terça-feira, 11 de outubro de 2011

PENTECOSTALISMO E REFORMA PROTESTANTE - Parte I


Em 31 de outubro de 2011 o mundo estará comemorando 494 anos da Reforma Protestante. Sem entrar no mérito dos objetivos da Reforma - o retorno às Escrituras Sagradas  e, portanto, ao Cristianismo primitivo e apostólico -, entendemos que esse movimento, na prática, dividiu os cristãos ocidentais em Católicos e Protestantes. Até meados do século XX não havia uma terceira opção para o Cristão. Ou ele era Católico Romano ou era Protestante de alguma igreja cujo cordão umbilical, de alguma forma, o ligava ao século XVI, período da Reforma Protestante.

A partir de 1906, data que marca o início do Pentecostalismo como um sistema religioso, essa situação começa a mudar.

O advento do Pentecostalismo é algo tão grande quanto a Reforma Protestante. Em termos de importância e grandeza, podemos dizer: o movimento Pentecostal é exatamente do mesmo tamanho da Reforma Protestante. Por conta desse tamanho, não pode ser incluído como um subtópico ou conseqüência da Reforma. Não caberia; é muito grande para isso.  Assim como a Reforma Protestante está para o Catolicismo, o Pentecostalismo está para a Reforma Protestante. O Pentecostalismo é um movimento completamente novo, no sentido de ser completamente outro. Verdadeiramente uma nova Reforma Religiosa, que os historiadores, num futuro distante, possivelmente, chamarão de “a Reforma Pentecostal”.  A primeira Reforma, a do século XVI, distanciou o cristianismo do Catolicismo Romano, a segunda, a Pentecostal, no século XX, promoveu essa reaproximação, em diversas frentes, como demonstraremos.  A Reforma Pentecostal é, de fato, um movimento que trouxe para o cristão ocidental uma terceira opção, antes inexistente. Agora o Cristão ocidental, pode ser:

 a) Católico Romano;
 b)  Protestante;
 c)   Pentecostal.

Assim como ser Católico e Protestante ao mesmo tempo não é possível, também não é possível ser Protestante e Pentecostal simultaneamente. Para o Católico Romano tornar-se Protestante é absolutamente  necessário  que abandone catolicismo. Da mesma forma para um Protestante tornar-se Pentecostal, e muitos têm feito isso, terá que abandonar a fé Reformada, o que fará dele um ex-Protestante. Mas é igualmente verdadeiro que se um Pentecostal quiser abraçar a fé Reformada e tornar-se um Protestante, e muitos também têm feito isso, será necessário, indiscutivelmente, abandonar o Pentecostalismo.

Cabe aqui também uma breve abordagem sobre o neopentecostalismo. Antes de qualquer coisa, precisamos entender que o neopentecostalismo não possui, à semelhança da Reforma Protestante e da Reforma Pentecostal,  status de Reforma Religiosa. Ele é, antes, um subtópico do Pentecostalismo. Ele cabe perfeitamente dentro do Pentecostalismo. Ou seja, todas as igrejas neopentecostais continuam sendo, em última análise, igrejas Pentecostais, diferindo apenas no  grau de variação das práticas e premissas  pentecostais, cujo cordão umbilical e DNA, entretanto, poderão, facilmente, ser encontrados na Rua Azuza – local onde, historicamente, se reconhece o marco zero do Pentecostalismo, aqui  entendido como uma “a nova Reforma Religiosa”. Portanto, é um grande erro histórico classificar igrejas como Renascer, Universal, Mundial do Poder de Deus, Internacional da Graça de Deus, Sara Nossa Terra e todas as outras “novas igrejas” que seguem essa mesma linha, de igrejas Protestantes.  Elas não têm absolutamente nada a ver com a Reforma Protestante. São fruto, responsabilidade e culpa única e exclusivamente da  Reforma Pentecostal do Século XX.

Nessa série sobre a Reforma Protestante procuraremos provar os argumentamos acima, partindo dos seguintes pressupostos:

1º) Pressuposto doutrinário;
2º) Pressuposto Ético;
3º) Pressuposto Litúrgico, Prático ou bizarro.

Esperamos que, ao final da série, nossos leitores estejam absolutamente convencidos da enorme diferença entre as igrejas Protestantes e as Igrejas Pentecostais, a ponto de visualizá-las como fruto de duas Reformas Religiosas distintas e completamente antagônicas.

Desde já solicitamos a todos os nossos parceiros blogueiros e demais visitantes que contribuam para nossa série sobre a Reforma Protestante, que será concluída no dia 31/10/11, deixando seu comentário, impressão particular sobre o tema ou ainda indicação de vídeos e outros materiais, que usaremos como suporte para  nossas próximas postagens.

40 comentários:

  1. ótimo artigo! Eu adorei também a gravura, ficou perfeito!

