quinta-feira, 21 de março de 2013

A SOLUÇÃO “DEFINITIVA” PARA O DEBATE EM TORNO DA QUESTÃO DA HOMOSSEXUALIDADE


Religiosos, deixem os Gay’s em paz! O que os senhores têm a ver com as práticas sexuais dos outros? Absolutamente nada. Se Preocupem mais com suas vidas e deixem a vida dos outros. Eles são livres para ser o que bem entenderem. Eles se dizem satisfeitos e felizes do jeito que são; do jeito que escolheram ser. Talvez, até mais felizes que os senhores. São cidadãos que, igualmente a vocês, pagam impostos, cumprem com suas obrigações sociais. Isso pressupõe que, igualmente a vocês, possuem todos os direitos garantidos por um  estado laico. O que os senhores querem? Transformar o país numa grande igreja? Por favor, não façam isso. A depender dos exemplos que temos visto do “evangelicalismo moderno”, o país sucumbiria.

Mas, toda moeda tem dois lados. Os Gay’s também são fogo. Têm, certamente, sua parcela de intransigência nesse debate.  O que os senhor(es/as?) querem? Imagino que viver sua opção sexual sem nenhum constrangimento, não é isso? Concordo plenamente. Também não gostaria de ser maltratado pelo fato de ser heterossexual. Porém, a forma como estão tratando a questão é que está criando toda essa celeuma. Hoje, sem PL-122, se algum Gay for agredido(a), moral ou fisicamente, o que acontecerá com o agressor? Irá preso, responderá processo, etc, etc. Da mesma forma que aconteceria com um “não-Gay’. Ou seja, vocês já estão protegidos, como qualquer outro brasileiro, contra os desmandos dos foras-da-lei. Vocês não precisam de uma Lei específica. 

Esse ponto realmente tem gerado muita polêmica e entendo que ele é fundamental para a solução definitiva do problema. Penso que se abrirem mão dessa ideia de uma Lei específica, nos moldes da PL-122, tudo ficará mais fácil de ser resolvido. “Abortem” esse pensamento; ele é desprovido de logicidade. Vejam: eu sou muito chato, por opção. Tenho o direito de sê-lo, desde que não invalide o direito dos outros; a velha máximo do direito. Suponhamos que alguém não goste do meu jeito “cabuloso” de ser e resolva me agredir, me xingar, me denigrir e até me bater. Precisaria eu de uma lei da “chatofobia” para enquadrá-lo? Obviamente que não. Procuraria meus direitos na forma da lei, que já existe. Por que simplesmente vocês não fazem o mesmo? Esse seria um passo importante na mediação desse conflito. 

A PL-122 é boa pra vocês, mas invade o direito de outras pessoas. E isso não é legal, não é verdade? Vocês são vítimas constantes desse tipo de procedimento, não podem enveredar pelo mesmo caminho. 

Se reter o direito das minorias já é errado imagine, então, das maiorias?!

Por incrível que parece, a solução dessa briga é bem simples e depende muito dos Gay’s.


É sabido por todos que no cerne dessa briga está a questão Religiosa. É uma briga entre Gay’s e Religiosos, principalmente evangélicos, em última análise.

O que proponho abaixo solucionará todo esse problema. Os dois lados precisarão fazer sua parte. Estão prontos a buscarem a solução definitiva para esse debate em torno da questão homossexual?  

A parte dos Evangélicos e outros Religiosos já está posta logo no início desse post. Agora vamos à parte que cabe aos Gay’s, similares e outros simpatizantes. Seguinte:

Esqueçam o Deus pregado pelo Cristianismo. Esqueçam o Cristianismo. Desprezem a Bíblia. Virem ateus, nesse sentido. Vivam como se o Cristianismo, de fato, não existisse. Esqueçam que um dia vocês ouviram falar da Bíblia. 

Pronto. Façam isso e verão que terão paz no exercício pleno de sua homossexualidade ou de sua homoafetividade. 

Certamente se vocês não tiverem nenhuma pretensão de se tornarem Cristãos ou membros de alguma igreja evangélica, não terão mais nenhum problema nessa área. Serão realmente livres, como sempre quiseram. Façam o teste.

Enquanto os senhor(es/as) insistirem na possibilidade de uma convivência harmônica entre sua opção sexual e o Cristianismo, esse problema será sempre reavivado. A razão disso é muito simples: O Cristianismo e a Bíblia são completamente incompatíveis com a prática homossexual. Isso sempre foi tratado como Pecado e sempre continuará a ser. Não tem como mudar isso. Para outras áreas do saber, como a sociologia, psicologia, antropologia, por exemplo, não há essa dificuldade. Voltem-se, então, para essas outras áreas. Tornem-se alheios à Religiosidade Cristã. Sejam "entregues a si mesmos", autônomos. Façam côro com o filósofo ateu Friedrich Nietzsche, que alardeava contra toda divindade e contra toda religiosidade: "Deus morreu e nós o matamos". Matem, também, a ideia da possibilidade da existência do Deus da Bíblia em suas mentes e em seus corações. Não permitam que fique nenhum indício de possibilidade da menor aproximação com o Cristianismo e com a Bíblia. Façam isso e vivam uma homossexualidade completamente desprovida de culpas.


Para que os evangélicos, católicos e demais religiosos aceitem um “cristão gay”, eles precisarão abrir mão dos pressupostos mais basilares da fé que professam. Percebam que é praticamente uma agressão, uma violação da liberdade de culto. Entendam esse lado da moeda também.

3 comentários:

  1. certamente, é ironica a proposta do filosofo calvinista, quando propõe que os homossexuais se desvencilhem do cristianismo. pois, a verdade acerca de Deus, tanto a sua existência como suas exigências morais estão ( como disse o apologeta reformado Van Til) abaixo do limiar de sua consciência ativa. isto é, o senso de divindade que o pecador busca suprimir está bem latente em sua consciência. (Rm 2).
    Pb. Alexandre Galvão

    ResponderExcluir
  2. Você tem razão, Fabio... Cristianismo e homossexualidade são incompatíveis....vc é um 'chato" engraçado... o artigo é interessante e engraçado (em alguns trechos).

    ResponderExcluir

Divulgue meu Blog no seu Blog