diria um “não” ao convite inusitado. Todo mundo critica que lá só passa Espiritismo e apologia ao Homossexualismo e diz não a um convite desses? Só estando maluco. É claro que a oportunidade deveria ter sido aproveitada, como foi.

Particularmente achei de péssima qualidade as músicas ali apresentadas, com raras exceções. Estou falando de qualidade musical mesmo, pois a teologia dessas músicas é pra lá de questionável. A própria idéia de Show soa muito estranho. Apenas Ana Paula se saiu bem, nesse quesito. Até aproveitou para mandar João 3:16. Ponto pra ela.

Não quero entrar em maiores detalhes. Somente quero chamar vossa atenção  para algo que aconteceu no evento também e que me intriga já há algum tempo. Vou aproveitar esse “mega” evento para tentar tirar essa dúvida antiga. Espero que algum leitor possa me ajudar. Seguinte:

POR QUE OS CRENTES neopentecostais e até alguns de igrejas tradicionalmente tradicionais (a redundância é proposital, pois muitas igrejas outrora tradicionais já não podem ter essa classificação) FICAM APONTANDO SUAS MÃOS COMO QUE DELAS EMANASSE ALGUMA ESPÉCIE DE PODER OU DE RAIO SANTO ABENÇOADOR OU CONSUMIDOR? Dá até medo ficar na frente.

É só isso que quero saber. Alguém pode me ajudar? Veja a foto abaixo que comprova o que estou dizendo:


Tenho uma teoria, mas não sei se estou correto:  o povo pirou de vez. Duvido nada que tenha maconha “gospi” na jogada. Aliás, sou obrigado a concordar com o velho Marx quando diz que “a religião é o ópio do povo”.  Se ele me permitisse uma pequena correção em sua frase a deixaria assim: “essa  religião (que representa essa teologia ensinada) é o ópio do povo”. 

Será que pensam  mesmo que são
Super-Heróis, daqueles que têm poder nas mãos e que emitem rajadas de raios para matar seus inimigos e “tomar posse” da vitória? Ainda tem gente que diz que teologia não interfere na vida prática. Isso nada mais é que o fruto de uma teologia maculada pela filosofia humanista, que exalta o homem de tal maneira que o faz até mesmo acreditar  que tem “Super-Poderes”, tal qual os “Super-Heróis” da TV, como esse da figura no início da postagem.

Fica o conselho: se encontrar algum crente apontando suas poderosas mãos  em sua direção, corra. Procure um local seguro para se proteger da sua super, hiper, mega rajada espiritual. Vai que ele não gosta de você. Mas pode ser “bença” também. Contudo, só reapareça depois de ter certeza absoluta de suas intenções.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

ABORTO E HOLOCAUSTO. APROVAR UM É APROVAR O OUTRO. 180 GRAUS, O FILME.


O Brasil esteve a ponto de descriminalizar o aborto. Você sabe o que isso significa? Descriminalizar o aborto significa torná-lo legal em toda e qualquer ocasião. Ou seja, independentemente do motivo, a mulher poderá optar por fazer o aborto. Em nenhuma situação ela poderá ser acusada crime, como ainda ocorre hoje no Brasil, uma vez que tal prática passaria a ser abonada por lei.O processo de descriminalização do aborto está arquivado, momentaneamente não definitivamente, no Supremo Tribunal Federal, devido à grande mobilização popular.

Na Moral (Legislação, lei) brasileira, atualmente, há dois casos em que o Aborto é considerado Legal:

      a)      Em caso de estupro;
      b)      Quando a mãe corre claro e eminente risco de morte.

Alguns juízes autorizam ainda o aborto em casos de anencefalia, que é a ausência total ou de partes essenciais do cérebro, no feto.

Analisando pelo prisma da Ética, que atua basicamente no que há de essencial no ser humano, e por isso mesmo tem validade universal, sendo também invariante, e considerando ainda que a necessidade de sobrevivência é basilar e essencial a qualquer ser humano, independentemente de sua localização geográfica ou mesmo temporal, perguntamos:

Existe alguma situação em que o aborto poderia ser Eticamente justificável?

Para o aborto ser Moralmente justificável basta tão somente ser aprovado pelo costume vigente na coletividade ou ainda por legislação específica, visto que, por força conceitual, a Moral está ligada a códigos, leis, normas, costumes e hábitos. Sendo assim, o aborto praticado em decorrência de um estupro, por exemplo, é Moralmente aceito, pelo menos no que diz respeito à Moral brasileira. Mas o que estamos questionando é se algum tipo de aborto pode ser aprovado pelo critério da Ética.

Respondemos que apenas no caso em que a mãe corre eminente risco de morrer, o aborto passa a ser, por pura falta de opção, justificado pela Ética. Nesse caso, exclusivamente, o médico pode, sem nenhum  problema de consciência, optar pela vida da mãe. Observe: não se trata da escolha de um valor menor pelo maior ou vice-versa. O mesmo valor está em jogo. É vida contra vida. Qualquer que seja a decisão do médico estará sendo uma decisão Ética, pois estará trabalhando em função da manutenção da vida. Só e somente só nesse caso o aborto é Eticamente justificável

Entretanto, a Ética não
 aprovaria o aborto nos casos de estupro, mesmo estando solidária aos enormes traumas que isso traria à vítima. Primeiro porque a crianças não tem nenhum responsabilidade pelo que fez seu pai biológico. Segundo porque há aqui uma gradação de valores. O valor vida (da criança) é e será sempre infinitamente superior ao valor trauma (da vítima).

