quinta-feira, 31 de março de 2011

JAIR BOLSONARO X A CULTURA GAY DE PRETA GIL: DE QUE LADO VOCÊ ESTÁ?


Um dos assuntos mais comentados dessa semana foi a “polêmica” participação do “polêmico” Deputado Federal Jair Bolsonaro no quadro “O povo quer saber”, do programa CQC da Band, que foi ao ar no último dia 28/03/2011.

Por conta das conhecidas e rígidas posições do Deputado em relação ao homossexualismo, que também, pessoalmente, concordo e subscrevo, as perguntas giraram em torno desse assunto. Destacamos algumas delas: “o que você faria se tivesse um filho gay”? “No exército tinha muita viadagem”? “Para o senhor qual o homem mais bonito do Brasil”? “Se te convidarem pra sair num desfile gay você iria”?

Em meio a essas perguntas, propositalmente, o CQC franquiou a palavra à cantora Preta Gil, única famosa, escolhida por razões obvias, a participar da sabatina. Ela mandou a seguinte pergunta:  “Se seu filho se apaixonasse por uma negra o que você faria”? Nesse momento, nitidamente, o deputado se encurva franzindo as sobrancelhas, como quem não entende uma pergunta direito.

Sua resposta a essa pergunta foi completamente infeliz e FORA DE CONTEXTO, deixando claríssimo que realmente não entendeu a capciosa pergunta de Preta Gil. Observe:  

“Preta, não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja. Eu não corro esse risco porque meus filhos foram muito bem educados e não viveram em ambiente como lamentavelmente é o teu”.

O próprio apresentador do CQC, o excelente Marcelo Tas, reconheceu, diante da falta de nexo entre a pergunta e a resposta, a eminente possibilidade do Deputado ter se enganado. Veja isso:


 A cantora agora quer processar Bolsonaro por RACISMO. Essa séria acusação de RACISMO (totalmente descabida), entretanto, é apenas um VÉU para encobrir a verdadeira motivação do ataque ao Deputado: ELIMIAR TODO E QUALQUER EMPECILHO ÀS PRETENSÕES DA CAUSA GAY. COMO UM  DESSES EMPECILHOS É O PRÓPRIO DEPUTADO, OS ATIVISTAS E SIMPATIZANTES DESSE MOVIMENTO VIRAM UMA BOA OPORTUNIDADE  PARA RETIRÁ-LO DE CENA.  


Todos sabem que Bolsonaro é um dos principais opositores do estabelecimento da “CULTURA GAY” e da “DITADURA GAY”, da qual a PL 122 é uma das principais armas. Ou seja, os GAY’S querem tirar o Deputado Bolsonaro de circulação para facilitar suas conquistas. Observe:


“Durante o lançamento da 15ª Parada Gay de São Paulo, que ocorreu na noite de quarta-feira (30), Preta desabafou: "Meus últimos dias foram de terror. Fui injustamente agredida por um político que não só me agrediu, mas a todos que são negros, gays ou que são os dois. Eu, no meu caso, sou uma mulher negra, gay e feliz". Conforme:


É fora de qualquer cogitação que o Deputado tenha sido RACISTA. Somente uma postura leviana e tendenciosa e uma mídia completamente parcial e comprometida com a “A CAUSA GAY” poderia entender o contrário.


Para deixar ainda mais evidente essa falácia do suposto racismo, destacamos as duas perguntas imediatamente anteriores à polêmica pergunta da “cantora Gay”. Perceba como o Deputado deixa claro que é ABSOLUTAMENTE CONTRA QUALQUER POSTURA RACISTA: ao ser perguntado por que era “contra as cotas raciais”, o Deputado responde que é contra porque “todos nós somos iguais perante a Lei”. Isso é a maior declaração que uma pessoa pode fazer CONTRA O RACISMO. Novamente ao ser perguntado sobre “quantos chefes negros você já teve”, Bolsonaro deixa ainda mais clara sua postura ANTI-RACISTA. Disse ele: “eu nem conto, não dou bola pra isso”. É uma resposta de quem não vê diferença na cor da pele.