    ResponderExcluir
  2. O blog O observador Cristão - O olhar de um cristão reformado conservador.Publicou um ótimo artigo sobre as heresias da seita Assembleia de Deus:(http://www.observadorcristao.com/2010/01/as-heresias-das-assembleias-de-deus.html).Quando puderem deem um lida!

    ResponderExcluir
  3. Bom o artigo. Só não acho que seja tão preto no branco assim. Penso que possa sim existir um pentecostal protestante. Claro que para isso será necessário rever e repensar muita coisa dentro do pentecostalismo todavia não vejo como impossível a existência de um Calvinista pentecostal.

    ResponderExcluir
  4. Também acredito que possa existir um protestante pentecostal, afinal se isso não fosse possível onde mais cresceria o JOIO ??????

    ResponderExcluir
  5. Pentecostal Calvinista? Vocês só podem estar brincando. O pentecostalismo confronta diretamente um dos principais pilares da Reforma: sola scripture. Se o pentecostal acredita nisso, então ele é ex-pentecostal. Simples, assim.

    ResponderExcluir
  6. Veja... algumas observações sobre o pentecostalismo são equivocadas... Os pentecostais são pessoas protestantes, crem no mesmo Credo mas a diferença é a unção a graça de deus e a confiança no Batismo no espírito santo tambem para os dias de Hoje. Agora se existe algum excesso por parte de alguem.. ai é outra história... mas a essência é blibica e de fato as assembleias de Deus são um modelo de igrejas jenuinamente pentecostais mais tambem conservadoras da Sã doutrina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concordo com vc plenamente...
      sabendo que não sou assembleiano...

      Excluir
  7. Caro Fabio,
    A exemplo da reforma protestante ante as heresias do Romanismo, não demorará muito para que Deus levante outro semelhante a Lutero, para cortar os laços com o mau moderno denominado Pentecostalismo.

    graça e paz!

    ResponderExcluir
  8. Pentecostal calvinista é o mesmo que calvinista pentecostal - não existe. É um sonho impossível. Há um blog chamado Olhar Reformado por Marcelo Lemos que cai nessa esparrela antibíblica. Se diz até "reformado", mas advogada crenças pentecostais. O pentecostalismo é cria do liberalismo teológico que não morreu, mas continua muito vivinho sob novas roupas.O que devemos fazer: Fugir do pentecostalismo, bem como do calvinismo pentecostal como nos diz outro blog: Internautas Cristãos.

    ResponderExcluir
  9. Olha sinceramente vejo a posição de muitos como extremada. É evidente que muita coisa que existe no pentecostalismo é fruto de falta de entendimento e mesmo de comprometimento com as Sagradas Escrituras, deixar de reconhecer isso seria ingenuidade. Porém muitas das pessoas que escrevem artigos e criticam os pentecostais como um todo(embora eles sejam bastante fragmentados) são pessoas que, muitas vezes, sequer já frequentaram uma igreja pentecostal(não sei se esse é o caso aqui)e ainda assim criticam TODO o movimento, isso é incoerente. Assim como no meio tradicional o meio pentecostal possui igrejas e igrejas, generalizar é não entender o movimento e mostra uma análise extremamente tendenciosa e portanto questionável. Não pretendo entrar no mérito se há ou não pentecostais calvinistas, mas não seria impossível que pessoas que acreditam nas doutrinas da graça e que professam os cinco SOLAS acreditassem também na continuidade dos dons, em partes, como ela é entendida pelo movimento pentecostal e aceitasse o mesmo como legítimo. Não aceito ou acredito em tudo o que o movimento pentecostal ensina mas acredito que ele, com todos os seus problemas, seja um movimento de Deus, assim como a Reforma. E que se se apropriar de alguns elementos desta pode se projetar para muito além de onde ela se projetou. No meio pentecostal existem muitas pessoas piedosas, de fé humilde e que acreditam na Palavra de Deus. Essas pessoas não se preocupam com o debate de arminianos contra calvinistas, elas simplesmente vivem a cada dia confiando na bondade do Senhor. Quer vocês aceitem quer não, eles são eleitos de Deus chamados desde a eternidade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns! Foi muito claro e perfeito, em sua colocação.

      Excluir
  10. Prezado anônimo:

    Vá me desculpando mas considero uma contradição flagrante em você acreditar, por exemplo, no Sola Scripture e na Contemporaneidade dos Dons. Até pra ser contraditório tem limite.

    Vamos combinar uma coisa: Pentecostalismo e Reforma Protestante são coisas completamente contraditórias e auto-excludentes.

