quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

SOLI DEO GLÓRIA - Parte 2/5



ARGUMENTAÇÃO:

Precisamos entender que, assim como todos os outros “Solas”, o Soli Deo Glória, existe, foi formulado, foi  pensado para combater alguns erros e até heresias que se infiltraram na igreja e que foram minando o genuíno ensino da palavra de Deus.

Passaremos a abordar agora os erros, desvios e heresias que existiam no meio da genuína igreja de Cristo, na idade média, até o século XVI, e que são combatidos por esse princípio de Soli Deo Glória.

Sim, erros, desvios e heresias. A verdadeira igreja de Cristo pode ser corrompida de um jeito tal que não se achará nela nenhuma característica da genuína igreja do Senhor.

E já aqui temos essa séria advertência:  aconteceu no passado, com a igreja de Cristo que ficava em Roma. Pode acontecer com nossas igrejas também, se não nos apegarmos aos mesmos antídotos utilizados e formulados pelos Reformadores. E já tem acontecido. Muitas igrejas se descaracterizaram tanto que em nada se parecem com uma igreja de Cristo. Parecem com centros de macumba ou com casas de shows, não com uma igreja de Cristo.

R.C SPROUL em uma série de mensagens sobre os Solas da Reforma afirma que: “Normalmente quando a frase Soli Deo Glória é usada historicamente há dupla referências: veio à luz para combater erros, desvios e heresias basicamente em duas direções:

1ª) A primeira referência tem a ver com a Salvação.

2º) A segunda referência tem a ver Em relação à adoração, ao culto.



Estaremos abordando esses desvios na época dos Reformadores e em nossa época na esperança que o mesmo remédio que serviu lá sirva cá.

SOLI DEO GLÓRIA - Parte 1/5




INTRODUÇÃO:

Há um documento cristão do século XVII, formulado por cerca de 121 teólogos, que passaram 5 anos e seis meses estudando esse e outros assuntos da palavra de Deus, na cidade de Westminster, na Inglaterra, conhecido como Catecismo Maior de Westminster, que faz uma pergunta muito interessante e que é muito pertinente conhecê-la, porque trata exatamente do tema que nos propomos a estudar. Mais que isso: é a pergunta mais importante que um ser humano pode fazer a si mesmo; e você deve fazê-la hoje:

Qual é o fim supremo e principal do homem?  Resposta: O fim supremo e principal do homem e glorificar a Deus e gozá-lo para sempre.

Isso está em plena harmonia com o ensinamento Paulino:

“Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus” (I Cor 10:31)

Já Aristóteles afirma que o fim principal do homem é ser feliz.

Notem que temos aqui duas cosmovisões antagônicas, contrárias. Uma aponta que o homem deve viver toda sua vida com o objetivo de glorificar a Deus. A outra aponta que todo esforço deve ser concentrado em prol do homem mesmo, da busca por sua felicidade.

Mas os teólogos de Westminster interpretaram com precisão cirúrgica o que o Apóstolo Paulo, inspirado pelo Espírito Santo, ensina nesse texto, que obviamente trás a visão correta acerca de qual deve ser o fim e objetivo principal do homem.

O texto ensina que todos os nossos objetivos devem orbitar em torno do objetivo principal, que é a Glória de Deus. Quer estudar, se formar, ser um famoso e bem sucedido profissional, ganhar muito dinheiro, ser rico? Ok, são objetivos legítimos, desde que você queira tudo isso; ser rico, por exemplo, para promover a Glória de Deus. Somente a glória de Deus.

William Hendriksen comentando esse texto diz que “exaltar a glória de Deus deve ser nosso propósito principal nesta vida terrena” (HENDRIKSSEN, I Cor, p.323).

Johann Sebastian Bach escreveu uma peça, uma música clássica cujo título é Soli Deo Glória. Mas não somente isso. Em todas as suas músicas ele escrevia abaixo: SDG.



Deus deseja que a Sua glória seja manifesta no seu povo” (Calvin Commentaries on the Isaiah 43.7).

TEMA:  Soli Deo Glória – Glória Somente a Deus. Esse é o tema de nossa palestra.

A expressão Soli Deo Glória é de origem latina e significa “Glória somente a Deus”.

R.C SPROUL sobre esse tema faz seguinte afirmação: “o último “Sola” a ser reconhecido por uma criatura caída é o Soli Deo Glória, porque o ponto básico de nossa corrupção é nos recusarmos a glorificar a Deus da forma devida e correta”.

Como todos já sabem, é um dos chamados Solas da Reforma Protestante. O último, que abrange todos os outros.

Curiosamente parece ser o mais tranqüilo e o mais fácil de aceitar. Por exemplo: imagino que muitas igrejas não reformadas devem ter alguma dificuldade para aceitar o “Sola Scripture”, pois confronta diretamente a questão das novas revelações, profecias, etc.

Mas, “glorificar somente a Deus”, quem vai discordar disso? É claro que todos concordam que toda glória deve ser dada somente a Deus.

Não é tão simples quanto parece. Espero que estejam preparados para serem confrontados com essa verdade bíblica.
 

Divulgue meu Blog no seu Blog