O Deputado Bolsonaro emitiu uma nota de esclarecimento no seu site, que reproduzimos parcialmente:


“A resposta dada deve-se a errado entendimento da pergunta - percebida, equivocadamente, como questionamento a eventual namoro de meu filho com um gay [....]. Todos aqueles que assistam, integralmente, a minha participação no programa, poderão constatar que, em nenhum momento, manifestei qualquer expressão de racismo [...]. O próprio apresentador, Marcelo Tas, ao comentar a entrevista, manifestou-se no sentido de que eu não deveria ter entendido a pergunta, o que realmente aconteceu”. Para ler a nota completa é só acessar: http://www.bolsonaro.com.br/


No vídeo abaixo, falando ao plenário da Câmara dos Deputados, o próprio Bolsonaro explica, de forma clara e convincente, seu equívoco no entendimento da pergunta feita por Preta Gil:


Diante de tudo que foi exposto, queremos deixar claro que não concordamos com todas as posturas do Deputado Bolsonaro, como seu amor e saudade pela ditadura militar, por exemplo. Contudo, não podemos calar diante das injustiças; menos ainda daquelas praticadas sorrateiramente por grupos que querem implantar “UMA CULTURA GAY DA NATURALIDADE” no Brasil e no mundo, subvertendo a verdade em mentira, transformando uma pequena falta de entendimento pontual em uma grande oportunidade para calar as poucas vozes que se levantam contra esse movimento, que conta com a desaprovação total e irrestrita da palavra de Deus.

Concluímos fazendo nossas as palavras do Deputado Bolsonaro, registradas em seu site http://www.bolsonaro.com.br/ :

“Reitero que não sou apologista do homossexualismo, por entender que tal prática não seja motivo de orgulho. Entretanto, não sou homofóbico e respeito as posições de cada um; com relação ao racismo, meus inúmeros amigos e funcionários afrodescendentes podem responder por mim”.

 
De que lado você está? Estou com Bolsonaro e você? Defina-se, deixe sua opinião.

quarta-feira, 30 de março de 2011

ISLAMINSMO: A RELIGIÃO QUE MATA. É POSSÍVEL UM DIÁLOGO INTER-RELIGIOSO?


Autoridades políticas e acadêmicas do mundo inteiro, cada vez mais, estão empenhadas num grande esforço em prol do estabelecimento de uma convivência harmoniosa entre as Religiões. O antigo conflito no Oriente médio, por exemplo, em última análise, está diretamente relacionado com a intolerância religiosa. Tal conflito tem o potencial de atingir povos que nada têm a ver com o assunto. Até mesmo Ateus podem ser gravemente afetados por esses conflitos de caráter essencialmente Religiosos. Por isso é importante e interessante - para todos - que as Religiões andem de braços dados em perfeita harmonia, entendendo e respeitando a fé do outro.

O poder de estabilizar e de desestabilizar que a Religião possui está cada vez mais evidente. Entretanto, a consciência de que a Religião afeta e interfere diretamente em outras áreas da vida não é nenhuma novidade. O livro de não ficção mais importante do século XX - Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo - trata exatamente sobre esse assunto. Seu autor, o sociólogo Max Weber, depois de pesquisar o desenvolvimento econômico e social de vários países, chegou a conclusão que o desenvolvimento ou o subdesenvolvimento desses países possuiam causas que também estavam relacionadas com a Religiosidade e não, apenas, com fatores propriamente ditos econômicos, como pensava o filósofo Karl Marx.

Segundo Weber, baseado em suas pesquisas, países com predominância protestante (calvinista) em cargos importantes na política, comércio, Academia etc, eram países que apresentavam maior grau de desenvolvimento econômico, social e intelectual. Em contrapartida, nos países de predominância Católica Romana, havia subdesenevolvimento. Não é difícil de comprovar essa análise de Weber na prática, basta tão somente analisar os países que foram colonizados por nações Protestantes e os que foram colonizados por nações Católicas. A diferença é evidente e inegável. Para saber mais sobre esse assunto, recomendamos a leitura do nosso artigo "OS EFEITOS PSICOLÓGICOS DO CALVINISMO NA VIDA DOS ELEITOS: Ética e Capitalismo: a possibilidade de uma existência simultânea na visão de Max Weber", é só clicar no link: http://filosofiacalvinista.blogspot.com/2009/03/os-efeitos-psicologicos-do-calvinismo.html .

