terça-feira, 27 de agosto de 2013

VEJA COMO O (NEO)PENTECOSTALISMO FAVORECE O APARECIMENTO DE FALSOS PROFETAS. ACAUTELAI-VOS DELES.


O maior de todos os apóstolos - Paulo - autor inspirado de 13 dos 27 livros do Novo Testamento. Homem culto e versado na Lei, "instruído aos pés de Gamalieu, segundo a exatidão da Lei" (Atos 22:3). Escolhido pelo Espírito Santo para revelar as maiores e mais importantes verdades teológicas das Escrituras Sagradas. Ousado e poderoso no falar. Profundo conhecedor do Hebraico. Convenceu até mesmo, pela eficácia de sua pregação, os filósofos de sua época (Atos 17).

Qual deveria ser a postura da igreja ao receber um pregador com esse currículo?

Temos um relato importante acerca de uma igreja que teve a honra de ouvir o Apóstolo Paulo, com todas as credenciais demonstradas acima, pregando. O que nos chama a atenção, entretanto, nesse momento, não é a pregação desse homem que tinha grande conhecimento de Deus e de sua vontade revelada e, sim, a atitude daquela igreja; de seus ouvintes. Vejamos a atitude dos Bereanos ao ouvirem Paulo pregando:

"Receberam a palavra com toda a avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim" (Atos 17:11).

Notem: não estamos falando de qualquer "zé buchudo" que se auto-intitula e se auto-ordena pastor, bispo ou até mesmo apóstolo, de hoje em dia. Estamos falando daquele que escreveu, de forma inspirada,  metade do Novo Testamento. Mesmo assim, os Bereanos tiveram o cuidado de "examinar as Escrituras", para saber se o que Paulo dizia era compatível com o ensinamento das Escrituras.

Quanta diferença em nossos dias! 

Hoje, analfabetos funcionais tornam-se, facilmente, pastores. Homens que nem ao menos conseguem compreender a diferença que um sinal ortográfico pode fazer no sentido do texto.  Homens que são incapazes de estudarem as escrituras, pois sua aversão à leitura não permite. Jamais leram um livro de teologia na vida. Por isso, só podem oferecer aos seus rebanhos de azarados "comida estragada". Jamais poderão levá-los a "pastos verdejantes". Cegos guias de cegos (Mateus 25). Com propriedade é perguntado acerca deles: "Pode, porventura, um cego guiar a outro cego? Não cairão ambos no barranco?" (Lucas 6:39).

O filme "O último exorcista" retrata bem como as práticas cúlticas pentecostais e neopentecostais podem propiciar o aparecimento de lobos roubadores e falsos profetas. 

Veja atentamente um trecho do filme e tire suas conclusões:

 
"Eu comecei a pregar muito jovem. Meu pai era pregador e todo pregador precisa de uma isca para atrair as pessoas [...], fazê-las abrir a carteira. Uma igreja não funciona só com amor. [...] O negócio é o ritmo, agente vai falando aleluia, aleluia e eles praticamente nem ouvem o que estamos dizendo. Quando entram na sequência certa eu posso falar qualquer coisa que eles nem ouvem. Eu posso falar da receita do bolo da minha mãe" (Diálogo do falso profeta no filme. Qualquer semelhança não é mera coincidência).
 
 O cerne da questão está exatamente em terem assumido como "cultura religiosa" uma atitude antagônica àquela assumida pelos crentes de Beréia. Eles - os (neo)pentecostais - não querem saber o que as Escrituras ensinam. 

A bíblia não é, na prática, muito embora, teoricamente neguem isso, sua única regra de fé e prática. Suas novas revelações têm o mesmo peso das Escrituras. Na maioria das vezes, até uma importância maior. 

Por terem negligenciado o princípio da Sola Scripture, tornaram-se alvos fáceis desses falsos profetas com suas técnicas bem ajustadas, motivados unicamente pela ganância, pela avareza e pelo poder.