    ResponderExcluir
  11. Meu amigo, não me leve a mal mas existem bastantes pessoas, mesmo no meio tradicional, que acreditam na continuidades dos dons. Se vc entende isso como um contradição ao principio do Sola Scriptura, paciência, tem gente que entende de maneira diferente. Eu por exemplo acredito que o cessacionismo baseado nas Escrituras é insustentável pois penso que as Escrituras não abrem fundamento para um interpretação desta natureza. Contudo respeito sua opinião, mas para mim ser contraditório é tentar encontrar nos Escritos Sagrados uma posição que eles simplesmente não pretendem sustentar. Eu não afirmei categóricamente que pentecostalismo e reforma são a mesma coisa, a unica coisa que defendi foi que era possível acreditar nas Sagradas Escrituras como sendo a Palavra de Deus e ainda assim ser pentecostal, como eu já afirmei não acreditando em tudo que o movimento prega, afinal nenhum movimento humano é 100% perfeito mas sim acreditando que tudo o que foi prometido e realizado na igreja dos Apóstolos pode também ser realizado por Deus nos dias de hoje e na igreja de hoje. Não existe nada dado a igreja em qualquer época que não possa ser recebido hoje se essa for a vontade soberana de Deus.

    Fique na Paz de Cristo.

    ResponderExcluir
  12. Prezado anônimo:

    Os tradicionais que não são 100% cessacionistas apenas acreditam que Deus pode, no momento em que queria, trazer esses dons à tona novamente. Porém, não conheço nenhum que acredite que isso tem ocorrido recentemente (de 100 anos para cá). Caso contrário, não seria tradicional e sim pentecostal.

    Outra coisa: quando vc fala de radicalidade provavelmente esta´s se referindo ao comentário de Gunnar. Esse nome diz algo? Gunnar Vigren? Pois é, esse nosso irmão viveu a vida dele inteira na Assembléia de Deus, cujo fundador lhe deu até o nome de tanto que sua família era pentecostal. Ele conhece o pentecostalismo muito bem. Talvez por isso que ele seja tão radical.

    Mas, vamos continuar discutindo algumas idéias. Considero isso produtivo. Pelo menos sempre aprendo algo novo.

    Tudo de bom!

    ResponderExcluir
  13. Caro Filósofo:

    Ora se Deus pode trazer dons a tona onde está a coerência em dizer que eles cessaram? Evidente que os pentecostais associam a continuidade dos dons com seu próprio movimento, agora, o fato de você ou outros cristãos reconhecerem ou não o movimento como legítimo não o tornará menos legítimo se este assim for. Já conheço o Gunnar Vingren de vê-lo na rede e sempre achei suas colocações pertinentes, se ele assume uma posição mais acentuada com relação ao pentecostalismo, deve ter seus motivos. Agora o fato de ele ter nome de fundador da Assembléia de Deus não o qualifica como moderador dos movimentos pentecostais o que pode lhe conceder crédito é a experiência que ele pode ter tido em igrejas pentecostais, isso sim pode ser determinante para suas colocações. Afinal como você sabe se não me chamo Gustav Hogberg??

    Mas a pergunta que fica no ar é a seguinte: O texto postado é de Gunnar ou seu? Afirmo que não sei se este é o seu caso, mas quem nunca conviveu com pentecostais e nunca esteve entre eles como um deles não pode julgar sua prática cristã e nem a legitimidade de suas crenças e fé. Eu já estive entre batistas e presbiterianos e posso dizer que, entre os irmãos com quem estive, existe muito da vida de Cristo nestes dois grupos e já estive entre pentecostais assembléianos e de outras denominações e tb posso dizer que existe muito de Cristo manifesto na vida destes grupos tb. Particularmente prefiro estar entre os batistas que ainda são calvinistas mas não seria reto diante de Deus negar todo o trabalhar do ES entre os pentecostais. O seu problema filosofo, falando sinceramente, é que, ao que parece vc tenta colocar e identificar a prática e fé das pessoas segundo o seu padrão de julgamento mas o fato de vc identificar que não pode existir alguém que creia nas doutrinas da graça e seja pentecostal não perfaz a realidade de que o mundo seja assim. Vc simplesmente pensa que seja assim ou mesmo identifica as coisas desta maneira, mas, como eu disse na minha primeira participação, nem tudo é tão preto no branco assim. Eu acredito nas doutrinas da graça e acredito na continuidade dos dons e que ela é manifesta no movimento pentecostal, imperfeito como ele é.
    Só quem já esteve entre eles e sentiu o que eles sentem é que sabe como Deus está presente entre aquele povo tanto quanto entre qualquer grupo que seja Dele.

    Foi o Gunnar ou vc que produziu o texto? Se foi o Gunnar ok, mas se foi vc, acho que não dá pra ficar tentando sustentar seu pensamento na experiência de terceiros a não ser que seja para levar em conta uma analise mais profunda que aborde todas a variações de ambos os grupos relacionados e não apenas de uma parte conveniente.

    Querido tb desejo aprender em sua companhia.
    Fique com Cristo.