Diante da constatação da interferência da Religião nas mais variadas áreas da vida, o assunto tem assumido status de grande importância. Não é sem motivo os inúmeros Simpósios, Congressos, Seminários e Encontros de Ciências da Religião que estão acontecendo no Brasil e em outros países. Além disso, a CAPES tem aprovado e incentivado o surgimento de Mestrados e Doutorados com a finalidade de estudar o Fenômeno Religioso a partir das lentes e dos pressupostos da Ciência. Há uma grande esperança que a "Transreligiosidade/Logica do Terceiro Incluído", utilizada pela Ciência da Religião, torne-se grande aliada no estabelecimento de uma cultura de paz e harmonia entre as religiões, e, consequentemente, entre os povos. Para saber mais sobre esse assunto, acessar: http://gilbraz.blogspot.com/2008/05/do-transdisciplinar-ao-transreligioso.html .

Na contramão dessa tendência, queremos levantar a seguinte questão: é realmente possível esse diálogo "inter" e "transreligioso" quando o cerne, os pressupostos e os ensinamentos mais basilares de uma Religião consiste em eliminar toda e qualquer diferença?

Não se trata de desvios doutrinários como os que ocorreram com a igreja Católica, na idade média, levando-a a matar em nome de Deus. Trata-se, antes, de uma Religião que já nasceu com o propósito de eliminar o "infiel" (não-mulçumano). Estamos nos referindo ao Islamismo. Claro que há uma tentativa de suavisar a teologia dessa Religião que tem mais de um bilhão de seguidores, atribuindo e restringindo os constantes desmandos e exageros a isolados grupos radicais. Mas, será essa toda a verdade?

Para haver a possibilidade desse diálogo não seria necessário também o surgimento de um "Neo-Islamismo", isolando, assim, a antiga raíz religiosa? O vídeo abaixo levanta essas e outras questões. Fica o convite para debater o assunto.

quinta-feira, 17 de março de 2011

QUANDO MATAR NÃO É NEM CRIME NEM PECADO

Ao contrário do que muitos pensam, o 6º mandamento - "Não matarás" - não é uma tácita e absoluta proibição de matar, independentemente da situação. Ou seja, em determinados casos não é pecado matar. Em determinadas situações é até necessário e recomendável matar.

Pode parecer paradoxal, mas o principal objetivo do 6º mandamento é proteger a vida. Sem essa Lei de Deus escrita e gravada no coração do homem não sobraria ninguém pra "contar a história". Ou seja, os homens se matariam uns aos outros. A proibição é para que o cidadão, individualmente, não tire a vida do outro de forma banal, isto é, para que ele não cometa assassinato, não faça justiça com as próprias mãos e sem um julgamento justo e competente.

Matar alguém significa sempre e necessariamente ter cometido um assassinato? Evidentimente que não. Isso parece já ter ficado claro. A palavra assassinato está diretamente relacionada a crime. Matar alguem em legítima defesa, por exemplo, não é um crime, logo, não é um assassinato. Mas há outras situações em que matar não se constitui nem crime nem pecado. Numa guerra justa, por exemplo, matar o inimigo também não constiui um erro, um crime, um pecado.

Para ilustrar o título dessa postagem, utilizaremos o desfecho trágico de uma tentativa de assalto a uma farmácia, na cidade de Garanhus, no agreste Pernambucano, no dia 14/03/11. Veja no dramático vídeo abaixo:

O policial que salvou a vítima e MATOU o marginal com um tiro certeiro na cabeça cometeu um assassinato? Incorreu no pecado contra o 6º mandamento, que ordena "não matar"? Evidentemente que não. Ninguém o acusará disso, antes, pelo contrário, o policial, provavelmente, será condecorado. Ele era um legítimo representante do Estado naquele momento. Essa morte não deve ser creditada na sua conta pessoal e sim na do Estado que nada mais estava fazendo que o seu papel de "proteger" a vida de seus cidadões.