Infelizmente, muitas igrejas (locais), de origem Reformada, também estão percorrendo o mesmo caminho. Não demorará muito e logo estarão sendo presas de falsos profetas. Começam fazendo pequenas concessões. Abrindo mão de preceitos considerados não "essenciais" das Escrituras. Começam a não perguntar o que a Bíblia ensina sobre este ou aquele assunto, sobre esta ou aquela prática. A bíblia já deixou de ser sua ÚNICA regra de fé de prática e passou a ser, juntamente com o desejo de agradar seus membros,  uma delas; a menos importante, na verdade. Voltemos ao evangelho! “Ecclesia Reformata et Semper Reformanda est”.

14 comentários:

  1. Boa tarde,
    Gosto muito das reflexões, artigos... Porém, tenho uma questão:Não sou de uma igreja/denominação reformada. Minha teologia sim, é reformada ,e já tive vários/muitos problemas por conta disso. Então, não podemos generalizar... achando que todos são farinha do mesmo saco. Ah!Também não sou neo-pentecostal.Fui da Assembleia, porem não arminiano mas, calvinista(moderado)...Abraços,
    Deus continue vos abençoando.
    @prrubcler

    ResponderExcluir
  2. Olá Rubcler:

    Veja, vc pode não ser "farinha do mesmo saco", mas, e sua igreja? Acho complicado continuar numa igreja pentecostal a despeito de sua "nova crença" e dos problemas que já teve, conforme mencionou. Mas, Deus o abençoe, fique firme na verdade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde,
      1)Sou contra o ficar "trocando" de igreja...
      2)E complicado, você,pastor, ir para uma igreja reformada(já tentei). São tantas as exigências, tantas burocracias que,hoje, se torna inviável...Enquanto uns liberam demais, outros, burocratizam em demasia- Não ha equilíbrio - Mas...Deus vos abençoe,e como disse, o artigo é ótimo...
      Abraços,
      Pr Rubcler
      PS Gostei de alguns pontos colocados na resposta ao sr Eliabe Eli

      Excluir
  3. Quando eu leio algo igual ou parecido com o exposto acima, fico imaginando o que seria desta nação não fosse as igrejas pentecostais, principalmente a Assembleia de Deus. Imagino que os reformados, tão arrumadinhos, estariam comodamente sentados em seus bancos estofados em suas igrejas elitizadas esperando os pobres e necessitados adentrarem nesses portais das pregações/discursos de palavras rebuscadas entenderem teologicamente o plano de salvação proposto pelos calvinistas e luteranos. Imagino que, para não ofenderem os estatutos e regimentos internos,o pecador necessitado urgentemente de salvação deveria, antes de mas nada, preencher requisitos básicos de entendimento de leis canônicas e teologia reformada para poderem ser salvos e libertos de seus mais terríveis males. Imagino que, o não preenchimento desses requisitos colocaria o pecador desesperado numa fila de espera até o dia em que algum pastor reformado, formado em um seminário reformado, com uns 7 anos de estudo, analisaria o caso dele e desse um parecer favorável ou negativo para que esse desesperado pudesse ser aceito nas "grandes" fileiras das igrejas reformadas. E antes que você deduza que eu seja um desses pastores picaretas ladrões da fé, quero lhe informar que, independente dos conceitos e idéias arminianistas ou calvinistas, o evangelho que prego é poder de Deus tal qual ensinado pelo apóstolo Paulo com base na Bíblia em primeiro lugar e não em textos de contextos contestáveis. Aconselho você a ler o livro "O Fator Melquisedeque" de Don Richardson e passe a entender a palavra do apostolo quando diz "IMPORTA QUE O EVANGELHO SEJA PREGADO". Em tempo: sou um profundo admirador de Martinho Lutero e João Calvino, mas como todos os homens eles eram passiveis de erros, tal qual os pastores de hoje em dia, portanto, defender idéias e firmar posições baseado na teologia destes é erro, pois coloca a teologia acima da revelação diária que o próprio Deus, através do Espirito Santo nos dá. Deus, através do seu Santo Espirito, possa dar entendimento espiritual as minhas palavras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá Eliabe!