    ResponderExcluir
  14. Anônimo discordo de você em muitos pontos, me desculpe. Mas, principalmente quanto você afirma que Pb Fábio não pode julgar o movimento pentecostal, por ele nunca ter sido um: "Afirmo que não sei se este é o seu caso, mas quem nunca conviveu com pentecostais e nunca esteve entre eles como um deles não pode julgar sua prática cristã e nem a legitimidade de suas crenças e fé". Graças a Deus que ele não esteve nesse meio. Graças a Deus que ele não teve experiências das religiões de mistérios. Não dobrou os olhos orando de forma incansável para vir um "esprito" e não Espírito para lhe fazer falar uma língua literalmente estranha. O amado Pb Fábio têm as Escrituras, que é nosso único juiz pelo qual todas as controvérsias religiosas devem ser determinadas... (CFW 1.10). Assim, ele, não precisa ser necessariamente um ex para escrever algum artigo sobre o movimento pentecostal, como eu sou hoje depois de viver quase 18 anos na seita Assembleia de Deus(E, não fui eu escrevi o artigo). Se isso for uma regra, não iremos falar no céu ou mesmo do inferno, já que eu acredito que o colega nunca esteve lá. Ou esteve? O movimento pentecostal é um movimento de Deus no sentido que o senhor propõe, fazendo comparação com a Reforma Protestante. O movimento pentecostal é Deus no sentido de ser a operação do erro, lembra do texto de 2 Ts 2.11? Lembra também de Dt 13? O texto de Dt 13 é ainda mais claro: Quando profeta ou sonhador se levantar no meio de ti e te anunciar um sinal ou prodígio, e suceder o tal sinal ou prodígio de que te houver falado, e disser: vamos após outros deuses, que não conhecestes, e sirvamo-los, NÃO ouvirás as palavras desse profeta ou sonhador; porquanto o SENHOR, vosso Deus vos PROVA, para saber se amais o SENHOR, vosso Deus, de todo o vosso coração e de toda a vossa alma. Andareis após o SENHOR, vosso Deus, a ele temereis; guardareis os seus mandamento, ouvireis a sua voz, a ele servireis e a ele vos achegareis".O pentecoste Bíblico foi um evento histórico da ascensão e da entronização de Cristo, e não o evento para todas as épocas. Quero também salientar que não estou discutindo se há ou não eleitos na Assembleia de Deus, pois creio que os eleitos de Deus estão em todos os lugares, bem como entre os batistas, no catolicismo etc. O Senhor pela sua eterna Palavra onde ela for lida, querendo Deus pode tirá-lo da operação do Erro e lhe colocar em um lugar onde de fato prega-se a verdade.

    No mais, uma abraço!

    ResponderExcluir
  15. Vou dividir em duas partes porque a resposta ficou um pouco grande.

    Querido Gunnar:

    Pergunta: o define uma seita?

    Realmente concordamos em discordar!!!

    Querido a posição extremada assumida por seus comentários deve dar-se por causa de experiências estranha que vc pode ter vivido no meio pentecostal, eu reconheço que, naquele mesmo meio, existem variadas experiências que, envolvendo pessoas sem compromisso com a Palavra de Deus e consequentemente sem entendimento das Escrituras, são realmente estranhas até ao divino. Todavia se eu já disse isso aqui repito e, se não disse é bom que seja dito ISSO NÃO INVALIDA TODO O MOVIMENTO E, DE MANEIRA ALGUMA TORNA ILEGÍTIMA A PARCELA REALMENTE SÉRIA E COMPROMETIDA COM DEUS NESTE GRUPO DE PESSOAS QUE REALMENTE FORAM IMPACTADAS PELO PODER REAL DO ESPÍRITO SANTO. O problema de muitas pessoas é que, pelo fato de partes da doutrina do batismo com o Espírito Santo estar equivocada, essas pessoas buscando e não recebendo se revoltam e se frustram e por isso se tornam inimigas ferrenhas das ditas Igrejas Pentecostais até mesmo classificando muitas delas como seitas-heréticas, o que, em determinado sentido não deixa de ser verdade, mas que não o é em sua totalidade. Diga-me Gunnar, vc recebeu o batismo com o ES no período em que frequentou uma igreja pentecostal??? Isso é determinante para a continuidade de nossa conversa. O problema é que vcs se esforçam para em tudo desviar o foco da conversa e, as vezes, quando escrevo um livros vcs tentam responder com uma frase, isso não é coerente. Volto ao cerne da questão: Porque é impossível que uma pessoas creia nas doutrinas da Graça e na continuidade dos dons como ela é manifesta no movimento pentecostal??? Ou será que nos 18 anos em que vc passou em uma igreja pentecostal vc nunca encontrou uma pessoa que tivesse uma fé humilde em Cristo e confiança verdadeira na Palavra Dele?? Eram todos cães he´reticos na Igreja que vc frequentou Gunnar?? Desde o menor até o maior todos deturpadores maquiavélicos da Palavra de Deus?? Não havia ninguém que realmente fosse convertido ao cristianismo bíblico e servo do Deus dos céus?? Ora não seja daqueles que negam fatos.