O policial puxou o gatilho da arma, mas não cometeu nenhum crime. Nem mesmo incorreu em desobediência ao 6º mandamento. Erraria se fosse omisso e se essa omissão culminasse com o marginal tirando a vida da vítima. Isso deixa claro que nem sempre "matar é um crime ou pecado". Matar para proteger a própria vida, de uma vítima indefesa e de toda a coletividade é, inclusive, louvável.

Nesse sentido, chamamos a atenção para a legitimidade e responsabilidade do Estado em elimiar assassinos cruéis, frios e calculistas, após justo julgamento, prestigiando e protegendo a vida da coletividade. O filósofo Tomaz de Aquino costumava dizer que "assim como é justo amputar um membro do corpo que foi acometido por um câncer para salvar todo o resto, também justo é elimiar certos elementos para proteger e preservar toda a sociedade".

Por tudo isso e por entender que existe farta prova escriturística que ensina acerca da necessidade e da responsabilidade do Estado em proteger as pessoas, inclusive utilizando, se necessário, o "poder de espada", é que sou A FAVOR da implantação da PENA CAPITAL no Brasil, sem desconhecer, evidentemente, que mudanças precisariam ser feitas e, talvez, até mesmo outra constituição. Penso que é o único meio lícito de se promover e satisfazer o desejo de justiça nos casos de assassinatos com requintes de banalidade e crueldade. Matar e ficar "apenas preso", ainda que perpetuamente, definitivamente não é justiça na mesma proporção do crime praticado.

Se quiser conhecer mais sobre o que a bíblia ensina sobre a PENA DE MORTE:
http://www.solanoportela.net/na_integra/pena_capital_pt2.htm

segunda-feira, 14 de março de 2011

A ORIGEM DAS TRAGÉDIAS HUMANAS

A bíblia está cheia de relatos de tragédias humanas. Homens de Deus, gente que “escreveu” bíblia, apóstolos, homens e mulheres, ricos e pobres. Ninguém está isento delas. Um dos relatos mais dramáticos e angustiantes está registrado no livro de Jó que assistiu, passivamente, a transformação de sua vida em caos total e absoluto, da noite para o dia. Desgraça sobre desgraça. Mal sabia de uma má notícia outra pior ainda chegava aos seus ouvidos. Perda de bens materiais, perda de filhos, tumores malignos (câncer) supurando dia e noite. Cacos de telhas eram seus únicos companheiros, com os quais se raspava na esperança de ver sua pele em meio às feridas fétidas. Salmistas que entraram em depressão profunda por conta de graves problemas de saúde e financeiros (Salmo 73). Irmãos vendendo irmãos como escravos, irmãos matando irmãos. Terras fendendo e engolindo pessoas vivas. Deslizamentos ceifando centenas de vidas. Fogo, saraiva; pessoas queimadas vivas; terremotos, maremotos; apóstolos apedrejados, diáconos mortos de forma horrenda. Poderíamos relatar dezenas de fatos como esses. Gente como eu e você.

Os vídeos abaixo mostra uma dessas tragédias humanas. Poderia ter acontecido com qualquer um. As imagens são impressionantes, porém julgamos necessário mostrá-la para dar idéia da dimensão do que estamos abordando aqui:

Você pode estar passando por uma dessas tragédias também. Talvez pior que essas. Certamente uma pergunta não pára de ecoar em sua mente, em seu coração: Por que tudo isso está acontecendo? De quem é a culpa? de Deus? De Satanás? Minha? Sua?

Para entender a origem das tragédias humanas iremos nos reportar para onde tudo começou. Para a gêneses do mundo, do homem e também de suas tragédias.

O livro de Gêneses registra a sentença de Deus sobre o representante legal da raça humana, depois de sua livre desobediência:

E a Adão disse: Visto que atendeste a voz de tua mulher e comeste da árvore que eu te ordenara não comesses, maldita é a terra por tua causa; em fadigas obterás dela o sustento durante os dias de tua vida. Ela produzirá também cardos e abrolhos, e tu comerás a erva do campo. No suor do rosto comerás o teu pão, até que tornes à terra, pois dela foste formado; porque tu és pó e ao pó tornarás (Gênesis 3:17-19).

