quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

REVENDO VALORES: A SALVAÇÃO NUNCA FOI, NÃO É E JAMAIS PODERÁ SER SOMENTE PELA GRAÇA E PELA FÉ - Parte 1/2


O cristianismo chamado primitivo perdurou até aproximadamente o século IV d.C, se quisermos esticar ao máximo essa fase. A igreja outrora perseguida, desde Atos 8, agora passa rapidamente primeiro para uma condição de não mais perseguida e, depois, para a condição que nortearia sua trajetória até o século XVI: Religião oficial do Estado, com nuances, inclusive, de perseguidora da fé contrária, desde o século V, com a chamada Pretensão Petrina.

Durante esses onze séculos a igreja cristã ocidental, com base em seu magistério, desenvolveu muitos ensinamentos. Citaremos apenas aquele que é relevante para o assunto que estamos abordando aqui:

Salvação pelas Obras e sua variante semi-Pelagiana: Para a Igreja Católica Romana a única possibilidade de Salvação reside na permanência do homem em seu seio, participando dos sacramentos, jejuns, esmolas,  outros trabalhos piedosos e até alguns sacrifícios estabelecidos pela igreja. Ou seja, para a Igreja Católica Romana, as obras de justiça são consideradas meritórias para a salvação.

Os chamados Reformadores, especialmente no séculos XVI, não concordavam com esse e outros ensinamentos, trazendo à luz cinco lemas, que passaram a ficar conhecidos como "Os 05 solas da Reforma Protestante". Dois deles visavam combater diretamente o ensinamento de "Salvação pelas Obras", da Igreja Católica:

1) Sola Fide (Salvação somente pela Fé);
2) Sola Gratia (Salvação somente pela Graça).

A questão que se levanta aqui é: qual desses dois sistemas interpretativos estão corretos, uma vez que são auto-excludentes?

Muitos "Simpatizantes da Reforma" têm depositado toda sua confiança de salvação nesses dois Solas. Trata-se de uma confiança quase inabalável. A ideia que norteia suas mentes e corações sinceros é que "não precisam fazer absolutamente nada para que sejam salvos". Rejeitam toda e qualquer associação da salvação com as obras. Seu texto predileto é Efésios 2:8-9, que afirma "Porque pela GRAÇA sois salvos e isso não vem de vós, é dom de Deus. Não de OBRAS para que ninguém se glorie". Implicitamente interpretam a palavra GRAÇA como AUSÊNCIA TOTAL DE OBRAS. Geralmente possuem algumas características em comum, todas elas embasadas pelo que entendem dos lemas "Sola Gratia" e "Sola Fide":

a) São ousados na defesa de sua fé;
b) Têm relativo conhecimento das doutrinas basilares da Reforma Protestante;
c) Gostam de ser reconhecidos como um "combatente da Reforma";
d) Via de regra são intolerantes e intransigentes em assuntos relacionados à fé;
e) São sectários;
f) Não digerem muito bem a ideia de serem liderados e pastoreados, sob o pretexto de terem apenas Deus como senhor de suas consciências;
g) Curiosamente quase sempre são orgulhosos e prepotentes;
h) Gostam de serem vistos próximos de teólogos renomados, regando com cuidado essa amizade;
i) Não dão muita importância para as atividades da Igreja local, onde congregam. Afinal, "não precisam praticar obra alguma";
j) Não raramente amam o mundo e dele se aproveitam, sob o pretexto da liberdade de consciência, da qual não abrem mão, especialmente naquelas questões que não consideram pecaminosas;
l) De tanto quererem fugir de qualquer aparência com os pentecostais acabam por se aproximar da aparência do mundo, no que diz respeito a seus gostos, vontades e direitos;

Mal sabem eles que perecerão eternamente e levarão a reboque seu Calvinismo e todos os "Solas da Reforma Protestante". Estão absolutamente enganados com a suposta segurança trazida pelo seu entendimento da "Sola Gratia" e por não praticarem "BOAS OBRAS", tal qual prescrevem as Escrituras, serão eternamente condenados ao inferno, de onde reclamarão: "em teu nome profetizamos" (Mateus 7:22).

Seu ensino de "Salvação exclusivamente pela Fé e pela Graça", contrabalanceado com o falso ensino da "não necessidade das obras para a salvação", certamente estarão compondo os autos de sua própria condenação. Na capa do seu processo condenatório estará escrito: "Este réu rejeitou as boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas" (Efésios 2:10).

Divulgue meu Blog no seu Blog