    Sobre a questão da participação no movimento, vejo que seus argumentos não são o que se pode chamar de sensatos. Primeiro se vc olhar lá na minha primeira postagem vai ver que eu disse que achava o artigo bom, é um bom artigo. Nada mais, nada menos! Agora o grande problema é que a crítica não é bem aceita por vcs, não é bem aceita pelo filosofo e nem por vc que, ao que parece, é amigo dele. Criticas são críticas!! Eu simplesmente disse que considerava bom o artigo mas que não concordava com determinado ponto. É uma coisa plausível discordar de algo e, na verdade, a menos que vcs achem que são a medida determinadora de todas as coisas, a discordância deveria ser levada como simplesmente uma divergência de idéias, ou vcs acham ingenuamente que vão me convencer que a posição de vcs é coerente?? Realmente não estou aqui para convencer vcs de que estão errados, só quero mostrar que existe um outro lado e que a posição desse outro lado é defensável.



    Continua...

    ResponderExcluir
  16. Na verdade será preciso dividir em três partes...

    Realmente é coerente dizer que alguém que nunca participou ativamente de um movimento não tem plena condição de julga-lo. Como um romanista não tem plena condição de avaliar o movimento da Reforma, ou tem?? Meu querido Gunnar a questão aqui não é o céu ou o inferno que estão, no momento, inacessíveis a nós, esse exemplo não foi nem de longe feliz pois não se aplica no mesmo contexto do objeto que está sendo discutido aqui. Se assim fosse então não precisariamos na prática analisar coisa alguma a mera teoria seria o bastante para resolver todo e qualquer problema, e, não me leve a mal, sabemos que não é assim que funciona. De modo que se existe um objeto de estudo passivo de ser estudado e alguém se propõe a analisa-lo sem ter o trabalho de ir a campo e estudar este objeto então posso com certeza afirmar que esta pesquisa será infiel a complexidade do objeto, será tendenciosa a uma perspectiva específica e geralmente preconceituosa em relação ao objeto, será objetiva a atender um objetivo específico que na maioria das vezes é negar a veracidade e legitimidade do objeto, e se baseará em causas objetos e fatos que não representam o verdadeiro cerne do objeto de estudo bem como estará tratando na teoria de algo que se entende na prática, geralmente assumindo posições que representam mais a opinião do autor do estudo do que a realidade dos fatos, isso se se considerar que taç pesquisa não ira dispor de vestígios e ferramentas de trabalho necessários e não levará em consideração uma analise minuciosa de pelo menos a maioria dos fatores envolvidos no processo em que se dá o objeto, como tb não fará jus a todas as perspectivas principais envolvidas nestes processos e em como elas se inter-relacionam mutuamente para perfazerem a realidade do tempo presente. Ou seja, sim alguém que nunca participou do movimento NÃO tem plena capacidade para julga-lo e, mesmo alguém que já tenha participado se não se envolver e novamente se dispor a analisar nos mínimos detalhes, mesmo já tendo participado, não terá plena capacidade de faze-lo, pois, ao fim e ao cabo, os movimento humanos não são engessados e cristaliza-dos de modo que não possam se transformar, na verdade, eles estão em constante transformação, sendo assim, alguém que já participou do movimento mas não participa a tempo pode fazer uma análise mais clara do que alguém que nunca esteve lá, mas ambos não poderão fazer uma análise senão digna de pouca atenção e de pouquíssimo status como referência ou fundamento para outras analises. É uma análise encharcada de parcialidade irreal.

    ResponderExcluir
  17. Falar que o movimento pentecostal é equivalente a operação do erro é de uma(desculpe)arrogância sem tamanho. Qual é o movimento melhor então?? Ou vc está dizendo que Deus está operando o erro entre os eleitos que lá estão?? Quer dizer que Deus está cegando os olhos dos próprios eleitos?? Não creio. Vcs erram igualzinho aos católicos, ele pegam tudo o que não é católico e jogam dentro de um saco como se fosse a mesma coisa banal, e vcs pegam tudo o que é pentecostal e jogam dentro de um saco e tudo o que é neopentecostal e jogam dentro de um outro(se não o mesmo) saco, julgam a todas as partes com base em um todo que não existe ou se existe existe apenas na mente de quem assim pensa. Comentem erros básicos de análise a ponto de realizarem o absurdo de julgar todas as facções, cosmovisões, profissões etc, pentecostais com base em um todo que sequer foi um dia coeso para ser analisado, sinto muito. E ainda tentam aplicar textos que, talvez, nem mesmo provem o que vcs querem que prove apenas para tentar sustentar uma posição insustentável por sua natureza mas pela falta de uma pesquisa mais séria. Os mesmos textos que vc aplica aos pentecostais eles podem aplicar a vc Gunnar?? E aí?? Quer dizer que é apenas e tão somente uma briga de versículos?? Para filósofos vcs estão se saindo belos juízes.
    Onde é o lugar onde de fato se prega a verdade?? Toda a verdade, plenamente?? Afinal o que é a verdade para o protestantismo?? Qual protestantismo, reformado ou luterano?? Metodista, Presbiteriano, Batista, Anglicano, Anabatista, Assembleiano, Congregacional, Pentecostal, Tradicional, Liberal, Neo-ortodoxo, do Ricardo Gondim e do René Kvitz?? Ai vc vai me dizer que muitos destes grupos não são protestantes, mas então temos um problema porque muitos deles que vc dirá não protestantes se entendem como protestantes, e aí? Ou vai dizer que vcs é quem decidem o que é ser protestantes e qual a essência que determina alguém poder ser denominado como protestante?? Tem de falar para essas pessoas que elas não podem se identificar como protestantes porque elas nãos atendem a segunda regra do ponto três do catecismo B. Porque eles dizem deles mesmos que são frutos da Reforma de Lutero.