A expressão CARDOS E ABROLHOS é muito significativa. Caio Fábio, em um interessante livro intitulado “Os espinhos da vida, vivenciando as tragédias da alma”, diz que essa expressão:

Significa que Deus deu uma sentença: "de hoje em diante nascerão cardos e abrolhos", prevendo uma tragédia universal em função do pecado do homem. Não apenas um fato ligado aos vegetais porque estes surgiram como mutações posteriores; surgiram em função de todos estes efeitos tremendos que vêm de irradiações desde o sol, e que mudaram a nossa atmosfera. Estas mudanças entraram em choque e geraram estas espécies que caracterizaram a queda do homem em tragédias sem fim. São os cardos que simbolizam toda a tragédia da humanidade. Simbolizam as crises nas quais os homens estão envolvidos, e os espinhos que surgiram no mundo, os espinhos biológicos, são os predadores, são as anomalias, são as doenças congênitas. Estes são os espinhos da carne, os espinhos da vida biológica, conforme: http://www.scribd.com/doc/548913/Caio-Fabio-Os-Espinhos-da-Vida.

Como fica claro, a expressão “CARDOS E ABROLHOS” não significa, somente, espinhos vegetais, antes, metaforicamente, significa todas as dores, todos os dissabores, todos os traumas, todas as agonias, todas as mazelas e desilusões sem fim que o homem pode e está, certamente, sujeito a sofrer neste mundo.

O comentário da Bíblia de Estudo de Genebra sobre essa sentença punitiva de Deus sobre o homem ao amaldiçoar a terra (Gêneses 3:17), afirma que “o relacionamento natural do homem com a terra, dominando sobre a mesma, é revertido, ao invés de se submeter a ele esta resiste a ele e, finalmente, o engole”. Esse é o trágico desfecho dos CARDOS E ABROLHOS.

Vivemos numa terra que jaz sobre a maldição de Deus. Não é de admirar todos os desmoronamentos físicos e psíquicos, catástrofes naturais, perversões sexuais e crimes hediondos que vemos e que estamos constantemente sujeitos, como vítimas e como agentes ativos.

Em última análise, todo o mal que acontece na Terra é por culpa do próprio homem que resolveu, livre e acintosamente, desobedecer a Deus, atraindo para si e para sua posteridade morte e dificuldades. Essa culpa não é somente do primeiro homem (Adão). Certamente sentimos o DNA da rebelião contra Deus correr em nossas veias. Quanto descaso, quanto desprezo. Na verdade não queremos saber de Deus, não é? É incrível como queremos ainda receber Dele coisas boas!

A pergunta 27 do Catecismo Maior de Westminster, levanta a seguinte questão:

27) Qual foi a desgraça que a queda trouxe à humanidade?

Resposta:
A queda trouxe à humanidade a perda da comunhão com Deus, sua reprovação e maldição; Por isso é que somos por natureza filhos da ira, escravos de Satanás e DIGNOS DE TODA A SORTE DE CASTIGOS NESTE MUNDO E NO QUE HÁ DE VIR.

É um milagre ainda termos alguma alegria. É um milagre ainda termos momentos de paz, segurança e saúde. Certamente não os temos por merecimento. Nosso coração decaído sequer lembra de agradecer a Deus por eles. Graça pura, pura graça, que por definição é favor não merecido. Por merecimento apenas teríamos dores intensas e desespero eterno. Ninguém pode dizer "eu não merecia". Todos nós merecemos as mais absurdas calamidades. Sabemos disso em nosso íntimo. Como bem diz o profeta “as misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos”.

sábado, 12 de março de 2011

NÃO CONTRIBUA COM PROGRAMAS DE TV OU MINISTÉRIOS PARACLESIÁSTICOS

Já perceberam a quantidade de Ministérios, grupos, programas, missões e "pastores" paraclesiásticos ou interdenominacionais existentes? São pessoas e entidades que não possuem nenhum vínculo com igreja.

