sexta-feira, 6 de agosto de 2010

DEBATE BAND DOS PRESIDENCIÁVEIS: UMA BREVE AVALIAÇÃO

O primeiro debate desta eleição entre os candidatos à Presidência da República foi realizado pela Rede Bandeirantes na noite desta quinta-feira. Participaram do encontro Dilma Rousseff (PT), José Serra (PSDB), Marina Silva (PV) e Plínio de Arruda Sampaio (PSOL).


PLÍNIO:

Surpreendeu pela sua eloquência e boa utilização das câmeras. Parecia absolutamente à vontade; se auto-intitulou, em vários momentos, de "excluído e vítima de preconceito" com uma clara intenção de criar empatia e identificação com os que assim se definem. Seu discurso não é de militante leigo e sim de alguem que conhece profundamente as bases teóricas de sua opção política. Extremamente bem articulado demonstrou perfeita sintonia com o discurso "ultra-passado" marxista. Único que propõe uma ruptura completa e radical com a atual conjuntura, inclusive mundial. Ótima opção para quem quer uma real mudança; talvez única opção verdadeira. O problema é que ele teria que re-criar o país inteiro para governá-lo.

DILMA:

Parecia não estar à vontade; demostrou nervosismo além do comum. Muito presa ao esboço teve que improvisar algumas falas quando não encontrava a informação, de imediato, em suas anotações. Chegou muito mal acompanhada por seu principal assessor: Antônio Palocci. Isso poderá prejudicá-la se bem explorado por seus concorrentes. Utilizou uma palavra que deveria evitar em seu discurso: "mudança", uma vez que faz parte de tudo que está posto no atual governo. Tentou demonstrar firmeza e domínio da situação, mas não fez isso de forma natural e expontânea. Tem a vantagem de ter participado ativamente de um governo com alto índice de aprovação popular. Tentou assumir a postura de candidata "independente" mas não resistiu e invocou algumas vezes o "fantasma" do presidente Lula para lutar ao seu lado. Inteligente demonstra seriedade em suas intenções.

MARINA:

Extremamente inteligente e bem articulada desenvolveu os temas com muita propriedade. Não surprendeu porque já é bem conhecida e dela sempre se espera boas apresentações. Chega a ser brilhante em algumas falas. Claramente está abandonando o discurso da radicalidade política e parece estar trilhando o mesmo caminho conciliador de Lula.

SERRA:

Claramente o mais experiente de todos. Sua tragetória política fala por si só. Não precisou recorrer a esse argumento, apenas citou os cargos que já ocupou e fez isso em momento muito bem escolhido do debate, deixando claro que é, teoricamente, o mais amadurecido politicamente. Fez questão de frisar que foi exilado por sua luta contra a ditadora. Prometeu fazer coisas que não fez nem como prefeito nem como governador de São Paulo: a criação de "mais de 150" centros especializados de Saúde, com o objetivo de acabar com a espera e longas filas. Deixou essa lacuna argumentativa que não foi aproveitada por seus oponentes. Estava absolutamente à vontade e utilizou com muita segurança os recursos da televisão.

10 comentários:

  1. muito isenta a sua avaliação.... aproveita pra aprender a escrever aSSeSSor...

    ResponderExcluir
  2. Você esqueceu de falar que:
    Marina Silva - aquele tom de voz que ela usa, para se parecer maternal ou conciliadora, se você passar muito tempo ouvindo se torna desagradável.
    Dilma - A segurança durante o debate dos argumentos, parecem ter sido decorados ou melhor, mal-decorados pela candidata.
    Serra - Escolheu um tom não muito convincente para se expressar, deveria ter sido mais enfático

    ResponderExcluir
  3. Prezado Anônimo:

    Obrigado pela “assessoria”...rs. Escrevi esse breve e “despretensioso” comentário depois do debate e quase 3:00 da matina. Então, me dê um desconto ok?..rs. Longe de ser a única forma de ver os fatos, essa foi apenas a minha impressão do debate. Não sei se fui isento ou não; não teria motivos para não ser, pois ainda não decidi em quem irei votar e além disso não sou militante político de nenhum partido, ao contrário de você, como deixa transparecer. Estou completamente aberto às possibilidades; inclusive a do Plínio. Na verdade, até agora, acho que não estamos bem de candidatos. Considero que perdemos muito com Ciro e Aécio fora da disputa.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Depois do debate, não há opção, que faremos nós brasileiros e brasileiras?

    ResponderExcluir
  6. TALVEZ O MAIS CORRETO SEJA DE ANTONIO PALLOCCI
    A$$E$$OR...MAIS PARA TIO PATINHAS...

    ResponderExcluir
  7. FILOSOFO, APESAR DO DESCONTO DE TER ESCRITO AS CONSIDERAÇÕES AS 3 DA MATINA, AINDA BEM QUE TEMOS AECIO NEVES FORA DA DISPUTA, SERIA UM PRESIDENTE DROGADO, UM PRESIDENTE COCAINA, ORA BOLAS....

    ResponderExcluir
  8. Se o Senhor estivesse aqui, Ele ficaria até às 3:00 h. acordado?
    Depositaria sua confiança ou futuro em algum desses ímpios?

    Que instruções Ele nos daria? Será que Ele promoveria discussões em meio ao povo dEle permitindo facções ou porfias como lemos acima?

    Em Cristo.

    ResponderExcluir
  9. Olá Paulo Brasil:

    Pela omissão de muitos, que não querem saber nem se envolver com esses assuntos, tem aberto espaço para que os corruptos assumam cargos importantes. Protestantes fiés às escrituras, envolvidos em cargos importantes, foram responsáveis pela formatação de países muito mais justos, prósperos e com pouca desigualdade social, segundo pesquisa do ateu Max Weber. Como já disse alguém, com muita propriedade: "para que os maus prosperem baixa tão somente que os justos cruzem os braças".

    ResponderExcluir
  10. Amado Filósofo,

    entendi sua posição, no entanto há duas questões envolvidas que estão postas:
    1. qual o propósito de Deus para este mundo;
    2. que instruções - textos - tenho para aderir a tal opção.

    Respondidas estas questões, teremos o fundamento para o discurso e condução dos estandartes do Altíssimo.

    Com respeito.

    Em Cristo

    ResponderExcluir

Divulgue meu Blog no seu Blog