O mundialmente famoso filme “180 Graus trata exatamente sobre o problema de aprovar ou ser indiferente ao assassinato de crianças ainda no ventre. De forma contundente a questão do Holocausto é colocada lada a lado à questão do Aborto. Utilizando a Maiêutica Socrática, técnica que faz com que a pessoa chegue, por si só, à conclusão que está errada, o interlocutor do filme tem ajudado milhares de pessoas em todo mundo a visualizarem seu próprio erro ao defenderem e/ou não combaterem o aborto. Não deixe de assistir esse importante filme e lembre-se:

Aprovar o aborto é aprovar o holocausto. Ser indiferente à questão do aborto é ser indiferente ao assassinato em massa promovido pelo Nazismo. 

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

NUNCA DUVIDE DO SPORT


Nossa homenagem a todos os Torcedores do Sport Club do Recife e a todos que, mesmo torcendo para outros times, não podem deixar de reconhecer a grandeza do Sport. Muitas vezes não verbalizam esse reconhecimento, mas suas expressões de admiração face ao melhor time do Norte/Nordeste e um dos melhores do Brasil e da América Latina (por conta da Libertadores) - Sport Recife A+ - deixam claro esse justo e merecido reconhecimento, a exemplo dos amigos Cláudio Cruz, Pr.José Roberto, Bruno da rua Rubinéia, Presb.Samuel, Márcio, Cláudio estagiário, Jaedson, Jerônimo ex-aluno, Cândido, Celestino, Profª.Lucy Chacon e da minha esposa Ana Patrícia. Chamo especial atenção à atuação dos atletas de Cristo, como o goleiro Magrão, na campanha do acesso à série A.

Veja abaixo o vídeo #NUNCADUVIDEDOSPORTE. Os bastidores do acesso à Série A, de onde, aliás, nunca deveria ter saído.

video

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

O BRILHANTE MALAFAIA. HOMOSSEXUALISMO E ABORTO: A VOZ CONTRÁRIA DE UM PROFETA


Temos que reconhecer: em se tratando do combate às causas homossexuais e abortivas, que flagrantemente atentam contra as Escrituras Sagradas e à liberdade de expressão, o Pastor Pentecostal Silas Malafaia é o "cara". Até mesmo o seu jeito truculento e ousado no tratamento de questões polêmicas e delicadas  não consegue ofuscar o brilhantismo e coragem de seus argumentos. 

Evidentemente que Malafaia é merecedor da maioria das criticas que recebe, especialmente por ter abraçado, de forma descarada, a teologia da prosperidade, chegando ao absurdo de juntar-se a nomes como Morris Cerullo - a quem considera profeta de Deus - e Mike Murdock; dois ícones da indecência gospel, sendo responsável pela importação desses "viciadores da fé", colocando-se, assim, metaforicamente, na condição de  "traficante internacional de drogas", como se aqui já não tivéssemos pesadas "drogas nacionais" para combater, a exemplo de Macedo, Valdomiro Santiago e Estevam Hernandes.

Malafaia é merecedor também de críticas quanto à sua teologia. Tanto "Protestantes" quanto "Pentecostais" (para saber mais sobre essa distinção, ler  a primeira postagem da série "Pentecostalismo e Reforma Protestante-Parte I", publicada aqui no Blog) têm motivos para apontar seus erros doutrinários. São críticas justas e merecidas. 

Porém, o Pastor Silas Malafaia não pode ser acusado de omissão, diferentemente de muitos líderes Protestantes, quando o assunto é o combate a temas envolvendo, especialmente, homossexualismo e questões bioéticas, como o aborto, por exemplo. Nesses dois itens Malafaia chega a ser brilhante em seus argumentos e digno de aplausos por sua coragem e ousadia. Fala como um verdadeiro "profeta" de Deus (nesses assuntos) que não teme "perder a cabeça", ao contrário de um "bando de pastores frouxos" que circulam em nosso meio. 

Chama a atenção seu jeito contundente e inteligente de utilizar ora argumentos científicos ora argumentos jurídicos, com o objetivo maior de defender os preceitos bíblicos envolvidos nesses temas.  Com relação a esses assuntos, deixo claro, esse blog e seu editor "tiram o chapéu" para o Pr.Silas Malafaia e lamentam, ainda, que outros blogs não reconheçam os acertos de Malafaia nesses aspectos. Na hora de criticar todo o mundo "blogosferal" edita postagens "sentando o pau" - para usar uma expressão malafariana - e tem que fazer isso mesmo, mas na hora de reconhecer seu brilhantismo na defesa da fé bíblica, quanto a esses assuntos, o que vemos são pouquíssimas referências e nenhum elogio. No máximo, a apresentação dos fatos. Dois pesos e duas medidas? Isso não é justiça. Por isso e para também não incorrer no mesmo erro do julgamento tendencioso, damos "a mão à palmatória" e dizemos: parabéns Pastor Silas Malafaia.

Veja abaixo o vídeo da fala do Pr.Silas Malafaia, na audiência pública realizada pela Comissão dos Direitos Humanos na Câmara dos Deputados, em 29/11/11.


video

Veja também a entrevista do Pr.Silas Malafaia ao programa Canal Live, da Band, sobre a questão do aborto.

video

Na segunda parte da entrevista ao Canal Livre, Malafaia propõe: "O aborto é necessário? Vamos fazer o seguinte: deixa a criança nascer e entrega um porrete à mãe e diz assim: "olha minha filha, tá aqui. Mata! Não quer o filho? Dá uma paulada na cabeça dele". Não deixe de assistir essa segunda parte.

video

A IPB, oficialmente, também se manifestou publicamente contra a chamada Lei da homofobia, também conhecida como PL-122, bem como contra a proposta de descriminalização do aborto. Para ler na íntegra o "Manifesto Presbiteriano sobre aborto e homofobia" é só clicar no link abaixo:

Divulgue meu Blog no seu Blog