sexta-feira, 9 de março de 2012

PAI É PRESO POR DISCIPLINAR O FILHO


A chamada Lei da Palmada nem entrou em vigor ainda e um pai já foi preso por disciplinar seu filho. Aprovada pela Câmara dos Deputados a Lei ainda precisa passar pela aprovação do Senado. Trata-se de uma Lei extremamente polêmica que, a princípio, não prevê punição aos "agressores".

A agressão ocorreu às 7h em uma escola particular de Brasília. Um pai começou a dar palmadas e chegou a bater no filho de três anos com o cinto. O menino ficou com marcas no corpo e chamou a atenção de quem estava por perto. Alguns pais tentaram intervir, mas não conseguiram. Um deles era policial militar e deu voz de prisão ao agressor. Enquanto o PM, que estava à paisana, chamava uma viatura, ele fugiu. O pai foi localizado em casa e no caminho para a delegacia, algemado, ele não quis mostrar o rosto. Ele tentou se justificar: "Meu filho chegou na escola dando birra! Ele não queria entrar na sala. Eu conversei, eu argumentei... ele estava gritando na sala" (http://www.sbt.com.br/jornalismo).

Veja abaixo a reportagem desse fato lamentável. Atente para o sóbrio comentário da apresentadora Rachel Sheherazade:


É evidente que a disciplina que cabe aos nossos filhos não pode nem deve servir de espetáculo ao público, como quem quer dar uma resposta à vergonha sofrida por suas "birras". Precisamos entender que nossos filhos são pecadores. São maus por natureza e por isso mesmo precisam ser educados, que em última análise é a retirada da maldade de seu coração e a inserção de virtudes e valores positivos. A disciplina deve ser feita no ambiante do lar ou em local reservado e sem ser na presença de terceiros. É uma questão que só interessa aos pais - responsáveis pela benção da disciplina - e aos filhos - aqueles que "precisam" ser disciplinados. Como bem observou a repórter na manifestação de sua opinião, a palmada, como recurso disciplinar, não deve se transformar  em uma agressão.


A bíblia, no que diz respeito à correção dos filhos, trás algumas orientações importantíssimas, muito embora esses preceitos entrem em choque direto com as recomendações de psicólogos e pedagogos da atualidade. Vejamos o que Deus tem a nos ensinar sobre a disciplina dos nossos filhos:

"A estultícia está ligada ao coração da criança, mas a vara da disciplina a afastará dela" (Provérbio 22:15).

"Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele" (Provérbios 22:6).

"Porque o SENHOR repreende a quem ama, assim como o pai, ao filho a quem quer bem" (Provérbios 3:12).

"O que retém a vara aborrece a seu filho, mas o que o ama, cedo, o disciplina" (Provérbios 13:24).

"Não retires da criança a disciplina, pois, se a fustigares com a vara, não morrerá" (Provérbios 23:13).

"A vara e a disciplina dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma vem a envergonhar a sua mãe" (Provérbios 29:15).

6 comentários:

  1. O cara não foi preso por disciplinar, foi preso por bater no filho.

    ResponderExcluir
  2. Prezado Preso por fora:

    Bater é também um tipo de disciplina. É só ver os textos bíblicos indicados. Agora se a questão é que ele exagerou, aí é outra coisa. Mas, o fato é que, qual o pai não bateria no filho nessa situação? Ele deveria deixar o menino fazer o escândalo? Agora, claro, como já disse, existem formas e formas de se fazer isso. Até para bater tem que saber fazer.

    ResponderExcluir
  3. Já vi argumentos de que estes versículos foram mal traduzidos...

    Que vara quer dizer outra coisa.

    Más independente disso, é vergonhoso ver como vocês incentivam à desobediência à leis governamentais.
    Tem gente por ai pregando até que crianças que não apanharam irão para o inferno!
    Obedecer as palavras de Paulo em romanos sobre não ir contra autoridade que é bom nada né?
    É exemplo cristão bater no filho escondido da polícia?
    Paz.

    ResponderExcluir
  4. Fiquei chocada em ver alguém a favor de se bater com um cinto de couro numa criancunha de três anos, e pior achar que o problema é fazê-lo em público!!!!!
    Maria Lucia

    ResponderExcluir
  5. Prezado Invan Sales:

    Quero lembrá-lo que o Apóstolo Pedro também desobedeceu autoridades. Mais que isso: ensinou, inspirado por Deus, que a desobediência civil deve mesmo ocorrer quando há um choque direto com os preceitos de Deus. Diz o apóstolo: "Importa antes obedecer a Deus
    que aos homens (Atos 5:29).

    A chamada Lei da palmada faz parte de uma série de ações que tem por objetivo minar, de forma inconsciente para muitos defensores e conscientes para seus mentores, a família. Existe vasta recomendação bíblica para que o os pais disciplinem seus filhos. Acaso seria sem motivos?

    Prezada Maria Lucia:

    Todos nós somos contra o espancamento de qualquer pessoa, menos ainda de crianças. Todo exagero deve ser repudiado. Contudo, a disciplina e até mesmo bater com o cinto, desde que não violentamente, pode ser um recurso disciplinar válido. Da mesma forma que qualquer tipo de disciplina aos nossos filhos, até mesmo uma conversa, não deve ser feito em público para não envergonhá-los.

    Minha geração é uma geração que ainda apanhava dos pais. A dos meus pais, muito mais ainda. Se formos comparar as gerações, aquelas que foram criadas sob o rigor da disciplina e aquelas que foram criadas na frouxidão apregoada hoje em dia, veremos, claramente, que aquelas sob a disciplina mais rígida produziu pessoas mais responsáveis, respeitadoras dos pais e melhores cidadãos.

    Isso é inegável. Com um detalhe: ninguém amou menos seus pais. Pelo contrário, há um grande sentimento de gratidão pela disciplina recebida. Afinal, como diz o texto: "A vara e a disciplina dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma vem a envergonhar a sua mãe" (Provérbios 29:15).

    Deixando claro, entretanto, que somos contra qualquer tipo de exagero e espancamento. Mas não somos contra bater de forma disciplinar.

    ResponderExcluir
  6. Se não fossem aquelas palmadas do meu pai e as chineladas que levei da minha mãe, talvez hoje eu não seria tão grato a eles por sua correção.

    Esta geração moderna, atribui ao estado a tarefa de corrigir e educar seus filhos, o problema será quando num futuro não tão distante, o mesmo estado deparar-se com o produto que criara.

    Será algo semelhante a Frankestein???

    "A vara e a disciplina dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma vem a envergonhar a sua mãe" (Provérbios 29:15).

    Ótimo texto!!!

    ResponderExcluir

Divulgue meu Blog no seu Blog