    Meus amigos, que não seja assim. O protestantismo ainda não se tornou bem privado de um determinado grupo. Ninguém, até hoje, conseguiu privatizar a salvação da alma e nem a legitimidade da experiência espiritual.

    Fique claro que respeito a posição de vcs, embora acredite que ela não é a mais adequada acredito que merece ser respeitada.

    Fiquem na paz de Cristo, Senhor de todos aqueles que são DEle.

    ResponderExcluir
  18. Prezado Anônimo:

    Vejo que o debate prossegue em alto nível.

    Pelo que percebo, o ponto que você identifica como discordante é o seguinte, tomando emprestado sua fala:

    "Ou será que nos 18 anos em que vc passou em uma igreja pentecostal vc nunca encontrou uma pessoa que tivesse uma fé humilde em Cristo e confiança verdadeira na Palavra Dele?? Eram todos cães he´reticos na Igreja que vc frequentou Gunnar?? Desde o menor até o maior todos deturpadores maquiavélicos da Palavra de Deus?? Não havia ninguém que realmente fosse convertido ao cristianismo bíblico e servo do Deus dos céus??".

    Se tem pessoas sinceras de fé sincera e verdadeiros crentes em Cristo no Pentecostalismo? Na minha opinião sim. Diria até que é a maioria, por isso os considero meus irmãos em Cristo, muito embora a recíproca, muitas vezes, não seja verdadeira. Isso diminui o desvio e o equívoco deles? Na minha opinião não.

    Mas nosso foco principal aqui é demonstrar que Pentecostalismo e Reforma não tem, absolutamente, nada a ver um com o outro. "O pentecostalismo pode até estar correto, mas não tem nada a ver com o movimento da Reforma Protestante". Esclarecerei isso mais adiante na continuação dessa postagem. Os pressupostos e as crenças são absolutamente contrárias.

    O fato de nunca ter sido Pentecostal, meu caro, não evita que eu seja AFETADO por eles ou por suas crenças, muitas vezes, bizarras, infelizmente. Quando olham para meu pastor e o julgam como "ladrão", igual aos outros, de quem é a culpa? Dos Reformados? Não. Dos pentecostais em suas loucas variações. Quando associam minha fé à de muitos que são protagonistas de escândalos e corrupção pelo simples fato de ser chamado de "crente", de quem é a culpa? Dos Reformados? Não. dos pentecostais. Quando uma irmã de cabelo grande e saia comprida fura a fila do ônibus na maior cara de pau (abordarei sobre isso quando pensar sobre a ética pentecostal) e eu escuto alguém dizer "e é porque é crente", você acha que não estou sendo afetado, mesmo respeitando no sol a fila?

    Ora meu caro, para conhecer algo não é preciso ter vivido esse algo? Sua idéia de conhecimento está muito contaminada pelo empirismo das ciências naturais. Existe farto material sobre pentecostalismo, tratando sobre os mais variados aspectos e eu, como pesquisador, tenho estudado esse fenômenos até na academia. Contudo, essa postagem e as outras que virão, são simplesmente minhas impressões. Não significa dizer, necessariamente, que esteja correto. Muito embora, na minha opinião, os argumentos apresentados deponham fortemente a favor da distinção absoluta entre pentecostais e reformados. É esse meu objetivo maior. Deixar claro que pentecostalismo não tem absolutamente nada a ver com o movimento da Reforma do século XVI. É outra coisa. É outra Reforma. É só uma questão de escolha entre movimentos de mesma grandeza. Eu, porém, já fiz a minha. Não acho que seja possível escolher as duas, meu caro. Cedo ou tarde o irmão vai ter que descer do muro...rs.

    Tudo de bom!

    ResponderExcluir
  19. Infelizmente a Igreja Cristã encontra-se fragmentada, de um lado os “remanescentes” Reformados e do outro a “onda” Pentecostal que, ao mesmo tempo em que lota templos, é responsável por um número cada vez maior de cristãos com pouco, e em alguns casos, sem nenhum conhecimento escriturístico, mais preocupados com o forma do que com o conteúdo.

