quinta-feira, 3 de março de 2011

O SACERDÓCIO UNIVERSAL DOS CRENTES E SUAS CONSEQUÊNCIAS NEGATIVAS

A Reforma protestante do século XVI foi um movimento extraordinário. Trouxe muitos benefícios para a igreja verdadeira de Cristo. Em última análise trouxe a igreja de volta às Escrituras Sagradas. Mais que isso: colocou a Escritura na mão e ao alcance do povo, em sua própria lingua. Essa talvez tenha sido a maior de todas as contribuições de Lutero e Cia Ltda.

Uma vez de posse das Escrituras e não tendo mais nenhum tutor que lhe dissesse a interpretação correta, o povo, baseado na tese do "Sacerdócio Universal dos Crentes", se pôs a interpretar.

Como consequência direta disso temos um protestantismo desfigurado, que mais se parece com uma colcha de retalhos. Estima-se que, só em São Paulo, 70 novas igrejas regularizadas nascem por dia. Culpa de Lutero?

Certa vez estava no trabalho do meu pai, lendo a bíblia, há uns 15 anos atrás, quando chegou um cliente e olhando para mim perguntou: "Você é crente?" (nem gosto desse termo). Respondi que sim. Prontamente ele completou a pérola: "Crente? Sem barba?". Fiquei sem reação no momento. E ele disse: "crente tem que ter barba, você não sabia?". Não, disse eu já invocado. Ele, logicamente, parecia papai noel. Tirou então o "crente barbudo" um novo testamento dos Gideões e disse: "vou provar". Fiquei realmente preocupado. Achei que tinha perdido essa aula. Então ele leu, como defesa de sua argumentação pró-barba: "Oh como é bom e suave viverem unidos os irmãos; é como o óleo que desce suave sobre a BARBA de Arão (salmos 133). Pronto. Com essa hermenêutica mequetrefe surgiu mais uma igreja. A igreja dos barbados, mais conhecida como Igreja Adventista da Completa Reforma, conforme:
http://www.comunidadeadventista.com/2008/10/por-qu-tantas-igrejas-adventistas.html

Outro fato, noticiado na imprensa, foi de um pastor que estava lendo "ADULTERA", quando deveria ler "ADÚLTERA". Por conta da falta de conhecimento das regras básicas de acentuação e ortografia ele, como "bom" intérprete e praticante da palavra, vivia maritalmente com várias mulheres. Afinal, estava cumprindo a ordem bíblica: ADULTERA. Parece piada, mas não é. Aconteceu de verdade. É só pesquisar no google que vai achar.

Diante de tudo isso, fico me perguntando: TODOS TÊM REALMENTE O DIREITO E AS CONDIÇÕES NECESSÁRIAS PARA INTERPRETAR, PREGAR E ENSINAR AS ESCRITURAS?

Não estou dizendo que para ler, interpretar e pregar a bíblia é preciso ser intelectual. Nada disso. Mas, será que qualquer pessoa realmente tem essa capacidade? Será que um "analfabeto teológico" (porque existe gente que não teve oportunidade de estudar mais conhece muito bem a boa teologia) tem condições de interpretar e ensinar as Escrituras? O Espírito Santo ilumina (não inspira) mentes de pessoas que sequer sabem ler para que tenham uma boa interpretação? Como essas pessoas poderão, obedecendo a Cristo, "examinar as Escrituras?

Se você acha que todos, inclusive os "analfabetos teológicos", podem interpretar, ensinar e pregar os verdadeiros preceitos das Escrituras, então veja a "pregação" abaixo, pense um pouco e responda novamente a pergunta:


video


O SACERDÓCIO UNIVERSAL DOS CRENTES realmente dá direito a TODOS (inclusive aos "analfabetos teológicos") de interpretarem e ensinarem livremente as Escrituras? Qual sua opinião?

9 comentários:

  1. As "70 novas igrejas" não são fruto da livre interpretação, mas de mal-caráteres que sempre existiram em todos os tempos, lugares e igrejas, inclusive nas nossas e entre os fundamentalistas, que se acham puros e detentores da chave do céu. Por amor ao dinheiro muitos falarão no nome do Senhor, já está lá no Novo Testamento. Não por erro de interpretação ou como consequencia da defesa do livre exame das escrituras. Onde há o livre exame por pessoas de coração sincero, onde o Espírito quer atuar, ele atua e pimba! a igreja do Senhor se estabelece. Fui alcançado pela Graça do Senhor na Igreja Batista em Timbaúba, que foi sustentada por décadas por um irmãozinho de pouquíssimas letras, respeitadíssimo por todos quantos estavam na igreja e pelos pastores que por lá passavam. Nossa Presbiteriana em Timbaúba igualmente tem sido sustentada pela graça de Deus através de uns três ou quatro irmãos que não tem apenas o ensino médio no currículo vitae, mas estão de pé, pastores após pastores, inclusive alguns que chegam até a arengar por 'salários', insinuando até que possuem 'direitos trabalhistas'!!! E o que dizer dos nossos irmãos e irmãs que sustentaram a abertura das igrejas pelo interior afora no período missionário? Sem dúvida o fizeram no mais legítimo exercício de seu sacerdócio universal, porque não precisavam mais de um clero intermediador. Os outros, os trambiqueiros, embusteiros, existem em todas as épocas. Sugerir a necessidade de alguém letrado como intérprete traz, além de uma opinião que confronta uma doutrina amplamente aceita por teólogos de várias tendências (é uma das concordâncias entre calvinistas e batistas, por exemplo), traz ainda outro problema: você pretende suspender a liberdade religiosa, querido Fábio?kkkkkk. Em relação aos que roubam e fraudam usando o nome de Deus, você pode simplesmente exigir o cumprimento da lei penal que já tipifica como crime o charlatanismo. Mas aí, a tentação é grande, certo? Enquadrados os charlatões, o grupo dominante iria querer rapidinho ir contra todos os que interpretam a doutrina de forma diferente que a sua própria denominação. Queres mandar fechar as igrejas pentecostais, as que batizam apenas os adultos, etc.? Já não basta querer deixá-los fora do céu?