      faço parte da IPB e como talvez vc saiba é uma igreja que se subscreve confissões reformadas e por isso se diz reformada. no entanto, ser uma igreja reformada ou ser reformado não sig. apenas subscrever credos e confissões elaboradas no passado, pois a reforma do séc XVI não é e não foi apenas um fato histórico, antes é um paradigma comportamental. é um modelo a ser seguido. portanto ser reformado é viver como os reformadores viveram e lutar pelos mesmos ideais. segue-se que a critica que vc faz aos reformados, na verdade é aos pseudos-reformados. concordo com vc que há muita burocracia e comodismos no meio pseudoreformado...
      um sbrsço!
      Alexandre Galvão

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. quem trouxe o evangelho ao brasil???

      outra coisa, a igreja que mais cresce no mundo hoje, é a igreja perseguida da china, verifica se os pentecas estão lá??? como seus barulhos e extravagâncias.

      Excluir
    4. 100 anos da Assembleia de Deus no Brasil

      Biblicamente não creio nem estou convencido que o culto cristão genuíno seja pentecostal. Se os 100 anos da Igreja Assembleia de Deus (AD) devem ser parabenizados, certamente tal denominação deverá ser parabenizada por seus feitos sociais polinizadores e ações sociais em geral, mas a bandeira do pentecostalismo em seu cerne é uma coletânea de erros doutrinários. A começar pela ênfase em supostos dons espiritual fundamentados em experiências. Sem falar do legalismo de uso e costumes. Tais coisas estranhas não honram o equilíbrio da sã doutrina.

      Apesar de algumas mudanças positivas hoje, como por exemplo, uma maior preocupação da linha editorial de sua casa publicadora, as Assembleias de Deus, na prática, ainda são inventoras ativas de novas tradições humanas, em nome de uma “espiritualidade” e “unção”, e todo movimento contrário é taxado de frio e não-espiritual.

      Muitas dessas igrejas não sobrevivem sem aquecer a lareira das pregações e cânticos triunfalistas. Nos cultos, há muito holofote para cantores, teatros, corais, testemunhos pessoais, profecias particulares e honras floridas às personalidades e autoridades presentes. Ou seja, princípio regulador de culto é algo desprezado e desconhecido.

      A produção musical é pobre de doutrina apostólica e demasiadamente antropocêntrica. E muitos chamam tais movimentos de avivamentos e bênçãos. Pastores “intocáveis e ungidos” determinam o que é verdade e se blindam num tipo de imunidade em nome de Deus.

      É certo que muitos irmãos dentro da AD estão inconformados com certos moveres anti-bíblicos, e estes merecem honra pelo esforço e batalha. Tais irmãos, que ao serem zelosos em erguer a bandeira da herança reformada, são perseguidos e classificados de hereges pelas lideranças da denominação, continuam inconformistas e realmente estão plantando uma semente de um novo mover de Deus genuíno.

      Fonte: Raniere Menezes

      Excluir
  4. Prezado Eliabe:

    Não vejo muitos motivos para se orgulhar da quantidade de "crentes" produzidos pelos pentecostais. Não é estranho que enquanto o número de crentes, sobretudo, pentecostais cresce no Brasil a corrupção cresce junto? O que não dizer dos crentes políticos, a maioria ligados ao pentecostalismo, que só envergonham o evangelho? Diante de tudo isso, cabe uma pergunta: são crentes em Cristo ou nos dogmas de suas igrejas? Seu discurso é bonito e arrumado. Mas, não considero pregar o evangelho o anuncio de um Deus fraco que precisa que o homem lhe dê autorização para salvar sua alma. Não creio que esse tipo de evangelho possa produzir verdadeiros crentes em Cristo. Forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fábio, não podemos generalizar...
      não há genuínos crentes em Cristo no meio pentecostal? o que faz uma pessoa ser genuína na sua confiança em Cristo? será que o encontro salvifico com Cristo advém de um entendimento plenamente correto fruto de uma exegesse perfeita! ou é uma ação do Espírito Santo que abre nossos olhos pra enxergar com clareza o cristo da cruz?
      na verdade ninguém pode alegar uma teologia inerrante, ou uma interpretação infalível... portanto vamos com calma...
      Alexandre Galvão