É um pede pede danado. Todo mundo querendo "pregar o evangelho" e "fazer caridade" com o dinheiro dos outros. Já ouviram a expressão "Atirar com a pólvora do outro"? Pois é exatamente o que ocorre com esses "ministérios". Fico me questionando acerca da seriedade de um "pastorado" ou ministério que não possui vínculos com a igreja de Cristo. Quando possui, na melhor das hipóteses, desenvolve um "trabalho paralelo"; à parte da sua própria igreja.

Não lhes parece estranho que indivíduos se arroguem em fazer um trabalho melhor e mais eficiente que suas próprias igrejas? Isso, quando fazem parte de alguma?

Quer ter um programa de televisão e ficar famoso? Nenhum problema. Faça isso, mas não peça dinheiro ao povo de Deus. As contribuições desses devem ter um único destino: a igreja de Cristo.

Oferta se dá - e sempre foi assim - à igreja. Ofertar para manter programa de TV, qualquer que seja, é, no mínimo, uma prática extranha às escrituras, já descontando os possíveis anacronismos. Ou seja, não é bíblico. Na maioria das vezes esse dinheiro servirá para enriquecer essas "figurinhas carimbadas" que aparecem na TV. Servirá para comprar carros luxuosos blindados, aviões e helicópteros, sob pretexto de "atendimento do Ide do Senhor". Cá pra nós: você conhece alguem que teve um encontro pessoal real com Cristo por meio de algum programa de TV? Acho pouco provável, pois a maioria esmagadora deles não prega o genuíno evangelho de Cristo.

POVO DE DEUS: NÃO CONTRIBUA COM ESSES PROGRAMAS, COM ESSES MINISTÉRIOS PARACLESIÁSTICOS OU MESMO QUE VIVEM À PARTE DA IGREJA DE CRISTO; À SUA SOMBRA.

Penso que o modelo bíblico de contribuição contempla apenas dízimos e ofertas que são, impreterivelmente, direcionados à "casa do tesouro", isto é, aos gazofilácios das igrejas de Cristo. Essas sim, devem utilizar esses recursos em prol da divulgação do Reino de Deus. Nesses casos, até mesmo programas de TV são abonados como uma prática cabível (ainda que questionável), nunca, entretando, pedindo dinheiro para sustentar o "programa em si".

A prática de contribuição do povo de Deus ao seu Reino (igreja) tem sofrido violentos golpes nos últimos anos. Isso é resultado do distanciamento das Escrituras em todas as áreas e essa, que também é contemplada nas Escrituras, não poderia ficar de fora. Lamentavelmente, não raro, vemos igrejas que, para pagar suas contas fixas, precisam vender "roupas velhas" (os tristes baratilhos), cocada e tapioca. A situação é muito semelhante à encontrada por Cristo, no templo de Jerusalém, guardadas as devidas proporções.

Por tudo isso: NÃO CONTRIBUA COM PROGRAMAS DE TV, MISSÕES E OUTROS ORGANISMOS que vivem à sombra da igreja de Cristo. O padrão bíblico de contribuição é e sempre foi DÍZIMOS E OFERTAS com a única finalidade de prover as despesas da igreja de Deus.

Veja abaixo um absurdo vídeo de Silas Malafaia pedindo dinheiro para pagar as despesas do seu programa. Ele pede até dinheiro de aluguel e de desempregados, prometendo coisas que Deus não promete. Que sirva de alerta. Diga não a Malafaia ou a qualquer outro que peça "oferta" para pagar seus milionários programas de TV. Esse tipo de conduta tem enriquecido muita gente. O próprio Malafaia comprou um avião que custou a bagatela de 12 milhões de Dólares. Sim, isso mesmo. Para saber mais acesse: http://www.pulpitocristao.com/2009/12/silas-malafaia-compra-aviao-de-12.html . R.R Soares é outro que enriqueceu pedido "oferta" para pagar suas contas, além do mais cara de pau de todos: Waldomiro Santiago, da "Igreja" Mundial, que comprou recentemente um helicóptero que pertenceu a apresentadora Xuxa. Para saber mais acesse: http://www.pulpitocristao.com/2010/03/valdemiro-santiago-compra-helicoptero.html :