    A Reforma Protestante não veio “inaugurar” novas verdades, pelo contrário, trouxe “a memória os ensinamentos bíblicos outrora suplantados pela tradição Católico Romana. Não se tratava de um “embate” filosófico em torno de “quem está com a razão”, na verdade, até ouso dizer que nem se tratava de um embate, afinal de contas, não existem várias verdades mais uma só e essa verdade é a mesma que o apóstolo Paulo levou à problemática Igreja em Corinto (“Porque decidi nada saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado”. 1 Co 2.2), os fundamentos da Reforma estavam alicerçados na Bíblia que é a Palavra de Deus revelada aos homens, qualquer outro ensinamento, que destoasse dessa verdade, não passava de engodo.

    Ao contrário do que acontece hoje em grande parte das Igrejas Pentecostais, havia uma primazia pela pregação teocêntrica, os reformadores não usavam o púlpito para expor o quão bem sucedidos eles eram, tão pouco empregavam tempo falando de suas experiências miraculosas e sobrenaturais (tão distante da realidade de vida da congregação), esses homens, levantados e guiados por Deus, se emprenhavam em pregar a Cristo, pois estavam plenamente convencidos que esse é o único meio capaz de conduzir o homem a salvação, a uma mudança radical de vida. Os reformadores, a exemplo dos apóstolos, não ensinavam uma fé barata, meritória, não “apelavam” para que as pessoas viessem a Cristo, pois sabiam que o homem por si só, em seu estado natural (de completa miséria e rebelião) é incapaz de “aceitar” a Jesus se O SENHOR não o atrair a Sua presença.

    Ensinados pelos apóstolos, os reformadores jamais usavam em suas pregações expressões do tipo: “Deixe Jesus ser o Senhor da sua vida!!!”, eles sabiam que JESUS é senhor sobre todas as coisas, independente da vontade do homem. Não se coroa quem já está coroado!

    Um dos grandes desejos do reformador de Genebra era unificar a Igreja Protestante, e para isso Calvino estava disposto a “abrir mão” de questões meramente humanas, todavia, João Calvino não fazia concessões quanto a Sã Doutrina e empregaria (como fez) todo o seu esforço para defendê-la até as últimas conseqüências. Para o cidadão de Noyon não existia “campo neutro”.

    É impossível encontrar um meio termo entre o Pentecostalismo e a Reforma, aqueles que tentarem “se arriscar” por esse caminho deparar-se-ão com uma bifurcação “no meio da estrada” e terão diante de si uma escolha. Pluralidade de conceitos, fórmulas, meios, conduz ao perigoso caminho do sincretismo.

    ResponderExcluir
  20. Áurea:

    Obrigado por sua participação nesse tema. Seus comentários são bem sóbrios. Assino em baixo tudo que vc disse.

    Tudo de bom!

    ResponderExcluir
  21. Graça e paz Fábio.
    Creio que podemos ser renovados e calvinistas ao mesmo tempo, só que com um pequeno detalhe, não nos deixaremos levar pelas loucuras que temos visto por aí. Creio que a sã doutrina equilibra a nossa vida espiritual. Cremos na contemporaneidade dos dons, mas não ficamos preocupados com isso, ficamos com o que está escrito no final de Marcos que diz que o Senhor confirmava a palavra dos discípulos: "E eles, tendo partido, pregaram em toda parte, cooperando com eles o Senhor e confirmando a palavra por meio de sinais, que se seguiam." Um calvinista renovado crê assim, pelo menos é assim que eu creio e tenho vivido.
    Fique na Paz!
    Pr. Silas Figueira

    ResponderExcluir
  22. Filósofo "Fábio" Calvinista,

    Cheguei um pouco tarde ao debate, mas não quero atear fogo em madeira já queimada!!!rsrs

    Já na primeira parte da série comecei a adorar suas colocações! Vou ler as demais partes...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorou as colocações?E Jesus vc tem adorado?

      Excluir
  23. Heitor:

    Segura essa...rs..estou começando a achar que vc realmente sofre bulling teológico gospel...rs...kkkkk

    ResponderExcluir
  24. MOssss, Para de teologia e vira crente de verdade!

    ResponderExcluir
  25. narleyoliveira:

    Seu comentário é muito interessante. Parar de teologia? Você é pentecostal não é? O que é teologia a não ser o estudo da bíblia? Como podemos ser crentes sem estudar a bíblia? Ou seja, sem saber o que Deus quer e exige de nossas vidas? como saberemos? Através de novas revelações? De sonhos? De visões? Sabia que isso é teologia também? Claro que é uma teologia de péssima qualidade, mas é. Tudo de bom! Deus ilumine sua mente e coração.

    ResponderExcluir
  26. Inсreԁible poіntѕ. Solіd аrguments.
    Keеp up the great spiгit.

    Stοp by my blog - augenoperation

    ResponderExcluir
  27. só uma consideração, se a reforma é um movimento contrario em vários aspectos ao catolicismo, com ose classifica as confissões anglicanas e luteranas, com seu forte apelo ecumenico?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que toda discussão se baseia no sincretismo das partes, perdendo cada uma a sua verdadeira essência.

      Em Cristo, esperança nossa

      Excluir
  28. Prezado Josiel:

    Boa questão. Não sei...rs. Quem sabe alguém possa nos ajudar comentando aqui. Forte abraço!

