segunda-feira, 25 de abril de 2011

JOGADOR ADRIANO APOIOU ABORTO DA EX-NOIVA JOANA MACHADO


Ex-noiva do jogador Adriano (atualmente no Corinthias), confessou, em rede nacional, durante entrevista para o programa "Tudo é possível", da Record, no quadro "Vale tudo, só não vale mentir", na tarde de 24/04/2011, que ABORTOU um filho do jogador.

O fato não é novo e já havia sido noticiado antes. Em 2009, Joana concedeu uma polêmica entrevista e fez questão de tornar o assunto público. Veja abaixo trechos da entrevista:

"Tem mais alguma coisa que você queira dizer? Tem muita gente que acha que fiquei com o Adriano todo esse tempo porque sou Maria Chuteira, inclusive a família dele. Estou engasgada com isso. Uma coisa que eu queria contar é que já fiquei grávida do Adriano e perdi o filho. Perdeu naturalmente? Não foi natural, eu fiz aborto. Achei que não era a hora de ter essa criança. Ele estava em um momento de muita transição na vida dele. Por quê? A ex-mulher dele também estava grávida. Não quis ter o neném, passei por isso tudo sozinha, sem ninguém saber, nem meus pais. Mas Adriano soube? Ele soube, minhas amigas souberam. Uma viagem que eu fiz para a Sardenha, que tem fotos na Caras, dá para ver minha barriga nitidamente. As pessoas que acham que eu sou Maria Chuteira, que eu fiquei com ele por causa de dinheiro, agora, eu quero que saibam que eu fiquei grávida, sim, e que foi opção minha não ter. Podia ter tido e estar ganhando pensão agora. Ele nunca me deu nada. Ele me deu um carro, mas eu devolvi quando terminei com ele. Não sou Maria Chuteira, fiquei com ele porque gostava dele. Quantos meses você tinha de gravidez quando fez o aborto? Estava com dois meses e meio". Conforme:

Para a apresentadora do "Tudo é Possível", Ana Hickmann, Joana  afirmou ainda que não se arrepende de ter feito o aborto e que o fez "de comum acordo com Adriano".

A legislação brasileira só permite (pelo menos até o momento) a prática do aborto em casos de estupro e em outras poucas ocasiões com autorização judicial. Como no caso de Joana não ocorreu nem uma coisa nem outra, fica configurado o crime de assassinato cometido por ela, tendo como "co-autor" o jogador Adriano.

Em última análise, Joana Machado CONFESSOU um CRIME em rede nacional. É RÉ confessa. É como se dissesse "Matei uma criança (que poderia ter sido um dos dois filhos de outro relacionamento) e por acaso era meu filho" e o fiz com a ajuda de um CO-AUTOR, que é o jogador Adriano.

Resta saber se serão indiciados por crime.

Será que a nossa justiça é tão omissa a ponto de deixar sem punição alguém que confessa publicamente ter cometido um grave crime? Será que se a confissão partisse de uma "não-celebridade" o tratamento seria diferente?

Veja abaixo a entrevista completa de Joana Machado. Deixe sua opinião: o que deveria acontecer com Joana Machado e o jogador Adriano?

7 comentários:

  1. Paulo disse:

    Bem, o crime existiu, foi aberta e amplamente confessado e, pelas características, deve ser considerado como hediondo, dupla ou triplamente qualificado, praticado que foi sem nenhuma oportunidade de defesa pela vítima e por motivo torpe. Falta acrescentar, apenas, o óbvio ululante: O realizador do aborto, médico ou quem quer que tenha sido, tão assassino quanto Joana Machado e o futebolista Adriano. Se isso vai acabar em cadeia, não sei, afinal estamos no Brasil, mas será uma lástima se assim não for.

    ResponderExcluir
  2. Assassina. Matou o próprio filho. Por que não se preveniu? Se não se preveniu, assumiu o risco de engravidar . Um inocente indefeso pagou com a vida.

    ResponderExcluir
  3. olha tem que prender mais de setenta por cento das mulheres ,pelo mesmo ela foi sincera e muito
    burra pois estaria recebendo pensão até hoje e
    veja e uma bela grana

    ResponderExcluir
  4. Caro Anonimo:

    Não é por conta da quantidade de marginais que se deva deixar de prender. Depois, será mesmo que a proporção de mulheres que abortam chega a 70%? Estás enganado. No Brasil, há estatísticas que dão conta de 1.500.000 mulheres que abortam por ano, portanto, menos de 10%, muito embora seja um número altíssimo, podendo a ultrapassar a casa dos 10% se considerarmos os abortos que ficam de fora das estatísticas, podendo ficar entre 15 e 20%.

    ResponderExcluir
  5. eu nao acho uma criminosa,sim uma mulher guerreira, que gosta de dizer toda verdade doa a quem doer. e vcs sao os moralitas mascarados

    ResponderExcluir
  6. Mas uma bonequinha de plastico na midia , diferença , esta , convenceu um pais e ganhou um reality , pena q neste mesmo país , lutamos contra aborto , violencia contra nós mulheres , ouvir da boca dela da nojo , por amor ??? ao um homem , e a criança o tal nenem ,vc é uma guerreira so que , ta do lado errado do combate , por tras desta mulher , temos q pensar q exemplos nossas filhas vão ter ,Joana vc conhece metodos antconcepcional ???

    ResponderExcluir

Divulgue meu Blog no seu Blog