Da próxima vez que lhe pedirem dinheiro para programas de TV, ministérios paralelos e paraclesiásticoas diga um sonoro NÃO, desligue a TV e vá ler um livro ou as Escrituras.

quinta-feira, 3 de março de 2011

O SACERDÓCIO UNIVERSAL DOS CRENTES E SUAS CONSEQUÊNCIAS NEGATIVAS

A Reforma protestante do século XVI foi um movimento extraordinário. Trouxe muitos benefícios para a igreja verdadeira de Cristo. Em última análise trouxe a igreja de volta às Escrituras Sagradas. Mais que isso: colocou a Escritura na mão e ao alcance do povo, em sua própria lingua. Essa talvez tenha sido a maior de todas as contribuições de Lutero e Cia Ltda.

Uma vez de posse das Escrituras e não tendo mais nenhum tutor que lhe dissesse a interpretação correta, o povo, baseado na tese do "Sacerdócio Universal dos Crentes", se pôs a interpretar.

Como consequência direta disso temos um protestantismo desfigurado, que mais se parece com uma colcha de retalhos. Estima-se que, só em São Paulo, 70 novas igrejas regularizadas nascem por dia. Culpa de Lutero?

Certa vez estava no trabalho do meu pai, lendo a bíblia, há uns 15 anos atrás, quando chegou um cliente e olhando para mim perguntou: "Você é crente?" (nem gosto desse termo). Respondi que sim. Prontamente ele completou a pérola: "Crente? Sem barba?". Fiquei sem reação no momento. E ele disse: "crente tem que ter barba, você não sabia?". Não, disse eu já invocado. Ele, logicamente, parecia papai noel. Tirou então o "crente barbudo" um novo testamento dos Gideões e disse: "vou provar". Fiquei realmente preocupado. Achei que tinha perdido essa aula. Então ele leu, como defesa de sua argumentação pró-barba: "Oh como é bom e suave viverem unidos os irmãos; é como o óleo que desce suave sobre a BARBA de Arão (salmos 133). Pronto. Com essa hermenêutica mequetrefe surgiu mais uma igreja. A igreja dos barbados, mais conhecida como Igreja Adventista da Completa Reforma, conforme:
http://www.comunidadeadventista.com/2008/10/por-qu-tantas-igrejas-adventistas.html

Outro fato, noticiado na imprensa, foi de um pastor que estava lendo "ADULTERA", quando deveria ler "ADÚLTERA". Por conta da falta de conhecimento das regras básicas de acentuação e ortografia ele, como "bom" intérprete e praticante da palavra, vivia maritalmente com várias mulheres. Afinal, estava cumprindo a ordem bíblica: ADULTERA. Parece piada, mas não é. Aconteceu de verdade. É só pesquisar no google que vai achar.

Diante de tudo isso, fico me perguntando: TODOS TÊM REALMENTE O DIREITO E AS CONDIÇÕES NECESSÁRIAS PARA INTERPRETAR, PREGAR E ENSINAR AS ESCRITURAS?

Não estou dizendo que para ler, interpretar e pregar a bíblia é preciso ser intelectual. Nada disso. Mas, será que qualquer pessoa realmente tem essa capacidade? Será que um "analfabeto teológico" (porque existe gente que não teve oportunidade de estudar mais conhece muito bem a boa teologia) tem condições de interpretar e ensinar as Escrituras? O Espírito Santo ilumina (não inspira) mentes de pessoas que sequer sabem ler para que tenham uma boa interpretação? Como essas pessoas poderão, obedecendo a Cristo, "examinar as Escrituras?

Se você acha que todos, inclusive os "analfabetos teológicos", podem interpretar, ensinar e pregar os verdadeiros preceitos das Escrituras, então veja a "pregação" abaixo, pense um pouco e responda novamente a pergunta:



O SACERDÓCIO UNIVERSAL DOS CRENTES realmente dá direito a TODOS (inclusive aos "analfabetos teológicos") de interpretarem e ensinarem livremente as Escrituras? Qual sua opinião?

Divulgue meu Blog no seu Blog