      Excluir
    2. Posso falar por experiencia, pois frequentei por algum tempo, embora ainda jovem, a igreja presbiteriana da Fontinha e de Bento Ribeiro (essas duas no Rio de Janeiro). Vivi bons momentos da minha vida no relacionamento com a juventude dessas duas igrejas,porem, o que eu sempre percebia, quando da necessidade de se fazer um trabalho mais espiritual voltado para a oração, era que sempre havia um cuidado excessivo para não exceder os limites da denominação, ou seja, não ser pentecostal. Isso levou muitos jovens a procurar as igrejas pentecostais, e posso dizer que eu levei alguns a conhecer igrejas Assembleias de Deus com seus trabalhos de circulo de oração para jovens e não me arrependo porque o que se viu foi um crescimento considerável da vida espiritual desses jovens, levando-os a uma profunda comunhão com o Espirito Santo e dando frutos. Diante do exposto Fábio e Filosofo Calvinista, digo que contribui para a união dessas duas escolas teológicas, embora volto a dizer que hoje, diferente de quando me formei no seminário de tendencia arminianista, não me enquadro em nenhuma escola que queira impor dogmas e esses mesmos dogmas me coloque em confronto com qualquer outro dogma evangélico, a não ser é claro as aberrações e desvios que vemos hoje em dia nascidos de mentes maquiavélicas e velhacas. O que posso dizer é que podemos encontrar pontos concordantes que possam trazer crescimento saudável e relevante para a Igreja Evangélica Brasileira, deixando de lado as arrogâncias teológicas divergentes e procurando viver o Evangelho mais simples e coerente como aquele vivido pelos Do Caminho numa época em que a Igreja era conhecida como Primitiva, bem antes de concílios estabelecidos por homens sedentos muito mais de poder do que preocupados com os rumos saudáveis da Igreja. Um abraço, em Cristo.

      Excluir
  5. Sou membro da Igreja Presbiteriana 12 de Agosto(IPB) em Aracaju-SE. Admiro muitíssimo seu trabalho, sou "seu fã", reproduzi uma de suas matérias no meu site, gostaria te te-lo além de irmão, amigo, se possível que colabore com nosso projeto com seu artigos, tanto da internet quando na edição trimestral impressa, no site abaixo tem detalhe do nosso trabalho.
    http://www.revistamanifesto.com/Default.aspx
    Enfrento muita dificuldade de encontrar no nosso segmento pessoas qualificadas que ensine a palavra de forma simples mas com profundidade como Cristo que falava de forma linear mas era entendido por teólogos e pescadores. todo crente é um teólogo de fato e alguns de direito. Não sei o seu nome nem contatos, por favor, deixe aqui ou por e-mail para fabiolimasergipe@hotmail.com, ou me ligue (79) 9807.5055/3222-4684. Como bom calvinista acredito que te encontrar nesse palheiro da interne não foi coincidência, mas providencia. Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Prezado Galvão:

    Estás correto. Toda generalização corre o risco de ser injusta. Contudo, não podemos desprezar o fato de que há uma tendência geral entre os pentecostais que, na minha opinião, justifica o que tenho dito aqui no blog. Mas, evidentemente que tem muita gente boa e consciente dentro do pentecostalismo. Muitos servos de Deus, salvos. Consciente? Então ele está no pentecostalismo mas não é mais um deles.

    Forte abraço!

    Prezado Fabio Lima:

    Se puder contribuir com algo, pode contar.

    ResponderExcluir
  7. nesse ponto concordo prezado . prezado Fábio.
    Galvão

    ResponderExcluir

Divulgue meu Blog no seu Blog