    ResponderExcluir
  2. Na minha opinião, para se pastorear uma igreja deve-se ser no mínimo bacharel em teologia. Pra acabar um pouco com esta palhaçada sem fim. Não vai resolver, mas vai diminuir.

    ResponderExcluir
  3. Gostaria de fazer uma outra reflexão à luz do sacerdócio universal dos cristãos - pressuposto bíblico e verdadeiro (1Pe 2:9; Ap 1:6).

    Se todos os cristãos são sacerdotes e não existe diferença clero/laicato porque na maioria das igrejas "evangélicas" ainda se mantém a casta dos pastores profissionais com suas funções privativas?

    Onde a Bíblia diz que somente um pastor "ordenado" pode batizar ou celebrar a ceia?

    Já pensaram sobre isto? Será que os auto-denominados "reformados" estão seguindo, realmente, o sola scriptura ou trouxeram um bocado de tradição de Roma?

    ResponderExcluir
  4. Prezado Sandro:

    Obrigado pela sua contribuição no debate. Você está coberto de razão. Suas perguntas são justíssimas. Porém, quando olhamos para as escrituras, não é exatamente o que vemos? Me corrija se estiver errado. Vemos nas escrituras outros discípulos que não apóstolos, presbitérios ou diáconos batizando e celebrando outros ritos? Vamos pensar e lembrar se encontramos algum caso na bíblia?

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Caríssimo,

    Seguindo o seu raciocínio: nas Escrituras só vemos homens participando da Ceia do Senhor, isto significa que as mulheres não participavam? E por conseguinte, elas não poderíam participar hoje também?

    ResponderExcluir
  7. Prezado Sandro:

    Quanto ao comentário que vc removeu, apenas algumas considerações:

    1- Veja o que você disse: "O fato da Bíblia não narrar algo não significa que ele não aconteceu". Você é pentecostal? Só sendo para fazer tal afirmação. Se a bíblia narrando já temos algumas dificuldades de interpretação, imagine quando ela é silenta quanto a algum assunto. Nestes casos vale a velha maxima: "na dúvida não ultrapassar".

    2- A bíblia apresenta eleições para presbíteros, diferentemente do que vc afirma. É só ler em Tito.

    3- Sua dedução quanto a possibilidade de não oficiais batizarerm em Creta é temerária: "obviamente batizavam"? Pode ser e pode não ser, não é? Não podemos embasar nossas práticas religiosas em deduções cegas;

    4- Quanto a ao texto de Mateus 28:19, você já respondeu. Claro que a ordem não se aplica só aos apóstolos, mas, como vc mesmo diz, à toda igreja. É um mandado para a igreja, mas isso naõ quer dizer, necessariamente que todos na igreja devem batizar. Note: o IDE é uma missão da igreja de Cristo, não de pessoas, individualmente. Logo, dentro da igreja de Cristo, como Paulo demonstra na alegoria do corpo, cada um tem sua função bem definida.

    5- Quanto à sua alegação "nas Escrituras só vemos homens participando da Ceia do Senhor, isto significa que as mulheres não participavam? E por conseguinte, elas não poderíam participar hoje também?", confesso que gostei da argumentação. Seria assim, de fato. O grande problema é que foi o próprio Cristo quem disse "COMEI DELE TODOS"....rs...sendo assim, não temos como deixar as mulheres de fora...rs.

    Considero suas colocações justas. Como reformado, também não sou muito simpático a práticas como "a benção apóstólica", por exemplo, como se das mãos levantadas do pastor emanace raios de bençãos..rs. Também acho esquesito e não sei se a plicação é correta, mas que tem nas escrituras tem. E que também apenas pessoas comissionadas faziam uso dela, isso também não se discute. Profetas, apóstolos, enfim, os pastores da igreja de Deus, tanto no VT como no NT.

    Tudo de bom!

    ResponderExcluir
  8. Só removi a resposta porque achei que ela ficou muito longa e não continuarei com o debate somente porque aqui não é e não tem espaço adequado. Minha análise mais ampla sobre o tema está aqui: http://somentecristao.blogspot.com/2011/03/suicidio-teologico.html

    Saiba que tenho aproveitado muito do seu material. Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  9. Infelizmente é a triste realidade do evangelicalismo brasileiro!

    ResponderExcluir

Divulgue meu Blog no seu Blog