terça-feira, 20 de agosto de 2013

NEOPENTECOSTALISMO = CONJUNTO DE DOUTRINAS QUE SE OPÕEM AS ESCRITURAS

 
Como você definiria o Neopentecostalismo?  O Pr.Renato Vargens define da seguinte forma:

É o conjunto de doutrinas que se opõem as Escrituras. Possui um conceito de fé fundamentada na confissão positiva; sua teologia foca especificamente na prosperidade; suas canções são antropocêntricas e o seu deus É O SEU PRÓPRIO UMBIGO.

video

3 comentários:

  1. Petrus Alois Rattisbonne20 de agosto de 2013 15:55

    Eu também quero um “novo Pentecostes”! Eu também quero ver e sentir a ação vigorosa do Espírito Santo! E vejo que isso acontece quando alguém sacia a fome dos pobres; quando um bispo enfrenta corajosamente o ódio do mundo contra a Igreja (viva Dom Sobrinho!); quando católicos se dispõem a atuar como voluntários para aliviar o sofrimento de refugiados de guerra; ou quando alguém perdoa sinceramente a quem lhe ofendeu.

    Na beleza desses gestos, vejo a ação do Espírito tanto quanto na imagem milagrosa de Nossa Senhora de Guadalupe, gravada no manto do índio Juan Diego. Uma freira limpando com amor o bumbum de cocô de um bebê em uma creche ou um casal vivendo um namoro santo valem muito mais do que 10 mil candidatos a apóstolos pentecostais.

    Conforme a Tradição da Igreja, peço ao Espírito Santo que Ele venha e nos dê os seus dons. Que Ele nos ajude a ser santos nas coisas ordinárias: ser estudantes e profissionais competentes e responsáveis, amar os que nos enchem o saco, evitar a fofoca, instruir os ignorantes, consolar os tristes.

    Vinde Espírito Santo! Faz resplandecer a beleza de Cristo na banalidade do cotidiano!

    Os princípios dos pentecostais, que são modernistas, não devem receber nosso apoio, mas a maneira como eles põem tais princípios em prática tem de passar por uma séria revisão já que, da maneira que está, a renovação que muitos pedem as vezes "pentecostaliza" com falsos dons, a Igreja ordinária.

    Os que são adeptos das teologias modernistas devem ser extirpados, pura e simplesmente.


    Os pentecostais tem na sua base um sentimento positivo, de rejeição às conseqüências do modernismo na Igreja, mas, por falta de orientação, fazem isso com elementos do próprio modernismo. Eles tem de serem purificados das vãs filosofias e, aí sim, desenvolverá suas potencialidades.

    Pouco a pouco tirar tudo que tenha relação com o subjetivismo excessivo, com o conspiracionismo milenarista e com o pelagianismo e, por outro lado, incentivar, sob uma roupagem mais equilibrada, o que eles já tem de bom, como: a vida de oração, o uso dos meios de comunicação de massa na evangelização, os vários trabalhos sociais, etc.

    Um fato, é que vários pentecostais, quando bem orientados, acabam virando calvinistas tradicionais. Se a isso, juntarmos o vigor que os caracteriza, vcs, meu caro Fábio terão uma verdadeira reforma.


    ResponderExcluir
  2. Petrus Alois Rattisbonne20 de agosto de 2013 16:16

    Agora, considerando a crise que estamos atravessando, em uma época em que muitos fiéis não tem a menor noção de pontos doutrinários elementares, pra que estas correções possam mesmo acontecer, acho mais prudente falar em "Renovação" mesmo. Não creio que seja muito eficaz entrar num grupo de pentecostais ou RCC dizendo que "nós temos de extirpar esse câncer da Igreja". Isso não dá bons resultados.

    Deus usa os mais diversos instrumentos para fazer sua obra.

    Que grupo nas diversas Igrejas, tanto católicas como protestantes não tem seus defeitos e seu lado obscuro? Não são esdrúxulos o sedevacantismo e a pantomima conclavista e a livre interpretação derivadas dos problemas dentro do tradicionalismo protestante? E como podem os progressistas falar algo de alguém quando confundem Deus com a natureza e o Evangelho com um pensamento filosófico contingente?

    O que é que não precisa de renovação? Que vida não tem seus claros e escuros? Não só a vida dos indivíduos precisa de uma conversão constante, mas a dos movimentos e organizações internas da Igreja também.

    O que vamos fazer com isso? A didática ensinada por Jesus Cristo foi uma didática de exclusão? Vamos simplesmente apresentar os erros das pessoas e não dar nenhuma alternativa? E não se venha com a noção de: somos puramente cristãos. Todos nós somos puramente cristãos, mas estamos cristãos sempre dentro de um contexto pessoal, social e espiritual, onde erros e acertos convivem.

    Não dá para dissociar a RCC e os pentecostais das partes que os formam, já que eles são um "movimento". Também não se pode dissociar o tradicionalismo, como postura, dos problemas da FSSPX.

    Mas o ponto é o seguinte: o fato de haver heresias não quer dizer que os pentecostais sejam hereges, pois os calvinistas não tem magistério pra isso (da mesma foram que alguns católicos críticos do rito paulino quando dizem que ele é heretizante não querem dizer que ele é herético - pelo menos os com a cabeça no lugar). Para ser herético teria de haver um magistério diretivo entre eles e a doutrina dos calvinistas e, mesmo levando em conta a base protestante onde os pentecostais nasceram, isso não existe (pois nem tudo que há no meio do protestantismo é, de si, passível de ser considreado errado).

    E mesmo que houvesse magistério para condenar os pentecostais protestantes, a essência poderia ser rejeitada e o isntrumental aproveitado.

    ResponderExcluir
  3. Petrus:

    Queres aproveitar o que os pentecostais têm de bom? Leva pra tua igreja, então...rs.

    Forte abraço!

    ResponderExcluir

Divulgue meu Blog no seu Blog