    ResponderExcluir
  29. Sou pentecostal, discordo de muita coisa que acontece em nossas igrejas e nem por isso condeno o movimento. O que vem acontecendo( de forma crescente) é a proliferação de pregadores que não tem conteúdo Bíblico. Espalham um (fogo estranho) no meio dos cristãos, pela falta de conhecimento, separar o certo do errado, inúmeras pessoas andam confusas. Esse problema (falta de conhecimento) acontecia entre o Povo de Israel nos tempos do Profeta Oséias, (Os. 4.6) cuja consequência, resultou na queda da Nação! Acredito que tem muita coisa errada por aí! Mas sinceramente, toda e qualquer mudança que tenha que ocorrer, que seja EXAMINANDO AS ESCRITURAS SAGRADAS, e devem ocorrer mudanças, e não tenho dúvida que se buscarmos a Deus de coração, "praticar a justiça, amar a benignidade e andar humildemente com Deus" Mq 6.8, pois diz ainda o texto (no mesmo vers.) ...é o que o Senhor pede de ti...! Abrçs. Shalom

    ResponderExcluir
  30. Prezado Dickel:

    Fico feliz em ter contribuído nesse debate. Convido-o a ler e comentar as outras 3 partes dessa série. Forte abraço.

    ResponderExcluir
  31. sou cristão frequento uma igreja pentescostal ..mais to me sentindo um martinho lutero dentro dela .quando prego só as ecrituras sou confrontado ..graças a Deus procuro viver só a palavra .creio nos dons ,creio que um veradeiro cristão possui frutos do espirito santo ,busca cada dia o amor veradeiro ,se compadeçe pelo proximo ,tem comunhao tem uniao .e um bom testemunho em todos lugares .. sei que não sou joio ppis sinto o espirito santo que a cada dia me transforma em um bom pai de familia melhor um bom marido um bom pai ,tudo isso so foi pssivel deppois que conheçi ao meu salvador ..esse CRISTO QUERO PREGAT TBM A QUEM PRECISAR

    ResponderExcluir
  32. Leonardo Vieira:

    Fico feliz com seu envolvimento e compromisso com a palavra de Deus. Convido-o a ler toda essa série sobre Pentecostalismo e Reforma Protestante. Em seguida, procure ler bons teólogos (vc só pode encontrá-los na teologia reformada). Leia também sobre um dos solas da Reforma: Sola Scripture e esteja aberto a rever sua posição sobre a contemporaneidade dos dons, pq só tendo a escritura sagrada como única fonte de relacionamento ativo da voz de Deus conosco é que podermos crescer no conhecimento da boa teologia.

    ResponderExcluir
  33. poderia se identificar para fazermos citações acadêmicas

    ResponderExcluir
  34. Gostaria de saber o porquê de muitos calvinistas tratarem os pentecostais -- mais especificamente os assembleianos -- como se todos fossem hereges? É claro que no pentecostalismo existem problemas, assim como também os há no meio reformado! Permitam-me citar um: nas Sagradas Escrituras constam que devemos crer para sermos batizados. Então por que nossos irmãos calvinistas praticam o batismo infantil? Ora, uma criança não possui ainda desenvolvida a faculdade de discernimento (uma vez que o batismo requer escolha do indivíduo). Não seria isto inversão lógica dos fatos? Heresia por heresia... não seria esse tipo de batismo no mínimo incoerente com as Escrituras? E se me permitem uma analogia, comparemos essas divergências doutrinárias (somente a título de ilustração, não me levem a mal) a uma disputa de futebol. Nossos irmãos calvinistas afirmariam que os pentecostais sofreram um terrível tombo nos primeiros chutes a gol. É do lado dos pentecostais, estes alegariam que nos primeiros chutes a gol (haja vista o batismo ser uma das primeiras atitudes de um cristão) os calvinistas passaram distante da trave com esse tipo de batismo. Paz a todos!

    ResponderExcluir
  35. Irmãos, tem como ser cristão, sem ser Batista, ou Presbiteriano, ou Calvisnista, ou Lutereano, ou penteconstal, ou neo-pentecostal, ou assembleiano, ou etc e etc e etc?

    Às vezes damos muito mais valor à Doutrina Batista, à Doutrina Calvinista, à Doutrina Pentecostal e etc.... E a Doutrina de Jesus Cristo? Quem se habilita? Não existe meias verdades, ou verdades interpretadas. A verdade é uma só: Jesus Cristo. E haverá um dia em que haveremos de conhecê-lo em sua plenitude, pela Sua graça.

    Acho que é devido a essa grande confusão de interpretação, devido a esse relativismo que cada um enxerga sua verdade, que a Salvação é um dom gratuito mediante a fé em Jesus Cristo. Misericórdia!

    Mais uma vez: E a Doutrina de Jesus Cristo? Quem se habilita em buscá-la?

    ResponderExcluir

Divulgue meu Blog no seu Blog